A avaliação revisitada: novos espaços do político e do pedagógico na gestão educacional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.11830

Palavras-chave:

Avaliação externa, Educação básica, Projeto político-pedagógico, Gestão educacional.

Resumo

O artigo analisa a abordagem do projeto político-pedagógico (PPP) da mantenedora de uma rede municipal no que tange à avaliação. A análise constrói-se com base nos conceitos de regulação e de qualidade, a partir de revisões documental e bibliográfica. Partindo-se de compreensões sobre as características e o contexto de elaboração do PPP, de uma rede municipal de educação. A análise articula conceitos e possibilita perceber um redimensionamento do lugar da avaliação externa, garantindo um espaço ampliado do político e do pedagógico na atuação da gestão educacional.

Biografia do Autor

Ana Cristina Ghisleni, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Gestão Educacional da Unisinos.

Daianny Madalena Costa, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Gestão Educacional da Unisinos.

Referências

ARROYO, M. G. Fracasso-sucesso: o peso da cultura escolar e do ordenamento da educação básica. In: ABRAMOWICZ, A.; MOLL, J. Para além do fracasso escolar. Campinas: Papirus, 2003.p. 11-27.

BALL, S. Entrevista. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 40, p. 11-26, dez. 2004. Entrevista concedida a Lucíola Licínio C.P. Santos.

BARROSO, J. Os novos modelos de regulação das políticas educativas na Europa: da regulação do sistema a um sistema de regulações. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 39, p. 19-28, jul. 2004.

BONAMINO, A.; SOUSA, S. Z. Três gerações da avaliação na educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 373-388, abr./jun. 2012.

COSTA, D. M. Tensões e influências no contexto das políticas de avaliação em larga escala: uma análise da participação das confederações de trabalhadores em educação do Brasil e da Argentina. 2010. 243 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo, 2010.

COSTA, D. M. Diálogos entre avaliação e o estabelecimento escolar aprendente: um princípio de insubordinação. In: WERLE, F. O. C. Avaliação em larga escala: foco na escola. São Leopoldo/RS: Oikos; Brasília: Liber Livros. 2010. p. 203–216.

COSTA, D. M.; SZATKOSKI, L. Possibilidade de avanço democrático a partir das políticas educacionais: olhares sobre a gestão municipal de Jacareí. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 159-175, jan./abr., 2015.

CÓSSIO, M. de F.; et al. Gestão educacional e reinvenção da democracia: questões sobre regulação e emancipação. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 26, n. 2, p. 325-344, maio/ago., 2010.

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação institucional: marcos teóricos e políticos. Avaliação, v. 1, n. 1, p. 15-24, 1996.

FREITAS, D. N. T. de. A avaliação da educação básica no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.

FREITAS, L. C. de. Qualidade negociada: avaliação e contra regulação na escola pública. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 911-933, Especial, out. 2005.

GHISLENI, A. C. Efeitos da política nacional de avaliação em larga escala na gestão e na prática pedagógica do Sistema Municipal de Porto Alegre (2005-2013). 2015. 172 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2015.

LIMA, L. C. Aprender para ganhar, conhecer para competir. São Paulo: Cortez, 2012.

MOTTA, C. G. L. da. et al. Carta escolar: instrumento de planejamento coletivo. In: GADOTTI, M.; ROMÃO, J. E. Autonomia da escola: princípios e propostas. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 2012. p. 57 – 73.

PERRENOUD, P. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens. Entre duas lógicas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

SMED. Carta de Princípios. Sapucaia do Sul – documento. 2017.

SAPUCAIA DO SUL. Audiência Pública. 2017. Disponível em http://www.sapucaiadosul.rs.gov.br/prefeitura-realiza-audiencia-publica-sobre-educacao/. Acesso em: 28 jun. 2018.

SAPUCAIA DO SUL. Audiência Pública. 2017a. Disponível em, http://www.sapucaiadosul.rs.gov.br/educacao-basica-foi-tema-de-audiencia-publica/. Acesso em: 28 jun. 2018.

SOUSA, S. Z.; ARCAS, P. H. Implicações da avaliação em larga escala no currículo: revelações de escolas estaduais de São Paulo. Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, v. 20, n. 35, p. 181-199, jul./dez., 2010.

Publicado

18/10/2019

Como Citar

GHISLENI, A. C.; COSTA, D. M. A avaliação revisitada: novos espaços do político e do pedagógico na gestão educacional. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 3, p. 956–972, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i3.11830. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11830. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)