Princípios gerencialistas na educação pública e a atuação do professor coordenador

Vanessa Landim, Raquel Fontes Borghi

Resumo


Este artigo representa parte de uma pesquisa de Mestrado que investiga a atuação do Professor Coordenador diante das avaliações em larga escala implementadas no Brasil a partir da década de 1990. Apresentaremos algumas discussões acerca do gerencialismo na educação pública brasileira e indicaremos algumas possíveis influências na atuação do Professor Coordenador. Para isso, dialogamos com Ball (2005a, 2005b), Ball e Youdell (2008), Fernandes (2004, 2008, 2009), Garcia, Adrião e Borghi (2009), Oliveira (2003), Paula (2005), Polato e Bertagna (2013). Com base nos apontamentos realizados podemos inferir que os princípios gerencialistas passaram a exercer influências sobre a educação pública e sobre a atuação do Professor Coordenador a partir da reforma do Estado que se iniciou na década de 1990 no Brasil.

Palavras-chave


Gerencialismo; Performatividade; Educação pública; Professor coordenador.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


BALL, S. J. Educação à venda. Viseu: Pretexto, 2005a.

BALL, S. J. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. In: Cadernos de Pesquisa, São Paulo, vol. 35, p. 539-564, set./dez. 2005b.

BALL, S. J.; YOUDELL, D. La privatización encubierta en la educación pública. Instituto de Educación, Universidad de Londres, 2008.

FERNANDES, M. J. S. Problematizando o trabalho do professor coordenador pedagógico nas escolas públicas paulistas. 2004. 113 p. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras - UNESP, Campus Araraquara, 2004.

FERNANDES, M. J. S. A coordenação pedagógica em face das reformas escolares paulistas (1996-2007). 2008. 282 p. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras - UNESP, Campus Araraquara, 2008.

FERNANDES, M. J. S. O professor coordenador pedagógico e a fragilidade da carreira docente. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 20., n. 44, p. 411-424, 2009. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae/article/view/2037. Acesso em: 03 janeiro 2017.

GARCIA, T. O. G.; ADRIÃO, T.; BORGHI, R. A nova gestão pública e o contexto brasileiro. In: Instituições educacionais: políticas, gestão e práticas profissionais [S.l: s.n.], 2009.

OLIVEIRA, J. C. Um estudo sobre o coordenador pedagógico: sua identidade, seu trabalho e formação continuada no cotidiano escolar. 2009. 223 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

PAULA, A. P. P. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

POLATO, A.; BERTAGNA, R. H. O uso de avaliações em larga escala como forma de aferir a qualidade da educação. In: SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO BRASILEIRA: PNE em foco: Políticas de responsabilização, regime de colaboração e Sistema Nacional de Educação, n. IV., 2013, Campinas-SP. Livro eletrônico... Campinas-SP: CEDES, 2013. v. 1. p. 12-23. Disponível em: http://www.anpae.org.br/IBERO_AMERICANO_IV/GT1/GT1_Comunicacao/AmandaPolato_GT1_integral.pdf. Acesso em: 03 janeiro 2017.

SANFELICE, J. L. Da escola estatal burguesa à escola democrática e popular: considerações historiográficas. In: LOMBARDI, J. C.; SAVIANI, D.; NASCIMENTO, M. I. M. (Orgs.). A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 89-105.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v24i1.12703



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.