Os educadores franceses Célestin Freinet e Fernand Deligny

Sônia Regina da luz Matos

Resumo


O artigo é parte do estudo teórico-conceitual do projeto de pesquisa de pós-doutorado.  A investigação retoma as contribuições pedagógicas dos educadores francês Célestin Freinet (1896-1966) e Fernand Deligny (1913-1996). Ambos participaram da primeira guerra mundial, foram comunistas e viveram sobre as forças dos tempos da escola nova francesa. Essas três ligações: histórica, política e educacional produziram afeitos diferentes em suas pedagogias. Sendo assim, este trabalho não pretende compará-los, e sim, valorizar as ideias e de uma certa maneira homenagear estes dois educadores do século XX. Os objetivos do texto são de identificar alguns movimentos biográficos destes educadores e mostrar os seus principais conceitos pedagógicos: Freinet, a expressão livre e Deligny, a cartografia.


Palavras-chave


Freinet. Expressão livre. Deligny. Cartografia

Texto completo:

PDF

Referências


DELEUZE, Gille; Guattari, Felix. Mil platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Vol.1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. São Paulo: Editora 34, 1995.

DELIGNY, Fernand. O aracniano e outros textos Tradução Lara de Malimpesa. São Paulo: n-1 edições, 2015.

DELIGNY, Fernand. Cartes et lignes d’errer. Trace du réseau de Fernand Deligny. 1969-1979. Conception Editoriale Sandra Alvarez de Toledo. Paris: Les Éditions de l’Arachnéen, 2013.

DELIGNY, Fernand. Fernand Deligny œvres. Édition établie et présentée par Sandra Alvarez de Toledo. Paris: Les Éditions L’Arachnéen, 2007.

FREINET, Elisa. O itinerário de Célestin Freinet. A expressão livre na pedagogia Freinet. Tradução de Manoel Dias Duarte. Portugal, Lisboa: Livros Horizontes, 1983.

GAUTHIER, Clermont; TARDIF, Maurice. A pedagogia. Teorias e práticas da antiguidade aos nossos dias. Tradução de Lucy Magalhães. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Tradução de Enio Paulo Giachini. Petrópolis: Vozes, 2015.

MATOS, Sônia Regina da Luz. O pedagogo francês Fernand Deligny (1913-1996) e a sensibilidade estética da existência autista. Revista entreideias: educação, cultura e sociedade. Salvador, v. 5, n. 2, p. 97-102, jul. /dez. 2016. Disponível em:

https://portalseer.ufba.br/index.php/entreideias/article/view/17983 E-ISSN: 2317-0956.

MATOS, Sônia Regina da Luz. Projeto A linguagem e a pragmática da semiótica em rizoma: uma contribuição da filosofia da diferença na inovação das práticas escolares. CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Portaria 36/2013. Estágio Pós-doutoral. Chamada II 2015. Processo: 000646/2015-06. 2016a.

MIGUEL, Marlon Cardoso Pinto. La marge et hors-champ. L’humain dans la pensée de Fernand Dligny. Tese de Doutorado em Cotutela. Université Saint-Denis Paris 8, Arts Plastiques et de Philosophie. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Filosofia. 2016. F. 617

RABAT, Janine. Hommage à Fernand Deligny. Revue Vers l’Education Nouvelle. n°479, 1997. Disponível em: http://www.cemea.asso.fr/spip.php?article2758. Acesso em: 30 dez. 2013.

SEBARROJA, Jaume Carbonell. (Org.). Célestin Freinet. Pesquisar e cooperar. In: Pedagogias do século XX. Porto Alegre: Artmed, 2003, p. 73-84.

TILQUIN, André. La toile géométrique des araignées. Paris: Presses Universitaires de France, 1942.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.9637



Direitos autorais 2017 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.