Acessibilidade e deficiência na universidade: política de recursos humanos

Autores

  • Carlos Eduardo Candido Pereira Unesp – Universidade Estadual Paulista. Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara – São Paulo – Brasil. Doutorando. Bolsista Obeduc/Capes.
  • Jose Luis Bizelli Unesp – Universidade Estadual Paulista. Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara – São Paulo – Brasil. Pesquisador do projeto em rede “Acessibilidade no Ensino Superior” (Obeduc/Capes).
  • Lúcia Pereira Leite Unesp – Universidade Estadual Paulista. Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Faculdade de Ciências. Bauru – São Paulo – Brasil. Pesquisadora e colaboradora na coordenação do projeto em rede “Acessibilidade no Ensino Superior” (Obeduc/Capes).

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v10i5.7916

Resumo

Este trabalho é parte integrante de investigação em rede – com apoio da Capes, no Edital Observatório em Educação (Obeduc) – sobre políticas públicas de acessibilidade e inclusão para pessoas com deficiência no Ensino Superior brasileiro. A universidade está despreparada para lidar com a inclusão apesar de existirem muitas políticas específicas para essa finalidade. O campo escolhido para análise foi uma universidade pública do sistema paulista de Educação Superior e, de acordo com os procedimentos metodológicos traçados – que envolveram releitura crítica da bibliografia pertinente, entrevista com gestores universitários, levantamento documental e pesquisa de dados – foi possível verificar grande diferença entre a forma como a esfera pública e a privada tratam o tema da inclusão para pessoas com deficiência. O desafio no caso estudado se amplia em virtude do desconhecimento das especificidades do público-alvo, melhor dizendo, da falta de conhecimento sobre o funcionário público que trabalha na universidade por sua administração superior. Parte-se de pesquisa bibliográfica, entrevista e levantamento de dados. As discussões são balizadas em pressupostos de autores da Educação Especial e da administração pública, além da revisão do amparo normativo da legislação federal e estadual, no caso de São Paulo. Considerações: entre a esfera pública e privada há grandes diferenças ao se tratar o tema inclusão para pessoas com deficiência. Lidar com a inclusão mostra-se um desafio e, no caso da universidade, o problema se amplia em virtude do desconhecimento das especificidades desse público.

Downloads

Como Citar

PEREIRA, C. E. C.; BIZELLI, J. L.; LEITE, L. P. Acessibilidade e deficiência na universidade: política de recursos humanos. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 10, n. esp.1, p. 631–642, 2015. DOI: 10.21723/riaee.v10i5.7916. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/7916. Acesso em: 7 mar. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>