Análise e reflexão sobre a educação especial inclusivo em Maringá/BR e em Guadalajara/ES

Autores

  • Maria de Jesus Cano Miranda UEM - Universidade Estadual de Maringá. Departamento de Teoria e Prática da Educação. Maringá – PR - Brasil. 87020-0900
  • Maria Júlia Canazza Dall'Acqua UNESP - Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho. Pós-Graduação em Educação Escolar - Departamento de Psicologia Escolar. Araraquara – SP – Brasil. 14807-901
  • Eladio Sebastián Heredero Universidade de Alcalá. Facultad de la Educación - Departamento de Ciencias de la Educación. Guadalara – Espanha. 19001

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v8i1.6473

Resumo

O objetivo do presente estudo é conhecer o percurso da Educação Especial em contextos distintos, cidade de Maringá/Brasil e Guadalajara/Espanha e analisar as bases que fundamentam a organização, estrutura e o funcionamento dessa modalidade de ensino tendo como ponto de partida o processo de escola inclusiva. Os pressupostos que embasam este trabalho fundamentam-se na concepção Histórico Cultural proposta por Vygotski que defende a existência de princípios essenciais que embasam o desenvolvimento da criança com deficiência. Se, por um lado, a deficiência impõe limitações ao indivíduo, dificultando seu desenvolvimento, por outro, justamente por ocasionar dificuldades, possibilita o movimento para a compensação, ampliando o desenvolvimento de outras capacidades. O déficit em si é o de menos. Portanto, trata-se de uma pesquisa de campo, realizada por meio de observações, pesquisa na literatura e análise documental em instituições de educação infantil visitadas, nas cidades já referidas. Os resultados mostraram que há peculiaridades quanto ao percurso, organização e funcionamento da Educação Especial em cada um dos contextos analisados. Referentemente ao movimento de educação inclusiva, evidencia-se que a Espanha é precursora desse processo, por consequência apresenta condições adequadas nas diferentes formas de conduzir o atendimento às crianças com necessidades especiais, e por outro lado, as escolas dispõem dos recursos humanos e materiais especializados de que necessitam. Enquanto no Brasil a operacionalização dessas medidas ocorre mais lentamente. Assim, podese dizer que esse processo de educação inclusiva não acontece de forma linear dentro das escolas regulares e tão pouco nas diferentes formas de ação da educação especial nos dois contextos analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

MIRANDA, M. de J. C.; DALL’ACQUA, M. J. C.; HEREDERO, E. S. Análise e reflexão sobre a educação especial inclusivo em Maringá/BR e em Guadalajara/ES. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 8, n. 1, p. 45–57, 2013. DOI: 10.21723/riaee.v8i1.6473. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/6473. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>