Construção colaborativa de um plano de ação para a Educação Inclusiva: como a experiência educacional Finlandesa pode rechear esse processo?

Autores

  • Renato Aparecido De Souza Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
  • Grasiane Cristina da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
  • Matheus Batista Barboza Coimbra Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.nesp1.v13.2018.11457

Palavras-chave:

Sistema educacional finlandês, Metodologias ativas, Educação inclusiva.

Resumo

O presente artigo aborda o uso das metodologias ativas, aprendizagem baseada em projetos e aprendizagem centrada no estudante, as quais se contextualizam com a Educação Finlandesa, em prol da organização e construção de um Plano de Ação acerca da Educação Inclusiva. É apresentada uma rotina pedagógica para um período de quatro horas com uso de estratégias educacionais para a promoção da discussão da Educação Inclusiva. Aproximadamente 160 servidores (professores e técnicos administrativos) do Instituto Federal do Sul de Minas Gerais, campus Muzambinho, desenvolveram um documento oficial com 8 dimensões (Gestão Escolar; Prática pedagógica; Avaliação; Acesso, Permanência e Sucesso na escola; Ambiente educativo; Formação dos profissionais do campus; Relação Escola-Família; e Integração Escola-Trabalho) em uma plataforma digital (Padlet). Ao final, os resultados puderam subsidiar futuras ações institucionais para a Educação Inclusiva. Além disso, perceber mesmo que subjetivamente o olhar de contentamento de grande parte dos servidores em reconhecer que cada um teve papel fundamental no documento implica em acreditar que é possível alterar algumas rotinas educacionais com o uso das bem-sucedidas experiências finlandesas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Aparecido De Souza, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)

Professor e participante dos programas Professores para o Futuro (VET) e Finish Train the Trainers.

Grasiane Cristina da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)

Membros do Núcleo de Apoio as Pessoas com Necessidades Especiais (NAPNE).

Matheus Batista Barboza Coimbra, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)

Membros do Núcleo de Apoio as Pessoas com Necessidades Especiais (NAPNE).

Referências

BRANDÃO, Z. (Org). A crise dos paradigmas e a educação. 10 ed. São Paulo: Cortez. 2005.

MALLINEN, S.; PROKKI C. (Org). “Eu não sou um professor, sou um Educador” – Finnish education meets Brazilian creativity. Tampere: Kirjapaino Hermes Oy. 2016.

Downloads

Publicado

30/04/2018

Como Citar

DE SOUZA, R. A.; SILVA, G. C. da; COIMBRA, M. B. B. Construção colaborativa de um plano de ação para a Educação Inclusiva: como a experiência educacional Finlandesa pode rechear esse processo?. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. esp.1, p. 576–585, 2018. DOI: 10.21723/riaee.nesp1.v13.2018.11457. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11457. Acesso em: 21 out. 2021.

Edição

Seção

Relatos de Experiência