O jogo de regras rummikub e a relação interpares: processos de interdependência social, cognitiva e afetiva

Autores

  • Luciana Ramos Rodrigues de Carvalho Mestranda em Educação. UEL - Universidade Estadual de Londrina. Departamento de Educação. Londrina – PR – Brasil. 86050-270
  • Francismara Neves de Oliveira Pós-doutorado em Psicologia Educacional. UEL - Universidade Estadual de Londrina. Departamento de Educação. Londrina – PR – Brasil. 86050-520

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v6i2.4884

Resumo

Os jogos de regras no aporte teórico piagetiano são considerados meios de compreender e intervir nos processos cognitivos. Realizamos uma pesquisa qualitativa, na modalidade de estudo descritivo, com o objetivo de identificar processos cognitivos em situações de interação inter pares por meio do jogo de regras Rummikub. Participaram doze alunos que do 6º ano do Ensino Fundamental de uma escola da rede estadual de Londrina-PR, participantes da sala de apoio à aprendizagem. Os alunos participantes da amostra tinham entre 11 e 13 anos no momento da coleta de dados. O instrumento empregado foi o jogo de regras Rummikub em 5 sessões, sendo duas consideradas avaliativas. Filmamos os lances e os registramos em formulário que representava o tabuleiro. As Sessões de Jogo oportunizaram o estudo dos deslocamentos espaço-temporal. Os resultados indicaram que os deslocamentos espaço-temporais implicam o domínio das propriedades do jogo (peças, tabuleiro, mesa e regras) e permitem coordenações mais elaboradas, na medida em que o jogador avança na capacidade de coordenar observáveis e elaborar jogo de conjunto. Os dados permitiram ponderar sobre a oportunização da construção de processos cognitivos por meio de jogos em alunos que frequentam programas de apoio à aprendizagem escolar.

Downloads

Como Citar

CARVALHO, L. R. R. de; OLIVEIRA, F. N. de. O jogo de regras rummikub e a relação interpares: processos de interdependência social, cognitiva e afetiva. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 6, n. 2, p. 228–240, 2012. DOI: 10.21723/riaee.v6i2.4884. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/4884. Acesso em: 3 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos