Atos de ler e brincar na universidade: uma experiência de formação de crianças, professores e acadêmicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i2.11682

Palavras-chave:

Ler, Brincar, Formação, Extensão.

Resumo

Trata sobre os atos de ler e brincar na universidade, uma experiência de formação de crianças, professores e acadêmicos do curso de Pedagogia, decorrentes de um projeto de extensão desenvolvido entre 2017 e 2018 no contexto de uma universidade pública. Destaca que as ações tiveram como foco a leitura, a brincadeira e a contação de histórias e, foram desenvolvidas por um grupo de bolsistas e voluntários vinculados ao curso de Pedagogia, bem como as crianças e professores da rede pública de ensino e filhos de funcionários da instituição. Problematiza a importância da organização de espaços de leitura e de brincar no contexto universitário, cujas práticas enriquecem a formação dos futuros profissionais e ampliam significativamente o desenvolvimento, aprendizagem, interesse e criatividade das crianças. Considera a parceria entre a universidade e a rede pública de educação como uma estratégia política e pedagógica de formação de todos os sujeitos envolvidos.

Biografia do Autor

Aliandra Cristina Mesomo Lira, Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO

Docente do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO, Guarapuava/PR; Doutora em Educação pela USP.

Marcos Gehrke, Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO

Docente do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO, Guarapuava/PR; Doutor em Educação pela UFPR.

Referências

BOSI, A. A interpretação da obra literária. In: BOSI, A. Céu, inferno. Ensaios da crítica literária e ideológica. São Paulo: Ática, 1988.

BRANDÃO, C. R. História do menino que lia o mundo. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Caderno Fazendo História, n. 7. São Paulo, 2002.

BRANDÃO, C. R. Paulo Freire, o menino que lia o mundo: uma história de pessoas, de letras e palavras. São Paulo, Editora UNESP, 2005.

BRANDÃO, C. R. História do menino que lia o mundo. São Paulo, Expressão Popular, 2014.

BROUGÈRE, G. A criança e a cultura lúdica. Rev. Fac. Educ., São Paulo, v. 24, n. 2, p. 103-116, 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-25551998000200007&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 abr. 2018.

CHAUÍ, M. Introdução à história da filosofia. Dos pré-socráticos a Aristóteles. São Paulo: Brasiliense, 1994.

FREIRE P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: 8 ed. Cortez Editora, 1984.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Ação cultural para liberdade e outros escritos. São Paulo, Paz e Terra, 2001.

GEHRKE, M. Escrever para continuar escrevendo: as práticas de escrita da Escola Itinerante do MST. Dissertação de mestrado em educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

GEHRKE, M. Contribuições da práxis para a constituição da biblioteca escolar do trabalho a partir da Educação do Campo. 2014.Tese (Doutorado em educação) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

HORN, M. da G. S. Brincar e interagir nos espaços da escola infantil. Porto Alegre: Penso, 2017.

KORCZAK, J. Quando eu voltar a ser criança. São Paulo: Summus, 1981.

NARANJO, J. Casa das estrelas. O universo contado pelas crianças. Rio de Janeiro: Foz, 2013.

RICHTER, S. R. S.; SILVA, A. A. da; FARIA, A. L. G. de. A educação encontra a arte: apontamentos político-pedagógicos sobre direitos e pequena infância. Revista Zero a Seis, Florianópolis, v. 19, n. 36, p. 235-251, jul./dez. 2017.

Publicado

01/01/2019

Como Citar

LIRA, A. C. M.; GEHRKE, M. Atos de ler e brincar na universidade: uma experiência de formação de crianças, professores e acadêmicos. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 2, p. 620–633, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i2.11682. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11682. Acesso em: 6 mar. 2021.

Edição

Seção

Relatos de Experiência