O papel dos gestores na construção da moralidade

Autores

  • Marina Novaes de Senne Doutoranda em Educação Escolar. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras – Pós-graduação em Educação Escolar. Araraquara – SP - Brasil. 14800-901
  • Ricardo Ribeiro UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara – SP - Brasil. 14800-901

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v8i3.6597

Resumo

A presente comunicação tem como objetivo pensar a moralidade na escola, no contexto do relativismo ético contemporâneo. O foco de nossa análise é o papel dos gestores na construção desses valores. Utilizamos a concepção de educação moral que considera os valores como investimentos afetivos capazes de serem formados no espaço escolar. Essa corrente teórica foi revista a partir das transformações da sociedade contemporânea com os autores Puig (1998), La Taille (2009) e Araújo (2007). Este trabalho dividiu-se em três momentos distintos. O primeiro deles problematiza a educação moral na atualidade. No segundo momento, matizamos acerca de caminhos possíveis para a construção da moral. Por fim, pensamos no papel dos gestores que atuam entre a lei e os educadores. Foi possível concluir que os gestores têm uma contribuição central na construção da moral na escola, pois devem ajudar a construir os espaços de debate, assim como criar uma escola que possibilite a vivência na moralidade.

Downloads

Como Citar

SENNE, M. N. de; RIBEIRO, R. O papel dos gestores na construção da moralidade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 8, n. 3, p. 747–756, 2014. DOI: 10.21723/riaee.v8i3.6597. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/6597. Acesso em: 3 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos