As contribuições da psicopedagogia no ambiente institucional de educação de jovens e adultos e os fatores condicionantes dessa aprendizagem

Anaisa Alves de Moura, Antônio Diego Dantas Cavalcante, Adriana Pinto Martins

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivo principal analisar quais os fatores que influenciam na aprendizagem de adultos e quais as contribuições na visão psicopedagógica para este público. Tomou-se como referencial para compor os alicerces deste trabalho a visão de alguns dos mais célebres teóricos como: Vygotsky (1995), Freire (2005), Henry Wallon (1990), Paraguassu (2014), Silva (2009), Zago (2008), Souza (2014), Arroyo (2007), Alícia Fernàndez (1991), Sara Paín (1985), LDB 9394/96, entre outros, dos quais podemos constatar reflexões distintas ao apresentarem suas visões acerca do assunto abordado. Trata-se de uma pesquisa exploratória de caráter básica e de natureza quantiqualitativa. Para além desse tipo de investigação, foi feito um estudo documental, bibliográfico e de campo. Fizeram parte da pesquisa a Escola de Ensino Fundamental Antenor Naspolini e quatro turmas que concluíram o curso no ano letivo de 2015. EJA I, II, III e IV, perfazendo um total de 105 participantes. A análise dos dados foi feita por meio de um questionário elaborado com base no documento “Critérios de Classificação Econômica do Brasil – ABEP - Associação Brasileira de Empresas e Pesquisas – 01/2015. Nesta pesquisa foi verificado que ainda há professores resistentes à apropriação de novos métodos pedagógicos, dificultando dessa forma o desempenho escolar do aluno. Todavia, a grande maioria tem acompanhado as mudanças desse processo no qual a valorização das experiências e a exposição do senso crítico do aluno tornam-se mais relevante, por que o sujeito dessa aprendizagem possui um saber que o sustenta, um saber que é produto de sua busca pelo conhecimento, pelo aprender.


Palavras-chave


Aprendizagem de adultos. Psicopedagogia institucional. Aprendente. Ensinante.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, José Luís Vieira de. Os fundamentos ontológicos da didática: a mediação compreendida a partir da ontologia do ser social. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v.20, n.3, p. 514-527, 2016. Disponível em: . ISSN: 1519-9029.

AMORIM, Benjamim da Silva. As contribuições da ACP ao saber psicopedagógico Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara/SP, v. 11, n. esp. 3, p.1745-1760, 2016. Disponível em: . E-ISSN: 1982-5587.

ANJOS, André Gustavo Cosme dos. Educação de Jovens e Adultos: A Formação do Processo Prático-Educativo e sua importância no ensino-aprendizagem. 2011. Disponível em: http://br.monografias.com/trabalhos3/educacao-jovens/educacao jovens2.shtml. Acesso em: Jan. 2015.

ANTONACOPOLOU, E. P.; GABRIEL, Y. Emotion, learning and organizational change: towards an integration of psyco-analytic and other perspective. Journal of organizational change, v. 14, n5, p.435-451, 2001.

ARROYO, M. Educação de Jovens e Adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: GIOVANETTI, Maria Amélia, GOMES, Nilma Lino e SOARES, Leôncio (Orgs.). Diálogos na Educação de Jovens e Adultos. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2007, p.19-50.

BRASIL. Trabalhando com a educação de jovens e adultos: alunos e alunas da EJA: Caderno 1. Brasília, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/eja_caderno1.pdf. Acesso em: 10 jun. 2015.

BRASIL. Leis, decretos, etc.. Lei n. 9394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: 10 maio. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação de Jovens e Adultos. Resolução CNE/CEB nº. 1, de 05 de julho de 2000.

FERRARI, Shirley Costa e AMARAL, Suely. O aluno de EJA: jovem ou adolescente? (2012) Disponível em: http://www.cereja.org.br/pdf/revista_v/revista_shirleycostaferra.pdf Acesso em: Abr. 2015.

FERNÀNDEZ, Alicia. A inteligência aprisionada. Porto Alegre: ArtMed, 1991.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UECE, 2002. Apostila.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa, 6ª Ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2005. Disponível em: www.4shared.com. Acesso em 1º maio. 2015.

GERVILLA, H. (1995). Principales modelos educativos. In. Gervilla, H & Moral, J.L. (org). Pedagogía para la animación – elementos teóricos-prácticos. (pp. 91- 154). Madrid: Editorial CCS.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GOHN, Maria da Glória Marcondes. Educação não-formal e cultura política: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

HADDAD. S. A ação de governos locais na educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de educação, São Paulo, v 12, n 35, mai-ago, 2007.

HADDAD, S.; DI PIERRO, M.C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n.14, p. 108-130, maio/ago. 2000. In: Revista on line de Política e Gestão Educacional. n. 17, 2014. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9368

KNOWLES, M. S, HOLTON, E. F. & SWANSON, R. A. The adult learner: The definitive classic in adult education and human resource development - 7th edition. London: Elsevier. 2011.

LIMA, M; Simões, A & Tavares, J.(1997). Percepção da capacidade de aprender ao longo do ciclo da vida – O caso dos adultos e idosos. Revista Portuguesa de Pedagogia. Ano XXXI-1,2,e3. Coimbra: Ediliber.

LOPES, Silva Paraguassu; SOUZA, Luza Sousa. EJA: Uma educação possível ou mera utopia? (2014). Disponível em: http://www.cereja.org.br/pdf/revista-_v/Revista_SelvaPLopes.pdf. Acesso em: 27 ago. 2015.

MARCONI, M. A. LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação dedados. 6. Ed. 3. Reimpr. São Paulo: Atlas, 2007.

MORIN, Edgar. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

PAÍN, Sara. Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

REIS, Fernanda; MOURA, Taís Aparecida de. Reflexões sobre as Políticas Educacionais voltadas para todos aqueles que não tiveram acesso à educação na idade própria. Revista on line de Política e Gestão Educacional. v. 17, 2014. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9368/6219 ISSN: 1519-9029.

SANTOS, Santa Marli Pires dos. O lúdico na formação do educador. 6ª Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

SANTOS FILHO, J. C. Pesquisa quantitativa versus pesquisa qualitativa: o desafio paradigmático. In: SANTOS FILHO, J. C.; GAMBOA, S. S. (Orgs.). Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. 3.ed. São Paulo: Cortez, p.13-59, 2007. (Coleção Questões da Nossa Época – v.42).

SCOZ, B. Psicopedagogia e realidade escolar: o problema escolar e de aprendizagem. 16°. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

SOARES, Leôncio. Educação de Jovens e Adultos. Rio de Janeiro: DP&A, 2014.

SILVA, Maria Cecília Almeida e. Psicopedagogia: em busca de uma fundamentação teórica. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

SILVA, Simone Gonçalves et al. Políticas educacionais: aproximações entre ensino médio, EJA e educação profissional. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v.12, n.1, p. 283, 2017. Disponível em: . E-ISSN: 1982-5587.

SILVA, Simone Gonçalves et al. Políticas educacionais: aproximações entre ensino médio, EJA e educação profissional. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v.12, n.1, p. 290, 2017. Disponível em: . E-ISSN: 1982-5587.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

WALLON, H. Les mileux, les groupes et la psychogenèse de l’enfant. Enfance, Paris, (3-4): 287-296, mai-oct., 1990, (1aed., 1990).

ZAGO, Nadir (Orgs.). Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares: As contradições da obrigatoriedade escolar. 2ed. Petrópolis: Vozes, 2008.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n1.2017.9897



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.