A medicalização na escola a partir da perspectiva de professores de educação infantil: um estudo na região de Sorocaba - SP

Autores

  • Marcos Roberto Vieira Garcia Docente do PPG em Educação. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba – SP - Brasil.
  • Lenna Nascimento Borges Docente do curso de Pedagogia. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba – SP - Brasil.
  • Patrícia de Paulo Antoneli Mestranda em Educação. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba – SP - Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v9i3.7356

Resumo

O artigo parte de considerações teóricas sobre o processo de medicalização da vida, em sua interface com a instituição escola e apresenta pesquisa qualitativa feita na região de Sorocaba-SP. A pesquisa envolveu a análise de entrevistas semi-estruturadas com seis professoras de Educação infantil, com o objetivo de investigar seus discursos acerca do processo de medicalização na escola. Os resultados mostraram a percepção por parte dessas professoras da intensificação desse processo nas escolas onde trabalham e ao mesmo tempo um predomínio de apoio explícito ou implícito a ele, sendo a medicalização vista predominantemente sob um viés positivado. Eventuais problemas, como o excesso de diagnósticos ou possíveis efeitos colaterais de medicações, são apontados como fruto de diagnósticos e prescrições errados, e não como consequência do processo de medicalização em si. As famílias que resistem ao processo foram apresentadas de forma negativada, como superprotetoras ou negligentes em relação ao cuidado adequado de seus filhos. Não apareceram críticas à possível incapacidade da escola em lidar com crianças que fogem ao modelo de aluno ideal, o que mostra o processo de medicalização atrelado a um processo de disciplinarização na escola, por meio da atribuição de anormalidade aos alunos dissidentes em relação ao que é esperado.

Biografia do Autor

Marcos Roberto Vieira Garcia, Docente do PPG em Educação. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba – SP - Brasil.

Professor do PPG em Educação da UFSCar/Sorocaba

Lenna Nascimento Borges, Docente do curso de Pedagogia. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba – SP - Brasil.

Discente do curso de Pedagogia (UFSCar-Sorocaba); bolsista de iniciação cientifica (PIBIC/CNPq)

Patrícia de Paulo Antoneli, Mestranda em Educação. UFSCar – Universidade Federal de São Carlos. Sorocaba – SP - Brasil.

Psicóloga (UNESP/Assis); mestranda em Educação (UFSCar/Sorocaba)

Downloads

Publicado

11/03/2015

Como Citar

Garcia, M. R. V., Borges, L. N., & Antoneli, P. de P. (2015). A medicalização na escola a partir da perspectiva de professores de educação infantil: um estudo na região de Sorocaba - SP. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 9(3), 536–560. https://doi.org/10.21723/riaee.v9i3.7356

Edição

Seção

Artigos