Educação popular e expedições pedagógicas na prática educativa do povo indígena Gamela

Direitos e resistências étnicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17iesp.2.16979

Palavras-chave:

Educação popular, Expedições pedagógicas, Povos indígenas Gamela, Piauí

Resumo

Os saberes originários e ancestrais do povo indígena Gamela, fundamentados na Educação Popular, protagonizam a luta pela permanência na terra e a autoidentificação de sua etnia, e constituem o tema central desse estudo. O questionamento de partida: como a Educação Popular contribui com processos formativos e educativos na luta do povo indígena Gamela, na comunidade Laranjeiras no Sul do Piauí? A abordagem qualitativa, a pesquisa do tipo investigação-ação participante, em Borda (1981), e a análise dialética qualificam a metodologia de descolonização do conhecimento na luta pelo direito ao território. As expedições pedagógicas reafirmam as experiências, os processos educativos e formativos do povo indígena Gamela, baseado na educação para o uso dos recursos hídricos, para o manejo sustentável das plantas nativas, como o buriti, e a luta pela posse da terra, enfatizando a diferença entre os direitos da posse da terra indígena e da terra civil, conforme prevê a constituição brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria do Socorro Pereira da Silva, Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina – PI – Brasil

Docente do curso de Licenciatura em Educação do Campo. Doutora em Educação (UFPI).

Thaynan Alves dos Santos, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Teixeira de Freitas – BA – Brasil

Mestrando em Ciências e Sustentabilidade.

José Wylk Brauna da Silva, Universidade de Brasília (UNB), Planaltina – DF – Brasil

Mestrando em Desenvolvimento Rural e Sustentabilidade.

Referências

COSTA, A. O bem viver: Uma oportunidade para imaginar outros mundos. Tradução: Tadeu Breda. São Paulo: Autonomia Literária, Elefante, 2016.

BORDA. O. F. La ciência y el Pueblo: Nuevas reflexiones sobre la investigación-acción. In: CONGRESSO NACIONAL DE SOCIOLOGIA, 3., 1981, Bogotá. Anais [...]. Bogotá, 1981. Disponível em: http://upedagogica.edu.bo/wp-content/uploads/2015/12/D.-Fals-Borda-la-ciencia-y-el-pueblo.pdf. Acesso em: 10 ago. 2021.

BORDA. O. F. Conocimiento y poder popular: Lecciones con campesinos de Nicaragua, Mexico, Colombia. Bogota: Punta de Lanza; Siglo XXI Editores, 1985.

BORDA, O. F.; MORA-OSEJO, L. E. A superação do eurocentrismo. Enriquecimento do saber sistêmico e endógeno sobre o nosso contexto tropical. In: SANTOS, B. S. (org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: Um discurso sobre as ciências sociais. São Paulo: Edições Afrontamento, 2003.

BRASIL. Fundação Nacional do Índio. Informação Técnica nº 1/2020/Segat-CR-NE-II/DIT-CR-NE-II/CR-NE-II FUNAI (SEI n°1891052). 10 mar. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREIRE, P. Por uma pedagogia da pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: Cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000

FREIRE, P. Pedagogia dos sonhos possíveis. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010: Resultados da Amostra. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default_resultados_amostra.shtm. Acesso em: 21. mar. 2022

JARDILINO, J. R. L.; SOTO-ARANGO, D. E. Paulo Freire e a Pedagogia Crítica: Seu legado para uma nova pedagogia do Sul. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. 3, p. 1072–1093, 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12472. Acesso em: 21 mar. 2022.

LEFEBVRE, H. Lógica Formal/Lógica Dialética. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1983.

LIMA, C. L. S.; NASCIMENTO, R. N. F. Boletim Estratégias de desenvolvimento, mineração e desigualdades: Cartografia social dos conflitos que atingem povos e comunidades tradicionais da Amazônia e do Cerrado / Indígenas Gamela no Cerrado piauiense. São Luís: UEMA edições; PPGCSPA; PNCSA, 2020.

MARQUES, H. J.; DUARTE, N. A pedagogia histórico-crítica em defesa de uma educação revolucionária. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. esp. 3, p. 2204–2222, 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14427. Acesso em: 20 mar. 2022.

MEDEIROS, L. B. Parceria e dissenso na Educação do Campo: Marcas e desafios na luta do MST. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul, 2010. Disponível em: http://repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/3642. Acesso em: 15

maio 2021.

OIT. Organização Internacional do Trabalho. Convenção n. 169 sobre povos indígenas e tribais e Resolução referente à ação da OIT. Brasília, DF: OIT, 2011. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Convencao_169_OIT.pdf. Acesso em: 15 abr. 2021.

PIAUÍ. Plano de desenvolvimento econômico sustentável do Piauí (PIAUÍ 2050): Macrotendências de investimento produtivo e em infraestrutura nos segmentos estratégicos. Teresina: Governo do Estado do Píaui, 2013. Disponível em: http://www.cepro.pi.gov.br/download/201608/CEPRO02_9b568b361f.pdf. Acesso: 25.mar. 2022.

RIBEIRO, L. C. S. et al. Padrões de crescimento econômico dos municípios do MATOPIBA. Rev. Econ. Sociol. Rural, v. 58, n. 3, e212613, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/resr/a/Z3vsG5Tjc5nXDJ9CT8Ld7Sv/?lang=pt. Acesso em: 12 maio 2021.

SANTOS, B. S. (org.). Semear outras soluções: Os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

SANTOS, B. S. A universidade no século XXI: Para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice: O social e o político na pós-modernidade. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

SILVA, M. S. P. Educação do Campo e o paradigma da extensão descolonial na universidade pública. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. esp. 3, p. 2382–2395, 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14447. Acesso em: 21 mar. 2022.

STRECK. D. R. et al. (org.). Educação Popular e Docência. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

Publicado

30/06/2022

Como Citar

SILVA, M. do S. P. da; SANTOS, T. A. dos; SILVA, J. W. B. da. Educação popular e expedições pedagógicas na prática educativa do povo indígena Gamela: Direitos e resistências étnicas. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. esp.2, p. 1301–1320, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17iesp.2.16979. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16979. Acesso em: 2 out. 2022.