Educação inclusiva: o trabalho pedagógico do professor para com o aluno autista no ensino fundamental I

Ariane Mieko Himeno Onohara, José Anderson Santos Cruz, Maria Luiza Mariano

Resumo


O presente artigo foi investigar o trabalho pedagógico/docente das professoras para com os alunos público-alvo da educação especial, particularmente no que se refere a alunos com transtorno do espectro autista (TEA). Para tal, foi realizada uma pesquisa de campo com uma abordagem qualitativa de pesquisa e teve como procedimento metodológico, o Estudo de Caso, utilizando a coleta de dados, a partir de um questionário semiestruturado com 7 perguntas abertas. Participaram do estudo três professoras de uma escola municipal de ensino fundamental I de Bauru, na qual cada uma delas, respectivamente, obteve experiencias diversas para com o aluno, atualmente inserido no ano de 2018 do 3º ano, destacando as interações sociais vivenciadas e visando as dificuldades enfrentadas pelas professoras no trabalho docente, apesar de possuírem a formação continuada, a psicopedagogia, no que teve o objetivo aproximar a pesquisa com a realidade. Como resultado, verificou-se, que existe muitas barreiras a serem ultrapassadas até podermos denominar de trabalho efetivo, dentro da educação inclusiva sobre o perfil desse público. Também verificada, através dos questionários, que o aluno, utiliza-se de práticas colaborativas ofertadas pela escola que incluem não apenas a professora regular, mas também da professora especialista, que atua no Atendimento Educacional Especializado (AEE), na sala de recursos e o auxílio de uma cuidadora para acompanha-lo, na aplicabilidade das atividades adaptadas, de acordo com a professora. Concluiu que apesar das professoras possuírem formação continuada sobre o assunto abordado, ainda enfrentam dificuldades no trabalho pedagógico.

Palavras-chave


Educação fundamental I; Educação inclusiva; Atendimento educacional especializado; Transtorno do espectro autista; Trabalho pedagógico.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394. Promulgada em 20 de dezembro de 1996. Brasília: Editora do Brasil, 1996.

BRASIL. Decreto nº 6.571 de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado. Presidência da República/Casa Civil/Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília. 2008.

BRASIL. Resolução nº 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Ministério da Educação/Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação Básica. 2009.

BRASIL. Lei nº. 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a política nacional de proteção dos direitos da pessoa com transtorno do espectro autista; e altera o § 3º. do art. 98 da Lei nº. 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/ _ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm. Acesso em: 13 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

CARNEIRO, R. U. C. 2012. Formação de professores da Educação especial à inclusiva – alguns apontamentos. IN: ZANIOLO, L. O.; DALL’ ACQUA, M. J. C. Inclusão Escolar: pesquisando políticas públicas, formação de professores e práticas pedagógicas. Jundiaí: Paco Editorial, 2012.

CARVALHO, R. E. Escola Inclusiva: a reorganização do trabalho pedagógico. Mediação: Porto Alegre/RS. 2008.

CUNHA, E. Autismo e inclusão: psicopedagogia e práticas educativas na escola e na família. 4 ed. Rio de Janeiro: Wak, 2012.

FARIAS, I. R.; SANTOS, A. F.; SILVA, E. B. da. Reflexões sobre a inclusão linguística no contexto escolas. In: DÍAZ, F., et al, orgs. Educação inclusiva, deficiência e contexto social: questões contemporâneas [online]. Salvador: EDUFBA, 2009, pp. 39-48. Disponível em: http://books.scielo.org/id/rp6gk/pdf/diaz-9788523209285-04.pdf. Acesso em: 17 ago. 2018.

FÁVERO, O.; FERREIRA, T. I.; BARREIROS, D. Tornar a educação inclusiva. Brasília: UNESCO, 2009.

Ferrari, P. (2007). Autismo infantil: o que é e como tratar. (Tradução Marcelo Dias Almada). São Paulo: Paulinas (Coleção caminhos da psicologia).

GLAT, R.; NOGUEIRA, M. L. L.. Políticas educacionais e a formação de professores para a educação inclusiva no Brasil. Comunicações. São Paulo, v. 10. n. 1, p. 134-141, jun. 2003. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacoes/article/view/1647. Acesso em: 27 set. 2016.

LOPES, R. P. V.; MARQUEZAN, R. O Envolvimento da Família no Processo de Integração/Inclusão do Aluno com Necessidades Especiais. Cadernos de Educação Especial, Santa Maria - RS, 2000.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E.D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: o que é, por que é? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

PAN, M. A. G. S. A deficiência Intelectual e a Educação Contemporânea. In: FACION, José Raimundo (org.). Inclusão escolar e suas implicações. Curitiba: Ibpex, 2008.

POLONIA, A.C.; DESSEN, M. A. Em busca de uma compreensão das relações entre família e escola. Psicologia Escolar e Educacional [online] Campinas, v. 9, n. 2, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pee/v9n2/v9n2a12.pdf. Acesso em: 29 out. 2018.

RODRIGUES, D.; RODRIGUES, L.L. Formação de professores e inclusão: como se reformam os reformadores? [online] Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 41, p. 41-60, jul./set. 2011. Editora UFPR. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n41/04.pdf. Acesso em: 29 out. 2018.

SAPON-SHEVIN, M. Celebrando a diversidade, baseando-se nelas. In: STAINBACK, Susan; STAINACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artmed, 1999. p. 288-305.

SILVA, A. B. B. Mundo singular: entenda o autismo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

SILVA, S. F.; ALMEIDA, A. L. Atendimento Educacional Especializado para Aluno com Autismo: Desafios e possibilidades. INTL. J. of Knowl. Eng., Florianópolis, v. 1, no 1, p. 62-88, 2012.

SILVEIRA, A. P. Alunos com déficit intelectual: O processo de inclusão nas séries iniciais do ensino fundamental. Maringá. 2008.




DOI: https://doi.org/10.30715/doxa.v20i2.12020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/

 

 

 

 

DOXA: Rev. Bras. Psicol. Educ., Araraquara, São Paulo, Brasil, e-ISSN: 2594-8385

DOI: 10.30715/doxa

Licença Creative Commons Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.