A formação docente e o tecnicismo pedagógico: um desafio para a educação contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp2.13837

Palavras-chave:

Formação docente, Correntes pedagógicas, Tecnologias na educação, Prática docente, Docência no ensino superior.

Resumo

A discussão sobre a formação docente suscita convergências e divergências entre correntes pedagógicas tecnicista e inovadora. Nesse sentido, a temática desafia educadores, especialmente aqueles que atuam na docência do Ensino Superior, a reavaliar a prática docente, pois a aprendizagem pautada em paradigmas conservadores domestifica e imobiliza os sujeitos envolvidos no processo ensino-aprendizagem, tolhendo-lhes sua rebeldia intelectual. Com base nessa premissa, este trabalho aborda a formação docente e a fragmentação do conhecimento, uma herança advinda dos paradigmas conservadores da educação, a partir das abordagens tradicional, escolanovista e tecnicista. Este trabalho oportuniza uma reflexão sobre a prática pedagógica no Ensino Superior na formação docente, e busca provocar uma discussão sobre o professor reflexivo. Além disso, o trabalho aborda o pensamento newtoniano-cartesiano, o tecnicismo, e inserção das tecnologias na educação, no intuito de problematizar as convergências e as divergências entre os paradigmas tecnicista e inovador.

Biografia do Autor

Simão Alberto, Instituto Federal Catarinense (IFC), Araquari – SC

Professor EBTT.

Reginaldo Leandro Placido, Instituto Federal Catarinense (IFC), Araquari – SC

Professor EBTTT.

Ivonete Telles Medeiros Placido, Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi), Indaial – SC

Professora. Faculdades de Educação.

Referências

BEHRENS, M.; OLIARI, A. A evolução dos paradigmas na educação: do pensamento científico tradicional à complexidade. Revista Diálogo Educacional, Curitiba: Champagnat, v.7, n.22, p. 53-66, set/dez. 2007.

BEHRENS, M.; OLIARI, A. O paradigma emergente e a prática pedagógica. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1996.

CARDOSO, C. A canção da inteireza: uma visão holística da educação. São Paulo: Sammus, 1995.

DEWEY, J. Democracia e Educação: introdução à filosofia da educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GHEDIN, E. Professor reflexivo: da alienação da técnica à autonomia crítica. In: Professor reflexivo no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

LEITE, L. et al. Tecnologia Educacional: descubra suas possibilidades na sala de aula. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2004.

KUENZER, A. Z. & MACHADO, L. R. de S. A pedagogia tecnicista. In: MELLO, G. N. (org). Escola, tecnicismo e educação compensatória. São Paulo: Loyola, 1982.

OLIVEIRA, C. Ambientes informatizados de aprendizagem: produção e avaliação de software educativo. Campinas: Papirus, 2001.

PERRENOUD, P. Práticas Pedagógicas, Profissão docente e Formação. Perspectivas Sociológicas. Lisboa: Publicações. 1993.

SÁ-FILHO, C.; MACHADO, E. de C. O computador como agente transformador da educação e o papel do objeto de aprendizagem. Disponível em: http://www.universia.com.br. Acesso em: 28 jun 2019.

SAMPAIO, M. N., LEITE, L. S. Alfabetização Tecnológica do Professor. Petropólis- RJ: Vozes, 2008.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas: Autores Associados Cortez, 2003.

SAVIANI, D., DUARTE, N. A formação humana na perspectiva histórico-ontológica. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 15, n. 45, p. 422-433 set./dez. 2010.

TESCAROLO, R. Complexidade, currículo e ética: o parto de um novo mundo. In: Revista Diálogo Educacional, Curitiba, PUC, 2007.

VASCONCELLOS, M. Pensamento sistêmico: novo paradigma da ciência. Campinas: Papirus, 2002

Publicado

26/06/2020

Como Citar

Alberto, S., Placido, R. L., & Placido, I. T. M. (2020). A formação docente e o tecnicismo pedagógico: um desafio para a educação contemporânea. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 15(esp2), 1652–1668. https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp2.13837