Culturas da infância e espaços pedagógicos na educação infantil: interlocução para qualificação da prática educativa

Autores

  • José Milton de Lima UNESP- Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologias - Departamento de Educação. Líder do Grupo de Pesquisa: Cultura Corporal: saberes e fazeres. Presidente Prudente – SP – Brasil. 19060-900
  • Márcia Regina Canhoto de Lima UNESP- Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologias - Departamento de Educação Física. Coordenadora do CEPELIJ - Centro de Estudo e Pesquisa: Educação, Ludicidade, Infância e Juventude. Presidente Prudente – SP – Brasil.
  • Denise Watanabe UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologias. - Departamento de Educação Física. Membro do CEPELIJ - Centro de Estudo e Pesquisa: Educação, Ludicidade, Infância e Juventude. Presidente Prudente – SP – Brasil. 19060-900

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v7i1.5368

Resumo

Este artigo retrata uma pesquisa que estabeleceu como objetivo central investigar as possibilidades de qualificação do trabalho pedagógico, no âmbito da Educação Infantil, a partir da integração de eixos das culturas da infância com os espaços pedagógicos. A metodologia, de natureza qualitativa, caracterizou-se como pesquisa-ação. Adotou como procedimentos a realização de diagnósticos sobre as concepções de educação, infância e criança; reconhecimento da estrutura física e material das instituições investigadas; realização de seminários e palestras para estudos e reflexões, desenvolvimento de atividades com as crianças e busca de transformação da realidade estudada. O suporte teórico que orientou a pesquisa apoiou-se, de maneira complementar, na Teoria Histórico Cultural e na Sociologia da Infância, pois essas duas correntes teóricas concebem a infância com características e identidades próprias e as crianças como sujeitos interpretativos e criativos. Partiu-se do pressuposto de que as crianças para avançarem no seu desenvolvimento, necessitam de propostas educativas que contemplem os seus interesses e necessidades, destaque para as atividades lúdicas e as interações sociais. Contrariamente, o trabalho pedagógico na Educação Infantil, na realidade brasileira, de modo geral, revela discrepâncias entre a produção científica atual e a prática educativa destinada às crianças nessa modalidade educacional. Como resultado, destaca-se reformas nas escolas, investimento na formação dos professores que atuavam no âmbito das creches e pré-escolas, visando aproximá-los das correntes teóricas que fundamentam o projeto e, ainda, qualificação da prática educativa, alcançada pela ampliação do referencial teórico e melhoria das condições de trabalho dos professores.

Downloads

Como Citar

LIMA, J. M. de; LIMA, M. R. C. de; WATANABE, D. Culturas da infância e espaços pedagógicos na educação infantil: interlocução para qualificação da prática educativa. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 7, n. 1, p. 61–71, 2012. DOI: 10.21723/riaee.v7i1.5368. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/5368. Acesso em: 25 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos