Monitorização com base no currículo na escola inclusiva: adequação técnica das provas maze na triagem do risco de dislexia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp.1.13513

Palavras-chave:

Monitorização-com-base-no-currículo, Risco, Compreensão-leitora, Triagem, Provas maze.

Resumo

Neste estudo descrevem-se provas de monitorização com base no currículo (MBC) para a compreensão da leitura (MBC-Maze). Partindo-se da existência de cinco procedimentos de cotação das mesmas, e no contexto da triagem universal do Modelo de Resposta à Intervenção, realizou-se um estudo que teve por finalidade testar a administração, a cotação e a adequação técnica de uma prova de MBC-Maze na identificação de alunos em risco de apresentarem Dislexia. Assim, analisou-se o impacto dos cinco procedimentos de cotação: a) na validade concorrente da prova; b) no poder discriminativo de verdadeiros positivos (sensibilidade) e de verdadeiros negativos (especificidade) da prova. Monitorizaram-se em três momentos 82 alunos do 3.º ano de escolaridade de um agrupamento de escolas do norte de Portugal. Os dados analisados com recurso à estatística descritiva, inferencial, correlacional e à análise ROC permitem concluir que: a) os resultados obtidos na prova Maze são válidos independentemente do procedimento de cotação usado; b) no início do ano letivo não é indiferente o procedimento de cotação que é utilizado, c) a sensibilidade da prova MBC-Maze, para predizer no início do ano letivo se um aluno terá risco de vir a apresentar uma leitura muito insatisfatória no final do ano letivo variou entre 93% e 96%, consoante o procedimento de cotação. O impacto social deste estudo manifesta-se na chamada de atenção para a importância da identificação de alunos em risco de insucesso na leitura, na disseminação dum sistema de triagem rápido, fiável e económico no contexto dum modelo de Resposta à Intervenção.

Biografia do Autor

Paula Marisa Fortunato Vaz, Centro de Investigação em Educação Básica, Instituto Politécnico de Bragança - (CIEB, IPB), Campus de Santa Apolónia

Professora Adjunta, Departamento de Psicologia.

Ana Paula Loução Martins, Centro de Investigação em Educação, Universidade do Minho – (CIED, UM), Campus de Gualtar

Professora Auxiliar, Departamento de Psicologia da Educação e Educação Especial.

Referências

BRADLEY, R.; DANIELSON, L.; HALLAHAN, D. P. Specific learning disabilities: Building consensus for identification and classification. In: BRADLEY, R.; DANIELSON, L. et al., (Ed.). Identification of learning disabilities: Research to practice Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Associates, 2002.

BROWN-CHIDSEY, R.; DAVIS, L.; MAYA, C. Sources of variance in curriculum-based measures of silent reading. Psychology in the Schools, v. 40, n. 4, p. 363-377, 2003.

BROWN-CHIDSEY, R.; JOHNSON, P.; FERNSTROM, R. Comparison of Grade-Level Controlled and Literature-Based Maze CBM Reading Passages. School Psychology Review, v. 34, n. 3, p. 387-394, 2005.

BUSCH, T. W.; LEMBKE, E. S. Teaching tutorial 5: progress monitoring in reading using the CBM maze procedure. Division for Learning Disabilities of the Council for Exceptional Children, 2005.

BUSCH, T. W.; RESCHLY, A. L. Progress monitoring in reading: using curriculum-based measurement in a response-to-intervention model. Assessment for Effective Intervention, v. 32, n. 4, p. 223-230, 2007.

DAMÁZIO, M. F. M. Metodologia do serviço do atendimento educacional especializado em uma perspectiva inclusiva na escola regular. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 22, n. esp. 2, p. 840-855, dez. 2018. ISSN 1519-9029. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11916. Acesso em: 27 mar. 2020.

DENO, S. L. Curriculum-based measurement: the emerging alternative. Exceptional Children, v. 52, n. 3, p. 219-232, 1985.

DENO, S. L.; RESCHLY, A. L.; LEMBKE, E. S.; MAGNUSSON, D. et al. Developing a school-wide progress-monitoring system. Psychology in the Schools, v. 46, n. 1, p. 44-55, 2009.

ESPIN, C.; WALLACE, T.; LEMBKE, E.; CAMPBELL, H. et al. Creating a progress-monitoring system in reading for middle-school students: tracking progress toward meeting high-stakes standards. Learning Disabilities Research & Practice, v. 25, n. 2, p. 60-75, 2010.

FUCHS, D.; MOCK, D.; MORGAN, P. L.; YOUNG, C. L. Responsiveness-to-intervention: Definitions, evidence, and implications for the learning disabilities construct. Learning Disabilities Research & Practice, v. 18, n. 3, p. 157–171, 2003.

FUCHS, L. S.; FUCHS, D. The role of assessment in the three-tier approach to reading instruction. In: HAAGER, D.; KLINGNER, J. et al., (Ed.). Evidence-based reading practices for response to intervention. Baltimore, Maryland: Paul H. Brookes Publishing Co., 2007a. p. 29-42.

FUCHS, L. S.; FUCHS, D. Using CBM for progress monitoring in reading. United States Office of Special Education Program; Student Progress Monitoring, 2007b.

FUCHS, L. S.; FUCHS, D. The role of assessment within the RTI framework. In: FUCHS, D.; FUCHS, L. S. et al., (Ed.). Response to intervention: A framework for reading educators. Newark: International reading association, 2008. p. 27-49.

GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; VITTA, F. C. F. 10 anos da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva em debate: trajetória, limites e desafios. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 22, n. esp. 2, p. 711-715, dez. 2018. ISSN 1519-9029. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11968. Acesso em: 27 mar. 2020.

GRANEY, S. B.; MARTÍNEZ, R. S.; MISSALL, K. N.; ARICAK, O. T. Universal screening of reading in late elementary school: R-CBM versus CBM Maze. Remedial and Special Education, v. 31, n. 5, p. 368-377, 2010.

HALE, A. D.; HAWKINS, R. O.; SHEELEY, W.; REYNOLDS, J. R. et al. An investigation of silent versus aloud reading comprehension of elementary students using Maze assessment procedures. Psychology in the Schools, v. 48, n. 1, p. 4-13, 2011.

JENKINS, J. R.; HUDSON, R. F.; JOHNSON, E. S. Screening for at-risk readers in a response to intervention framework. School Psychology Review, v. 36, n. 4, p. 582-600, 2007.

JENKINS, J. R.; JEWELL, M. Examining the validity of two measures for formative teaching: reading aloud and maze. Exceptional Children. v. 59, n. 5, p. 421-432, 1993.

JOHNSON, E. S.; JENKINS, J. R.; PETSCHER, Y.; CATTS, H. W. How Can We improve the accuracy of screening instruments? Learning Disabilities Research & Practice, v. 24, n. 4, p. 174-185, 2009.

MACHADO, A. C.; CAPELLINI, S. A. Aplicação do modelo de tutoria em tarefas de leitura e escrita para crianças com dislexia do desenvolvimento. Revista Ibero-americana de Estudos em Educação, v. 9, n. 1, p. 35-48, 2014.

MANTOAN, M. T. E.; BAPTISTA, M. I. S. D. Inovar para fazer acontecer: como estamos fortalecendo redes de apoio à educação inclusiva. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 22, n. esp. 2, p. 763-777, dez. 2018. ISSN 1519-9029. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11911. Acesso em: 27 mar. 2020.

ONOHARA, A. M. H.; SANTOS CRUZ, J. A.; MARIANO, M. L. Educação inclusiva: o trabalho pedagógico do professor para com o aluno autista no ensino fundamental I. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, v. 20, n. 2, p. 289-304, jul. 2018. ISSN 2594-8385. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/12020. Acesso em: 27 mar. 2020.

PATRÃO, M. S. G. Monitorização com base no currciculo: Um estudo quantitativo sobre a utilização de provas maze no contexto do nível I do modelo de atendimento à diversidade. Orientadora: Ana Paula Loução Martins. 2010. (Tese de Mestrado não publicada) -, Universidade do Minho, Braga.

PESTANA, M. H.; GAGEIRO, J. N. Análise de dados para ciências sociais: a complementaridde do SPSS. Lisboa: Edições Sílabo, 2008.

PIERCE, R.; MCMASTER, K.; DENO, S. L. The effects of using different procedures to score Maze measures. Learning Disabilities Research & Practice (Blackwell Publishing Limited), v. 25, n. 3, p. 151-160, 2010.

RICHARDSON, R. D.; HAWKEN, L. S.; KIRCHER, J. Bias using Maze to predict high-stakes test performance among hispanic and spanish-speaking students. Assessment for Effective Intervention, v. 37, n. 3, p. 159-170, 2012.

SHIN, J.; DENO, S. L.; ESPIN, C. Technical adequacy of the Maze task for curriculum-based measurement of reading growth. Journal of Special Education, v. 34, n. 3, p. 164-172, Fall2000 2000. Article.

SHINN, M. R.; SHINN, M. M. AIMSweb training workbook: administration and scoring of reading curriculum-based measurement for use in general outcome measurement. 2002.

STECKER, P. M.; FUCHS, L. S.; FUCHS, D. Using curriculum-based measurement to improve student achievement: review of research. Psychology in the Schools, v. 42, n. 8, p. 795-819, 2005.

STECKER, P. M.; LEMBKE, E. S.; FOEGEN, A. Using progress-monitoring data to improve instructional decision making. Preventing School Failure, v. 52, n. 2, 2008.

STEVENSON, N. A. Comparing curriculum-based measures and extant datasets for universal screening in middle school reading. Assessment for Effective Intervention, p. 1-14, 2017.

SUCENA, A.; CASTRO, S. L. Aprender a ler e avaliar a leitura. O TIL: teste de idade de leitura. Coimbra: Almedina, 2010.

TICHÁ, R.; ESPIN, C.; WAYMAN, M. M. Reading progress monitoring for secondary-school students: reliability, validity, and sensitivity to growth of reading-aloud and maze-selection measures. Learning Disabilities Research & Practice, v. 24, n. 3, p. 132-142, 2009.

WILEY, H. I.; DENO, S. L. Oral reading and maze measures as predictors of success for english learners on a state standards assessment. Remedial & Special Education, v. 26, n. 4, p. 207-214, 2005.

Publicado

04/03/2020

Como Citar

Vaz, P. M. F., & Martins, A. P. L. (2020). Monitorização com base no currículo na escola inclusiva: adequação técnica das provas maze na triagem do risco de dislexia. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 15(esp.1), 1000–1017. https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp.1.13513

Edição

Seção

Seção Temática - Educação especial e inclusão: diálogos sobre pesquisa, políticas e práticas