Educação profissional: separar para incluir?

Loni Elisete Manica, Geraldo Camatta Caliman

Resumo


No Brasil, as possibilidades e os limites da inclusão de alunos com deficiência (PcD) em classes regulares é um tema que divide opiniões. De um lado, há os que defendem que é possível incluir, todos os estudantes em salas regulares, não importando o tipo de deficiência. De outro, existem aqueles que defendem que, em alguns casos, é melhor para a PcD estudar em uma classe ou escola especial. A reflexão proposta pautará sobre resultados de uma pesquisa inédita de doutorado em educação que trata sobre o tema. Os próprios alunos com deficiência revelam que nem sempre se sentem incluídos em turmas regulares. Qual será a saída?Turmas especiais pode ser uma solução necessária para incluir o excluído?


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v9i3.6947



Direitos autorais 2015 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587, ISSN: 2446-8606.

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.