Mapeamento sistemático da literatura científica sobre egressos de cursos técnicos e superiores de informática e empregabilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v25i3.14353

Palavras-chave:

Egressos, Cursos de informática, Empregabilidade

Resumo

Este artigo apresenta resultados de pesquisa do tipo mapeamento sistemático que objetivou apresentar o potencial de empregabilidade de egressos de cursos de informática, em nível técnico e graduação, e sua relação com o desenvolvimento local. Para isso, foram selecionadas 11 publicações científicas de 2011 a 2018 que tiveram como campo de pesquisa respostas de egressos de cursos técnicos ou superiores de Informática. A análise dos dados foi orientada pelo método Materialista Histórico-Dialético. Os resultados mostram que, em sentido lato, a empregabilidade dos profissionais da informática é alta; os egressos de cidades com maior malha industrial-tecnológica, em quase 100%, conseguem bons empregos nessa área, mas, aqueles de cidades em situação oposta, quase na mesma proporção, atuam fora da área de formação ou estão desempregados. Assim, foi possível perceber que somente a formação técnica ou superior não garante emprego e desenvolvimento na e da localidade onde foi efetuada a formação, pois, este último depende, também, da existência de empresas da mesma área e de outros fatores sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Luiza da Costa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), Inhumas – GO

Professora Titular da área de Informática. Doutora em Educação (PUC Goiás).

Referências

ABSSTARTUP. O momento da startup brasileira e o futuro do ecossistema de inovação, São Paulo, SP: Absstartup e Accenture. 2018. Disponível em: https://abstartups.com.br/PDF/radiografia-startups-brasileiras.pdf. Acesso em: 18 jul. 2020.

ALKMIN, G. V.; HEIJMANS, R. D. Empregabilidade dos egressos tecnólogos do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas nos institutos federais mineiros. In: WORKSHOP SOBRE EDUCAÇÃO EM COMPUTAÇÃO – WEI, 24., 2016, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre, RS: Sociedade Brasileira de Computação, 2016. p. 101-110. Disponível em: https://sol.sbc.org.br/index.php/wei/issue/view/508. Acesso em: 22 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Levantamento sobre produção agrícola municipal. Brasília, DF: MAPA, 2019.

BRUNO, L. Educação e desenvolvimento econômico no Brasil. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 48, p. 545-562, dez. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782011000300002

CARDOSO, P. P. Empregabilidade dos egressos: a educação profissional integrada ao ensino médio no extremo norte da Amazônia. Tese (Doutorado em Sociedade e Cultura da Amazônia) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2018.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 8. ed. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2000. v. 1. Disponível em: https://perguntasaopo.files.wordpress.com/2011/02/castells_1999_parte1_cap1.pdf. Acesso em: 18 ago. 2020.

CAZAROTTI, M. L. B.; BERNARDES, S. T. A. Cursos superiores de tecnologia: fundamentos, controvérsias & desafios. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 22, n. 3, p. 992-1046, set./dez. 2018. e-ISSN:1519-9029. DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v22i3.11368

COSTA, R. L.; LIBÂNEO, J. C. Educação profissional técnica a distância: A mediação docente e as possibilidades de formação. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 34, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698180600

COSTA, R. L.; SOUZA, M. A. R.; THEREZA JÚNIOR, A. H. Materialismo histórico-dialético em pesquisas em informática na educação. In: JAQUES, P. A. et al. (Org.). Metodologia de pesquisa científica em informática na educação: abordagem quantitativa. Porto Alegre, RS: SBC, 2020. v. 2. (Série Metodologia de Pesquisa em Informática na Educação). Disponível em: https://metodologia.ceie-br.org/livro-3/. Acesso em: 14 ago. 2020.

DERMEVAL, D.; COELHO, J. A. P. M.; BITTENCOURT, I. I. mapeamento sistemático e revisão sistemática da literatura em informática na educação. In: JAQUES, P. A. et al. (Org.). Metodologia de pesquisa científica em informática na educação: abordagem quantitativa. Porto Alegre: SBC, 2020. v. 2. (Série Metodologia de Pesquisa em Informática na Educação). Disponível em: https://metodologia.ceie-br.org/livro-2. Acesso em: 14 ago. 2020.

FERNANDES, J. C. C. Educação tecnológica e empregabilidade: revelações de egressos. 2012. Tese (Doutorado) – Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2012.

FRANÇA, I. S.; SOARES, B. Rede urbana regional: uma reflexão sobre as interações espaciais existentes entre a cidade média de Montes Claros e os centros emergentes de Pirapora, Janaúba e Januária no norte do estado de Minas Gerais, Brasil. In: ENCUENTRO DE GEÓGRAFOS DE AMÉRICA LATINA – EGAL, 13., 2011, Costa Rica. Anais […]. Costa Rica: Universidad de Costa Rica, 2011. Disponível em: http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal13/Geografiasocioeconomica/Geografiaurbana/092.pdf. Acesso em: 15 ago. 2020.

GUIMARÃES, M. A. M.; SALLES, M. T. O acompanhamento de egressos como ferramenta de inserção no mercado de trabalho. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 10., 2014, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro, RJ: Inovarse, 2014. Disponível em https://www.inovarse.org/node/2253. Acesso em: 24 ago. 2020.

HULLEY, S. B. et al. Delineando a pesquisa clínica-4. Porto Alegre, RS: Artmed, 2015.

IEGER, E. M. Da qualificação ao mercado de trabalho: um estudo de caso com egressos de um Curso Superior de Informática no Paraná. 2014. Dissertação (Mestrado) – Setor de Ciências Humanas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

JORNAL DO COMÉRCIO. Multinacional alemã Basf estuda implantar Centro Tecnológico em Porto Alegre. 20 nov. 2019. Disponível em: https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2019/11/713059-multinacional-alema-basf-estuda-implantar-centro-tecnologico-em-porto-alegre.html. Acesso em: 23 ago. 2020.

LUCIANO, A. P. C.; SANTOS, A. A. Caminhos do Licenciado em Computação no Brasil: Estudo de Mercado a Partir de uma Pesquisa com Egressos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO (CBIE), 2.; SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO (SBIE), 24., 2013, Campinas. Anais [...]. Campinas, SP: UNICAMP, 2013. Disponível em: https://www.br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/2530. Acesso em: 23 ago. 2020.

MACHADO, A. S. Acompanhamento de egressos: caso CEFET/PR – Unidade Curitiba. 2001. 150 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Departamento de Pós-Graduação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

MACHADO, L. R. S. Educação e divisão social do trabalho: contribuição para o estudo do ensino técnico industrial brasileiro. 2. ed. São Paulo, SP: Cortez, 1989.

MAZZUCATO, M. O estado empreendedor: desmascarando o mito do setor público x setor privado. São Paulo, SP: Portfolio-Penguin, 2014.

NUNES, P. S. Em busca do “tesouro”: inserção profissional e inclusão digital nas trajetórias de egressos/integralizados de um curso de Técnico em Informática – PROEJA. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2011.

PINHEIRO, L. J. M. Estudo com egressos da Licenciatura em Computação da Universidade de Brasília: as influências do curso na vida profissional e pessoal dos ex-alunos. 2017. 63 f. Monografia (Trabalho de Conclusão do Curso de Ciência da Computação) — Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

PREFEITURA DE BAMBUÍ. Dados gerais do município de Bambuí. Página atualizada em 2020. Disponível em: https://www.bambui.mg.gov.br/dados-gerais. Acesso em: 28 ago. 2020.

ROSTIROLA, S. C. M.; OLIVEIRA, R. Programa de mapeamento de egressos relatório 2015-2016 do Instituto Federal Catarinense – Câmpus Videira. Videira, SC: Instituto Federal Catarinense / MEC, 2017. Disponível em: http://videira.ifc.edu.br/wp-content/uploads/2015/11/relat%C3%B3rio-egressos.pdf. Acesso em: 23 ago. 2020.

SANTOS, L. A capital da inovação: arranjos institucionais do empreendedorismo inovador no polo tecnológico de Florianópolis. Tese (Doutorado) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

SANTOS, L. B. Resenha de O Estado empreendedor: desmascarando o mito do setor público vs. setor privado. Publicações do Núcleo de Sociologia Econômica (NUSEC), 2015. Disponível em: https://nusec.paginas.ufsc.br/files/2015/04/Leandro-resenha-MAZZUCATO.pdf. Acesso em: 27 ago. 2020.

SANTOS, M. R. P. et al. Itinerários dos egressos do nível Médio Integrado, IFBA - Campus Jacobina. Ensino em Foco, v. 1, n. 2, 2018. Disponível em: https://publicacoes.ifba.edu.br/index.php/ensinoemfoco/article/view/486. Acesso em: 23 ago. 2020.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12 n. 34 jan./abr. 2007.

SOFTEX. Associação para promoção da excelência do software brasileiro. Overview do setor de tecnologia da informação brasileiro nos últimos dez anos. Campinas, 2019. Disponível em: https://softex.br/inteligencia/#toggle-id-3. Acesso em 09 jun. 2020.

SOFTEX. Cadernos Temáticos do Observatório da Associação Para Promoção da Excelência do Software Brasileiro. Software e Serviços de TI. Campinas, 2012. Arquivo eletrônico https://www.softex.br/inteligencia/#cadernostematicos. Acesso em 09 jun. 2020.

SOFTEX. Cadernos Temáticos do Observatório da Associação Para Promoção da Excelência do Software Brasileiro. Mercado de Trabalho e Formação de Mão De Obra em TI. Campinas, 2013. Disponível em: https://www.softex.br/inteligencia/#cadernostematicos. Acesso em 09 jun. 2020.

VIEIRA, M. S. O. C.; GOMES, D. C.; SILVA, J. M. T. O papel do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN) para a qualificação e empregabilidade: um estudo dos egressos do curso de informática do IFRN em Currais Novos/RN. HOLOS, ano 27, v. 1, 2011.

Downloads

Publicado

08/12/2021

Como Citar

COSTA, R. L. da . Mapeamento sistemático da literatura científica sobre egressos de cursos técnicos e superiores de informática e empregabilidade. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 3, p. 2670–2693, 2021. DOI: 10.22633/rpge.v25i3.14353. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/14353. Acesso em: 24 maio. 2022.