Reflexões sobre um desencaixe na educação brasileira e o eventual impasse entre o docentrismo e o discentrismo

Autores

  • Alexandre Marucci Bastos Doutorando em Educação Escolar. UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras – Pós-graduação em Educação Escolar. Araraquara – SP – Brasil.
  • Maria Teresa Miceli Kerbauy UNESP – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras – Departamento de Antropologia, Política e Filosofia. Araraquara – SP – Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v9i2.7039

Resumo

As instituições desencaixadas dilatam amplamente o escopo do distanciamento tempo-espaço, já que a separação entre tais elementos é crucial para o extremo dinamismo da modernidade; sendo a condição principal do processo de desencaixe, pelo qual se favorece o deslocamento das relações sociais de contextos locais de interação e sua reestruturação por meio de extensões indefinidas de tempo e espaço. Para tanto, há dois tipos de mecanismos de desencaixe intrinsecamente envolvidos no desenvolvimento das instituições sociais modernas: “fichas simbólicas” e “sistemas peritos”. Mecanismos estes que dependem de confiança. Nesse contexto, o presente trabalho coloca o Ciclo de Vida Profissional do Professor (CVPP) sob a perspectiva do sistema perito; e a estabilidade empregatícia do funcionalismo público na ótica da ficha simbólica – mais especificamente do professor da rede pública de ensino no Brasil. Na pretensão de propor algumas reflexões sobre o que seria um desencaixe na Educação Brasileira e no que um eventual impasse entre o “docentrismo” e o “discentrismo” afetaria esse processo se assim ele se fizer necessário ou desejado frente à modernidade.

Downloads

Publicado

13/06/2014

Como Citar

Bastos, A. M., & Kerbauy, M. T. M. (2014). Reflexões sobre um desencaixe na educação brasileira e o eventual impasse entre o docentrismo e o discentrismo. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 9(2), 338–354. https://doi.org/10.21723/riaee.v9i2.7039

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)