Alunos público-alvo da educação especial nas escolas do campo da região centro-oeste: análise de indicadores de matrículas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.unesp.v22.nesp2.dez.2018.11920

Palavras-chave:

Dados censitários, Educação especial, Educação do campo.

Resumo

Situando-se no conjunto das problematizações que emergem da interface entre Educação Especial e Educação do Campo, o presente artigo objetiva analisar o acesso de alunos Público-Alvo da Educação Especial (PAEE) nas escolas do campo da região Centro-Oeste, a partir de dados censitários oficiais de matrícula, no período de 2007 a 2017. Trata-se de uma pesquisa documental, tendo como fonte os microdados estatísticos do Censo Escolar, que foram lidos e tratados por meio do software IBM SPSS Statistics. Os resultados evidenciam a presença de alunos PAEE em escolas do campo do cenário investigado, cujas matrículas estão concentradas no Ensino Fundamental. Dentre o PAEE, os estudantes com deficiência intelectual apresentam maior índice de matrículas na região Centro-Oeste. Conclui-se que o aprofundamento da temática requer estudos empíricos em diversos contextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Washington Cesar Shoiti Nozu, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Professor Adjunto da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Docente do Programa de Pós-Graduação em Fronteiras e Direitos Humanos da UFGD, vinculado à Linha de Pesquisa Direitos Humanos, Cidadania e Fronteiras. Doutor e Mestre em Educação pela UFGD. Especialista em Filosofia e Direitos Humanos pela AVM Faculdade Integrada. Especialista em Educação, Licenciado em Pedagogia e Bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Vice-líder e pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Inclusiva (GEPEI/UFGD).

Aline Maira da Silva, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Doutora e mestre em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos. Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de São Carlos. Atualmente é professora da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação (GEPEI). Tem experiência na área de Educação Especial, atuando principalmente nos seguintes temas: problemas de comportamento, relação entre familiares de alunos com deficiência e escola, inclusão escolar, consultoria colaborativa escolar e deficiência intelectual.

Bruno Carvalho dos Santos, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

Estudante de Graduação do Curso de Psicologia, da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Inclusiva (GEPEI/UFGD). Desenvolve estudos e pesquisas sobre Educação Especial. Atualmente é bolsista de iniciação científica.

Referências

BRASIL. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008a.

BRASIL. Resolução n. 2, de 28 de abril de 2006. Estabelece diretrizes complementares, normas e princípios para o desenvolvimento de políticas públicas de atendimento da Educação Básica do Campo. Brasília, DF: MEC/CNE/CEB, 2008b.

CAIADO, Katia Regina Moreno.; MELETTI, Silvia Márcia Ferreira. Educação especial na educação do campo: 20 anos de silêncio no GT 15. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 17, p. 93-104, maio/ago., 2011.

GONÇALVES, Taísa Grasiela Gomes Liduenha. Alunos com deficiência na educação de jovens e adultos em assentamentos paulistas: experiências do PRONERA. 2014. 199 f. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, 2014.

INEP. Microdados. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/microdados. Acesso em: 28 ago. 2018.

JESUS, Denise Meyrelles de.; ANJOS, Christiano Félix dos. Tecendo interfaces entre a educação especial e a educação do campo: o cenário do Espírito Santo. In: XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, 2012, Campinas. Anais... Campinas: UNICAMP, 2012, p. 1820-1829.

MAINARDES, Jefferson.; MARCONDES, Maria Inês. Entrevista com Stephen J. Ball: um diálogo sobre justiça social, pesquisa e política educacional. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 106, p. 303-318, jan./abr., 2009.

MARCONI, Marina de Andrade.; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MELETTI, Silvia Márcia Ferreira.; BUENO, José Geraldo Silveira. O impacto das políticas públicas de escolarização de alunos com deficiência: uma análise dos indicadores sociais no Brasil. Linhas Críticas, Brasília, v. 17, n. 33, p. 367-383, maio/ago. 2011.

MELETTI, Silvia Márcia Ferreira; RIBEIRO, Karen. Indicadores educacionais sobre a Educação Especial no Brasil. Caderno Cedes, Campinas, v. 34, n. 93, p. 175-189, 2014.

NOZU, Washington Cesar Shoiti. Educação especial e educação do campo: entre fronteiras marginais e fronteiras culturais. 2017. 235 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dourados, 2017.

SOARES, Scheilla. Sujeitos do campo considerados deficientes: da invisibilidade ao pertencimento. 2011. 197f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2011.

Downloads

Publicado

01/12/2018

Como Citar

NOZU, W. C. S.; SILVA, A. M. da; SANTOS, B. C. dos. Alunos público-alvo da educação especial nas escolas do campo da região centro-oeste: análise de indicadores de matrículas. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 22, n. 2, p. 920–934, 2018. DOI: 10.22633/rpge.unesp.v22.nesp2.dez.2018.11920. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11920. Acesso em: 5 ago. 2021.

Edição

Seção

Artigos