Curiosidades matemáticas nas aritméticas da série ordem e progresso

Malcus Cassiano Kuhn, Arno Bayer

Resumo


O artigo tem por objetivo fazer um resgate de curiosidades matemáticas presentes nas aritméticas da série Ordem e Progresso, editadas pela Igreja Evangélica Luterana do Brasil, por meio da Casa Publicadora Concórdia de Porto Alegre, na década de 1930, para suas escolas paroquiais no Rio Grande do Sul. Baseando-se no referencial da história cultural, analisaram-se a Primeira Aritmética e a Terceira Arithmetica da série Ordem e Progresso, identificando-se curiosidades envolvendo: construção do significado de número até 10; contas orais com as quatro operações elementares com números naturais até 100; procedimentos para decorar as tabuadas de multiplicar e dividir; informações sobre unidades de medidas do contexto dos alunos; relações entre as antigas medidas brasileiras e as medidas do sistema métrico; estudo da regra de três pela regra da dedução; cálculo do volume aproximado de um tronco de cone, de forma prática; determinação de números quadrados e da raiz quadrada fazendo associações com geometria e álgebra. Embora algumas dessas curiosidades estejam alicerçadas no método de ensino intuitivo, as mesmas ainda refletem a tradição pedagógica da memorização.


Palavras-chave


História da educação matemática. Curiosidades matemáticas. Série ordem e progresso. Ensino da matemática. escolas paroquiais luteranas gaúchas.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, I. C. Representações de Germanidade, Escola e Professor no Allgemeine Lehrerzeitung für Rio Grande do Sul [Jornal Geral para o Professor no Rio Grande do Sul]. 2005. 292 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 13 abr. 2005.

BARROS, J. A. História cultural: um panorama teórico e historiográfico. Textos de História, v. 11, n. 1/2, p. 145-171, 2003.

BRITTO, S. L. M. O ensino da aritmética nas escolas paroquiais católicas e no Ginásio Conceição, sob a ótica dos jesuítas nos séculos XIX e XX. 2016. 464 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 09 ago. 2016.

CHARTIER, R. A História cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1990. 244 p.

KNIJNIK, G. Exclusão e resistência: educação matemática e legitimidade cultural. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. 139 p.

KREUTZ, L. Livros escolares e imprensa educacional periódica dos imigrantes alemães no Rio Grande do Sul, Brasil 1870-1939. Revista Educação em Questão, Natal, v. 31, n. 17, p. 24-52, jan./abr. 2008.

KREUTZ, L. Material didático e currículo na escola teuto-brasileira. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 1994.

KREUTZ, L. O professor paroquial: magistério e imigração alemã. Porto Alegre: Ed. da UFRGS; Caxias do Sul: EDUCS, 1991.

KREUTZ, L.; ARENDT, I. C. (Org.). Livros escolares das escolas de imigração alemã no Brasil (1832-1940). Acervo documental e de pesquisa, Biblioteca UNISINOS. São Leopoldo, 2007. 3 CD-ROM.

KUHN, M. C. O ensino da matemática nas escolas evangélicas luteranas do Rio Grande do Sul durante a primeira metade do século XX. 2015. 466 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 09 jul. 2015.

LEMKE, M. D. Os princípios da educação cristã luterana e a gestão de escolas confessionárias no contexto das ideias pedagógicas no sul do Brasil (1824 – 1997). Canoas: Ed. ULBRA, 2001. 248 p.

MAURO, S. Uma história da matemática escolar desenvolvida por comunidades de origem alemã no Rio Grande do Sul no final do século XIX e início do século XX. 2005. 251 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 03 maio 2005.

RAMBO, A B. A escola comunitária teuto-brasileira católica. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 1994. 208 p.

RAMBO, A B. A escola comunitária teuto-brasileira católica: a associação de professores e a escola normal. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 1996. 243 p.

ROCHE, J. A Colonização Alemã e o Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Editora Globo, 1969. v. 1 e v. 2. 806 p.

SÉRIE Ordem e Progresso: Terceira Arithmetica. Porto Alegre: Casa Publicadora Concórdia, [193-]. 143 p.

SILVA, C. M. S. A Regra de Ouro nos Livros Didáticos para Escolas Alemãs-Brasileiras. Acta Scientiae, Canoas, v. 17, Ed. Especial, p. 41-59, 2015.

STRELOW, F. Série Ordem e Progresso: Primeira Aritmética. Porto Alegre: Casa Publicadora Concórdia, [193-]. 64 p.

UNSERE SCHULE. Porto Alegre: Casa Publicadora Concórdia, 1933-1935.

VALENTE, W. R.; PINHEIRO, N. V. L. Chega de decorar a tabuada! – As cartas de Parker e a árvore do cálculo na ruptura de uma tradição. Educação Matemática em Revista - RS, Canoas, v. 1, n. 16, p. 22-37, 2015.

WANDERER, F. Escola e Matemática Escolar: mecanismos de regulação sobre sujeitos escolares de uma localidade rural de colonização alemã no Rio Grande do Sul. 2007. 228 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2007.

WARTH, C. H. Crônicas da Igreja: Fatos Históricos da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (1900 a 1974). Porto Alegre: Concórdia, 1979.

WEIDUSCHADT, P. A revista “O Pequeno Luterano” e a formação educativa religiosa luterana no contexto pomerano em Pelotas – RS (1931-1966). 2012. 273 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 11 jan. 2012.

WEIDUSCHADT, P. O Sínodo de Missouri e a educação pomerana em Pelotas e São Lourenço do Sul nas primeiras décadas do século XX: identidade e cultura escolar. 2007. 253 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2007.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8759



Direitos autorais 2017 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.