Os resultados das avaliações educacionais em larga escala e seus impactos nas práticas escolares

Luiz Carlos Gesqui

Resumo


A partir de 2008 o Índice de Desenvolvimento da Educação no Estado de São Paulo (IDESP) mensura anualmente - com base apenas nas taxas de aprovação de todos os alunos e nos resultados de testes padronizados de parte dos alunos - a qualidade da educação básica das mais de cinco mil escolas de sua rede pública de ensino regular. Todavia, observou-se, por meio de participações em reuniões pedagógicas em quatro destas escolas, no período de 2008 a 2011, que o IDESP determina a utilização de práticas escolares que priorizam resultados estatísticos em detrimento do processo educativo, das quais se destacam a excessiva aplicação de exames simulados e a promoção dos alunos para a série seguinte pautada basicamente nos registros de sua frequência.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v9i3.6011



Direitos autorais 2015 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.