As contribuições do dialogismo de Bakhtin e do signo em Umberto Eco para o ensino de língua estrangeira

Sandra Regina Silva, Antonio Francisco Magnoni

Resumo


O presente artigo discute o dialogismo em Mikhail Bakhtin e a fundamentação do signo linguístico em Umberto Eco, com a intenção de utilizar os referidos temas e autores, para subsidiar as metodologias de ensino-aprendizado de língua estrangeira (inglês e espanhol) na rede de ensino público paulista. A abordagem conceitual dos dois autores nos permite inferir que o aprendizado de uma língua estrangeira é efetivado pela apropriação de enunciados e de conhecimento cultural, uma concepção pedagógica que confronta o método tradicional utilizado no ensino paulista, que é baseado, principalmente, no ensino de gramática e de léxicos. O artigo deriva da pesquisa teórica utilizada para subsidiar de uma dissertação de mestrado, que levanta e avalia preliminarmente, a integração das salas tradicionais de língua estrangeira nas escolas de ensino público, com ambientes digitais (em cursos on-line), e também os efeitos didático-pedagógicos da utilização de material audiovisual presencial e online.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v9i4.7414



Direitos autorais 2015 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587, ISSN: 2446-8606.

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.