O desenvolvimento da filogênese e da ontogênese da linguagem: alguns aspectos, segundo a teoria histórico-cultural

Autores

  • Cleber Barbosa da Silva Clarindo Mestrando em Educação. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências - Pós-Graduação em Educação. Marília – SP – Brasil
  • Thaís Borella Mestranda em Educação. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologia. Presidente Prudente – SP – Brasil.
  • Rosane Michelli de Castro Docente da Pós-Graduação em Educação. Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências. Marília – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v9i3.6747

Resumo

Apresentam-se, neste artigo, resultados de parte dos estudos voltados para análise e interpretação de aspectos relativos ao desenvolvimento da filogênese e da ontogênese da linguagem. Tais estudos foram realizados em cursos de formação de professores e em grupos de pesquisas que centram suas discussões em aspectos segundo a perspectiva da Teoria Histórico-Cultural, ou escola de Vygotsky e seus seguidores. Nesse sentido, todo o texto pauta-se na formulação de que o desenvolvimento e a apropriação da linguagem são processos histórico-culturais que decorrem da necessidade humana de comunicação e têm origem na atividade vital humana, ou seja, no trabalho socialmente constituído. Ao final, ressaltam-se, centralmente, as relações sociais e a sua importância tanto no desenvolvimento da linguagem quanto no desenvolvimento global do homem, além de considerar o desenvolvimento e a apropriação da linguagem como o ponto central do desenvolvimento humano. Para a realização dos estudos foram utilizados procedimentos da pesquisa bibliográfica, basicamente, de leitura, análise e, ainda que breve, de interpretação, à luz de bibliografia específica.

Biografia do Autor

Cleber Barbosa da Silva Clarindo, Mestrando em Educação. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências - Pós-Graduação em Educação. Marília – SP – Brasil

Possui graduação em educação física pelo Centro Universitário Toledo (2007). atualmente cursa Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", na Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília . Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", na Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, é participante do grupo de pesquisa: implicações Pedagógicas da Teoria histórico cultural, UNESP campus de Marilia.

Thaís Borella, Mestranda em Educação. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Tecnologia. Presidente Prudente – SP – Brasil.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Paulista (2008). Atualmente é aluna da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", graduanda em Pedagogia na Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília e Mestranda no Programa de Pós Graduação em Educação pela Faculdade de Ciências e Tecnologia - FCT UNESP - Presidente Prudente na linha de Pesquisa 3: Infância e Educação. Participante do Grupo de pesquisa Implicações Pedagógicas da Teoria Histórico Cultural, Unesp, câmpus de Marilia.

Rosane Michelli de Castro, Docente da Pós-Graduação em Educação. Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Filosofia e Ciências. Marília – SP – Brasil.

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1995), Graduação em Educação Física pela Universidade de Marília (1988), Mestrado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000), Doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005) e Pós-Doutorado pela Fundação Carlos Chagas (2010). Atua como professora assistente na Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e como professora junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da FFC - Unesp/Marília. É membro do Conselho Editorial Acadêmico da Ed. Oficina Universitária - FFC-Unesp/Marília, consultora ad hoc da Revista de Estudos Pedagógicos (Rbep) e integra o quadro de assessores científicos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Atualmente, coordena o projeto integrado de pesquisa A história da Didática em instituições de formação de professores no Brasil (1827-2011) fase I: fontes para a pesquisa, com financiamento FAPESP (Processo n. 2012/10609-0). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Didática e História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, ensino fundamental, ensino superior, pesquisa educacional. É membro integrante, na qualidade de pesquisadora - linha de pesquisa: Historia das ideias pedagógicas articuladas à divulgação de práticas e saberes - do Grupo de Pesquisa Estudos e Pesquisas sobre Cultura e Instituições Educacionais - GEPCIE. É membro integrante, na qualidade de pesquisadora - linha de pesquisa: Políticas Públicas e Formação de recursos Humanos - Grupo de Estudos e Pesquisas Inclusão Social - GEPIS.Também, é membro integrante na qualidade de pesquisadora - linhas de pesquisa: Didática, Currículo e Fundamentos da Educação, A pesquisa e a formação do educador, História da formação de professores no Brasil, e na qualidade de Líder do Grupo de Pesquisa GP FORME - Formação do Educador cadastrado no CNPq.

Downloads

Publicado

11/03/2015

Como Citar

Clarindo, C. B. da S., Borella, T., & Castro, R. M. de. (2015). O desenvolvimento da filogênese e da ontogênese da linguagem: alguns aspectos, segundo a teoria histórico-cultural. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 9(3), 599–613. https://doi.org/10.21723/riaee.v9i3.6747

Edição

Seção

Artigos