Contradições na articulação dos entes federados para implementação da política nacional de formação de professores

Autores

  • Leila Pio Mororó Universidade Estadual do Sudoeste da bahia
  • Rene Silva Nefop/UESB Prefeitura municipal de Itarana, Bahia

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n1.8999

Palavras-chave:

Política de Formação de Professores. PARFOR. Regime de Colaboração.

Resumo

Neste texto, a implementação do Plano Nacional de Formação de Professores - PARFOR é investigada a partir do regime de colaboração entre os entes federados, analisando os processos dialógicos e suas contradições no estado da Bahia. O caminho teórico-metodológico adotado foi o Materialismo Histórico Dialético, compreendido como um método que permite a apreensão da realidade em sua totalidade. A pesquisa indicou quatro principais questões, as quais, analisadas sob a perspectiva do contexto capitalista atual, se relevam como contradições na política de formação de professores atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leila Pio Mororó, Universidade Estadual do Sudoeste da bahia

Docente titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação.

Rene Silva, Nefop/UESB Prefeitura municipal de Itarana, Bahia

Mestre em educacao pelo PPGED da UESB, docente e coordenador pedagogico da rede municipal de educacao de Itarana, Bahia, consultor MEC para a criacao e implementacao dos planos de cargos e salarios do municipios.

Downloads

Publicado

13/01/2017

Como Citar

MORORÓ, L. P.; SILVA, R. Contradições na articulação dos entes federados para implementação da política nacional de formação de professores. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, p. 440–455, 2017. DOI: 10.21723/riaee.v12.n1.8999. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8999. Acesso em: 22 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos