Educação de jovens e adultos na Comunidade Quilombola do Cafundó

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.8845

Palavras-chave:

Cultura, Educação, Políticas, Precarização, Quilombolas

Resumo

O intuito desse artigo é discutir a educação e indicar sua precarização na Comunidade Quilombola do Cafundó, localizada em Salto de Pirapora, na região de Sorocaba (SP), Brasil. Observa-se que mesmo com bastante resistência, ainda há moradores na comunidade que primam e buscam manter acesos os costumes, sua cultura e tradições, oriundos de seus ancestrais, seja na forma de dialetos, na permanência e prática de cultos e ritos ou ainda das lendas e histórias. Verifica-se também a necessidade de implantação de novas políticas educacionais que abranjam não só o âmbito urbano, mas também todo e qualquer território – seja ele rural, de assentados ou de tribos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Oliveira Dias, USCS

Mestrando em Comunicação pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Regina Rossetti, USCS

Doutora em Filosofia pela USP, professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

Maria do Carmo Romeiro, USCS

Doutora em Administração pela Universidade de São Paulo e  professora do programa de pós graduação em Administração e do Programa de Pós-graduação em Educação, Mestrado Profissional de Gestão e Docência Educacional da Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

Referências

BOTELHO, Denise. Inclusão educacional e população negra brasileira. In: MOURA, Glória (org.). Educação quilombola, Revista Salto para o Futuro, n. 10, p. 34, 2007.

BRASIL. Portal do sítio eletrônico do Ministério da Educação – MEC. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12398%3Aeducacao-quilombola-escolas&catid=321%3Aeducacao-quilombola&Itemid=684. Acesso em: 23 set. 2015.

BRASIL. Portal do sítio eletrônico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/brasil500/negros/popnegra.html. Acesso em: 24 nov. 2015.

BRASIL. Portal do sítio eletrônico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm. Acesso em: 24 nov. 2015.

BRASIL. Portal do sítio eletrônico da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo “José Gomes da Silva” – ITESP. Disponível em: http://www.itesp.sp.gov.br/br/info/acoes/rtc/RTC_Cafundo.pdf. Acesso em: 23 set. 2015.

DIAS, Carlos Henrique Oliveira. Internet: Mocinha ou bandida? Revista do Professor, n. 99, p. 54, jul./set., 2009.

FALCÓN, Gustavo. Irmandade da Boa Morte. Revista Geledés Instituto da Mulher Negra, n. 32, ago., 2009.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Movimentos socioterritoriais e movimentos socioespaciais. Revista da UNESP, v. 3 p. 3, 2005.

FRY, Peter. Para inglês ver. Identidade e política na cultura: Mafambura e Caxapura: na encruzilhada da identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1982. p. 117-120.

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira; VEIGA, Cynthia Greive (org.). In: CUNHA, Luiz Antônio. Negros e educação no Brasil. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 325-343.

HADDAD, Sérgio; PIERRO, Maria Clara Di. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, n. 14, p, 108, mai./ago., 2000.

LIBÂNEO, José. et al. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. In: Organização administrativa, pedagógica e curricular do sistema de ensino. São Paulo: Cortez, 2006, p. 239-241.

LIBÂNEO, José. et al. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. In: Níveis e modalidades de educação e de ensino. São Paulo: Cortez, 2006, p. 251-267.

PETTER, Margarida Maria Taddoni. Línguas de ontem, falares de hoje: inventário geolinguistico. Revista Gragoatá, n. 19, p. 193, 2015.

QUILOMBOS, onde a história do povo se casa com a história da terra. Revista Fatos da Terra, n. 8, mar./abr., 2002.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. Os afro-brasileiros. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 102-08.

SEYFERTH, Giralda. A invenção da raça e o poder discricionário dos estereótipos. In: Anuário antropológico 93. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1995, p. 181-91.

VOGT, Carlos; FRY, Peter. Cafundó, a África no Brasil: linguagem e sociedade. São Paulo: Companhia das Letras, 1982.

Publicado

01/10/2018

Como Citar

DIAS, C. H. O.; ROSSETTI, R.; ROMEIRO, M. do C. Educação de jovens e adultos na Comunidade Quilombola do Cafundó. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 5, p. 1568–1579, 2018. DOI: 10.21723/riaee.unesp.v13.n4.out/dez.2018.8845. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8845. Acesso em: 3 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos