Metodologia do serviço do atendimento educacional especializado em uma perspectiva inclusiva na escola regular

Mirlene Ferreira Macedo Damázio

Resumo


O presente artigo tem por objetivo dialogar sobre a educação especial em uma perspectiva inclusiva, com enfoque na metodologia do serviço de atendimento educacional especializado (AEE) em escola de ensino regular. Esta pesquisa ação crítico colaborativa, cujo objetivo é investigar cooperativamente metodologias do serviço e do ensino, procurando compreendê-los. O projeto é aplicado e desenvolvido por quatorze profissionais que atuam no AEE das escolas de Ensino Fundamental de Dourados/MS, sendo oito municipais, quatro estaduais e dois de universidade, que oferecem serviço especializado.  A pesquisa está em processo de aplicação e seus resultados são parciais. Existem muitas confusões e controvérsias sobre o “como” realizar o serviço do AEE dentro da escola comum em uma perspectiva inclusiva. Apresentamos aqui questões importantes incitadas pela primeira etapa da pesquisa envolvendo a metodologia do serviço e os equívocos sobre o AEE, a SRM e a Educação Especial.

Palavras-chave


Atendimento educacional especializado. Metodologia. Ensino regular. Inclusão.

Texto completo:

PDF XML

Referências


BRASIL. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: MEC; SEESP, 2011. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva. Acesso em: 5 de out. 2017.

BRASIL. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011, Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providencias, Brasília.

BRASIL. Lei n.º 13.146, de 6 de julho de 2015. Dispõe sobre a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 5 out. 2017.

BRONFENBRENNER, U. A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas, 1979.

CARLETTO, A.; CAMBIAGHI, S. S. Desenho universal: um conceito para todos. Prefeitura da Cidade de São Paulo/Seped/CPA. Disponível em: maragabrilli.com.br/wp-content/uploads/2016/01/universal_web-1.pdf. Acesso em: 5 out. 2017.

DAMÁZIO, M. F. M.; ALVES, C. B. Atendimento educacional especializado do aluno com surdez. São Paulo: Moderna, 2010.

FRANCO, M. A. R. S. A Pedagogia da pesquisa ação. Anais... Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, 12, 2005, Curitiba. Curitiba: Endipe, 2005.

NUNES, C.; MADUREIRA, I. Desenho universal para a aprendizagem: construindo práticas pedagógicas inclusivas. Revista Educación y Pedagogía, Universidad de Lisboa, v. 22, n. 57, p. 93-109, mayo-ago. 2010. Disponível em: https://ojs.eselx.ipl.pt/index.php/invep/article/view/84/html. Acesso em: 5 out. 2017.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.unesp.v22.nesp2.dez.2018.11916



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.