A morte do pai e o declínio da função de professor

Autores

  • Antônio Eustáquio Ferreira Doutor em Psicologia. PUC Goiás - Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Professor convidado no Centro de Orientação e Organização Psicanalítica CORPO. Goiânia – GO – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v8i4.5034

Resumo

O presente artigo é uma reflexão acerca de alguns aspectos que contribuíram para a “morte” do pai e o declínio da função de professor. Analisamos os fatores que influenciaram as transformações na constituição da noção de pai em Freud, na construção do conceito de função paterna em Lacan, e o reflexo disso no lugar ocupado pelo professor enquanto operador simbólico da Lei. Explicitamos os efeitos produzidos nas relações entre professores e estudantes nas instituições educacionais. O trabalho propõe explicitar como o professor, enquanto operador simbólico da Lei ocupa o lugar do pai e também perde sua função. Esta investigação é resultado de estudo bibliográfico envolvendo a noção de pai, de castração, dos Nomes-do-Pai e o conceito de função paterna. Finalizamos explicitando como os fenômenos acima elencados foram enfraquecendo e confundindo o simbolismo paterno e refletiram no declínio da função de professor.

Biografia do Autor

Antônio Eustáquio Ferreira, Doutor em Psicologia. PUC Goiás - Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Professor convidado no Centro de Orientação e Organização Psicanalítica CORPO. Goiânia – GO – Brasil.

Graduação em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília (1999), com habilitação em Sociologia e Historia. Mestrado em Psicologia pela Universidade Católica de Brasília (2004). Doutorando em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2008). Foi Professor efetivo da Secretaria de Estado de Educação-DF , Colégio Equipe-DF e Fundação Bradesco-DF, disciplinas de Filosofia e Sociologia (2001-2005). Na Faculdade Montes Belos atuou nos cursos de graduação em Direito, Administração, Ciências Contábeis, Normal Superior e Pós-Graduações lato senso em Psicopedagogia e Docência Superior. Atuou no Instituto de Pesquisa em Psicanálise, no curso de Mestrado em Educação, ênfase em Psicanálise, como Professor e co-orientador de dissertações. Tem experiências nas áreas de Filosofia, Sociologia, História, Antropologia, Psicologia e Psicanálise. É Consultor e palestrante sem vínculo da Kosmos Assessoria e Consultoria Ltda e coordenador da Rodarte Advocacia.

Downloads

Publicado

20/02/2014

Como Citar

FERREIRA, A. E. A morte do pai e o declínio da função de professor. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 8, n. 4, p. 923–944, 2014. DOI: 10.21723/riaee.v8i4.5034. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/5034. Acesso em: 5 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos