Princípios gerencialistas na educação pública e a atuação do professor coordenador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v24i1.12703

Palavras-chave:

Gerencialismo, Performatividade, Educação pública, Professor coordenador.

Resumo

Este artigo representa parte de uma pesquisa de Mestrado que investiga a atuação do Professor Coordenador diante das avaliações em larga escala implementadas no Brasil a partir da década de 1990. Apresentaremos algumas discussões acerca do gerencialismo na educação pública brasileira e indicaremos algumas possíveis influências na atuação do Professor Coordenador. Para isso, dialogamos com Ball (2005a, 2005b), Ball e Youdell (2008), Fernandes (2004, 2008, 2009), Garcia, Adrião e Borghi (2009), Oliveira (2003), Paula (2005), Polato e Bertagna (2013). Com base nos apontamentos realizados podemos inferir que os princípios gerencialistas passaram a exercer influências sobre a educação pública e sobre a atuação do Professor Coordenador a partir da reforma do Estado que se iniciou na década de 1990 no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Landim, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Políticas Educacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação em larga escala, gerencialismo e privatização, atuação do Professor Coordenador e cotidiano escolar. (Fonte: Currículo Lattes)

Raquel Fontes Borghi, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista - Araraquara (1996), mestrado em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000) e doutorado pela mesma universidade (2005). É professora do Departamento de Educação da Universidade Estadual Paulista - Rio Claro; membro da equipe editorial da Revista Educação Teoria e Prática e atualmente é Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação/UNESP/Rio Claro. è pesquisadora do GREPPE (Grupo de Estudos e Pesquisas em política Educacional e atua em temas de políticas educacionais e, mais especificamente, na temática da privatização da educação.

Referências

BALL, S. J. Educação à venda. Viseu: Pretexto, 2005a.

BALL, S. J. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. In: Cadernos de Pesquisa, São Paulo, vol. 35, p. 539-564, set./dez. 2005b.

BALL, S. J.; YOUDELL, D. La privatización encubierta en la educación pública. Instituto de Educación, Universidad de Londres, 2008.

FERNANDES, M. J. S. Problematizando o trabalho do professor coordenador pedagógico nas escolas públicas paulistas. 2004. 113 p. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras - UNESP, Campus Araraquara, 2004.

FERNANDES, M. J. S. A coordenação pedagógica em face das reformas escolares paulistas (1996-2007). 2008. 282 p. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras - UNESP, Campus Araraquara, 2008.

FERNANDES, M. J. S. O professor coordenador pedagógico e a fragilidade da carreira docente. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 20., n. 44, p. 411-424, 2009. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae/article/view/2037. Acesso em: 03 janeiro 2017.

GARCIA, T. O. G.; ADRIÃO, T.; BORGHI, R. A nova gestão pública e o contexto brasileiro. In: Instituições educacionais: políticas, gestão e práticas profissionais [S.l: s.n.], 2009.

OLIVEIRA, J. C. Um estudo sobre o coordenador pedagógico: sua identidade, seu trabalho e formação continuada no cotidiano escolar. 2009. 223 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

PAULA, A. P. P. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

POLATO, A.; BERTAGNA, R. H. O uso de avaliações em larga escala como forma de aferir a qualidade da educação. In: SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO BRASILEIRA: PNE em foco: Políticas de responsabilização, regime de colaboração e Sistema Nacional de Educação, n. IV., 2013, Campinas-SP. Livro eletrônico... Campinas-SP: CEDES, 2013. v. 1. p. 12-23. Disponível em: http://www.anpae.org.br/IBERO_AMERICANO_IV/GT1/GT1_Comunicacao/AmandaPolato_GT1_integral.pdf. Acesso em: 03 janeiro 2017.

SANFELICE, J. L. Da escola estatal burguesa à escola democrática e popular: considerações historiográficas. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; NASCIMENTO, M. I. M. (Orgs.). A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 89-105.

Publicado

06/01/2020

Como Citar

LANDIM, V.; BORGHI, R. F. Princípios gerencialistas na educação pública e a atuação do professor coordenador. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 24, n. 1, p. 24–36, 2020. DOI: 10.22633/rpge.v24i1.12703. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/12703. Acesso em: 13 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos