O “intelectual orgânico” Florestan Fernandes: contribuições para a educação e para a pesquisa

Jaciara Oliveira Leite, Kátia Augusta Curado Pinheiro Cordeiro, Leila Chalub Martins

Resumo


Este texto aborda a trajetória de vida e obra do sociólogo brasileiro: Florestan Fernandes, a partir do conceito de "intelectual orgânico" de Antônio Gramsci. Tem como foco principal a identificação e análise das concepções de educação que marcaram as diferentes fases de sua produção acadêmica e ação militante. Para isso, realizou-se o estudo de textos e livros do autor, tendo como base as contribuições de Bárbara Freitag. Ao lançar olhares sociológicos para a realidade, ele também realizava ações políticas concretas em defesa da escola pública e pela democratização do acesso à Universidade, tendo em vista sua significação política no contexto da América Latina. Foi possível perceber "rupturas epistemológicas" em sua obra que se refletem também nas suas concepções de educação analisadas, quais sejam: redentora; como parte de um projeto de sociedade e com caráter não somente instrutivo, mas, também, político; educação como formação humana, para além das instituições formais.  


Palavras-chave


Educação. Pesquisa. Militância. Florestan Fernandes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n1.7870



Direitos autorais 2017 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.