O retrato holográfico do gestor da escola básica e a necessidade de novas possibilidades gestoras

Autores

  • Antonio Amorim Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia http://orcid.org/0000-0003-3236-9139
  • Alfredo Eurico da Matta Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia
  • Kátia Siqueira de Freitas Universidade Católica do Salvador - Bahia

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n.3.2017.8751

Palavras-chave:

Gestão escolar. Inovação educacional. Perfil holográfico.

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar o perfil holográfico do gestor da escola básica, destacando a urgência na construção e na consolidação de um fazer contemporâneo de gestão, que seja inovador e definidor de novas possibilidades gestoras que garantam a qualidade institucional na gestão da escola. Foram empregados pressupostos da pesquisa qualitativa, fazendo a leitura crítica de documentos e da literatura que trata da gestão e da inovação dos processos gestores na escola. Os resultados da análise indicam que: há um perfil conservador dos gestores que atuam na escola básica; existe a necessidade de garantir a inovação educacional e a criação de um espaço institucional transformador, que possibilite a formação de um perfil democrático para o novo gestor escolar e que alcance seus liderados, com a efetivação de uma práxis institucional que promova a qualidade da gestão e da vida educacional nas escolas.

 

Biografia do Autor

Antonio Amorim, Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia

Professor titular do Departamento de Educação Campus I da Universidade do Estado da Bahia, com Doutorado em Psicologia pela Universidade de Barcelona - Espanha.

Alfredo Eurico da Matta, Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia

Pós-doutor em Educação a Distância pela Universidade do Porto, Portugal. Doutor em Educação pela UFBA/Université Laval, Canadá. Pesquisador do CNPQ. Professor do DMMDC e PPGEDUC da UNEB

Kátia Siqueira de Freitas, Universidade Católica do Salvador - Bahia

Professora do Programa de Pós-Guação da Universidade Católica do Salvador

Referências

AMORIM, A. Escola – uma instituição social complexa e plural. São Paulo: Editora Viena, 2007.

AMORIM, A. et al (Orgs). Educação e contemporaneidade: processos e metamorfoses. Rio de Janeiro: Editora Quartet, 2009.

AMORIM, A. Políticas públicas em educação, tecnologia e gestão do trabalho docente. Salvador: EDUNEB, 2012.

AMORIM, A.; SANTOS, C. L. dos.; CASTAÑEDA, J. A. S. Inovação da gestão dos saberes escolares: fator de promoção da qualidade do trabalho pedagógico. Salvador: Revista da FAEEBA, Salvador, v. 21, n. 38, p. 114-126, 2012.

AMORIM, A. Inovação, qualidade do ensino e saberes educacionais: caminhos da gestão escolar contemporânea. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação. Araraquara, v. 10, n. 2, p. 400-416, 2015.

BAUMAN, Z. O medo líquido. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BRANDÃO, Z. (Org). A crise dos paradigmas e a educação. 10 ed. São Paulo: Cortez. 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo Escolar de 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo Escolar de 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo Escolar de 2015.

BRASIL. Censo Escolar da Educação Básica 2013 - Resumo Técnico. Ministério Da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Diretoria de Estatísticas Educacionais. Brasília – DF. 2014. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/resumos_tecnicos/resumo_tecnico_censo_educacao_basica_2013.pdf>. Acesso em: 24 jun. 2016.

CRESWELL, J. W. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

DOURADO, L. F. et al. A qualidade da educação: conceitos e definições. Brasília: MEC, 2007.

FREITAS, K. S. de.; PILLA, S. B. Gestão democrática da educação. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria Educação Básica. Pradime: Programa de Apóio aos Dirigentes Municipais de Educação. Caderno de textos, n° 3. Brasília, DF, p. 13-70, 2006.

FREITAS, K. S. de.; ROCHA, A. F. Políticas de formação de dirigentes escolares par ao ensino básico no Brasil e na Argentina e Educação em Direitos Humanos. In CUNHA, C. da.; SOUSA, J. V.; SILVA, M. A. (Org.) Internacionalização da educação: discursos práticas e reflexos sobre as políticas educativas. Belo Horizonte, M.G.: Fino Traço, 2016,

FERNANDES, M. E. A. Gestão da escola: desafios a enfrentar. Rio de Janeiro: DP& A Editora, 2002.

JOVCHELOVITCH, S. Cultura e Pesquisa. Representações sociais: Saberes sociais e polifasia cognitiva. EduCadernos, Blumenau, Caderno 2, p. 1 – 56, 2001.

LUCK, H.; FREITAS, K. S. de.; GIRLING, R.; KEITH, S. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. Petrópolis, RJ.: Editora Vozes, 2012.

MORAN, J. M. Gestão inovadora da escola com tecnologias. In: VIEIRA, Alexandre (org.). Gestão educacional e tecnologia. São Paulo: Avercamp, 2003.

MUÑOZ, C. C. Del mapa escolar al territorio educativo: disoñando la escuela desde la educación, Santiago: Editorial Nueva Mirada, 2007.

PARO, V. H. Gestão escolar, democracia e qualidade do ensino. São Paulo: Ática, 2007.

VEIGA, I. P. A. (org.). Projeto Político Pedagógico: uma construção possível. São Paulo: Cortez, 2001.

Downloads

Publicado

05/07/2017

Como Citar

AMORIM, A.; DA MATTA, A. E.; DE FREITAS, K. S. O retrato holográfico do gestor da escola básica e a necessidade de novas possibilidades gestoras. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 3, p. 1802–1819, 2017. DOI: 10.21723/riaee.v12.n.3.2017.8751. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8751. Acesso em: 27 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos