As formas de privatização no Brasil e no Chile e as implicações para a democratização da educação pública

Alejandra Falabella, Daniela de Oliveira Pires, Vera Maria Vidal Peroni

Resumo


Este artigo apresenta alguns elementos para o debate sobre as formas de implementação dos processos de privatização no Brasil e no Chile e as consequências para a democratização da educação pública. O período histórico definido para o estudo corresponde ao final dos estágios ditatoriais e à construção da chamada justiça de transição, o que pressupõe a formulação de políticas de memória e verdade, justiça, reparação e a reforma das instituições políticas. A metodologia utilizada para o desenvolvimento do estudo foi a análise bibliográfica. Considerando as especificidades de cada realidade estatal ora analisada, buscou-se constatar os avanços, limites e possibilidades no fortalecimento do papel do estado na promoção da educação pública, considerando o nível de amadurecimento democrático e o fortalecimento das estratégias privatizantes.

Palavras-chave


Privatização; Ditadura; Transição democrática; Educação pública.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


BRASIL. Lei nº. 6.683, de 17 de agosto de 1979. Concede a anistia e dá outras providências.

BERNARDI. L. M.; UCZACK, L. H.; ROSSI, A. J. Relações do Movimento Empresarial na Política Educacional Brasileira: a discussão da Base Nacional Comum. Currículo Sem Fronteiras, v. 18, n.1, p. 29, 2018.

CARRASCO, A. et al. Políticas de Admisión, Evolución Composicional y Efectividad Escolar de Escuelas ante la Reciente Institucionalidad que Prohíbe Seleccionar Alumnos. Informe FONIDE. Santiago: MINEDUC. 2013.

CORVALÁN, J., CARRASCO, A., & GARCÍA-HUIDOBRO, J. E. (Eds.). Mercado escolar y oportunidad educacional: libertad, diversidad y desigualdad. Santiago: Ediciones Universidad Católica de Chile, Ediciones UC, 2016.

DAUER, Gabriel Roberto. Marcas da Memória: Justiça de Transição no Brasil e no Chile. Revista de Iniciação Científica em Relações Internacionais. RICRI, v. 3, n. 6, p. 9-34, 2016.

ELAQUA, G.; MARTÍNEZ, M.; SANTOS, H. Lucro y educación escolar. Claves para Políticas Públicas, n. 1, 2011.

FALABELLA, A. El mercado escolar en Chile y el surgimiento de la Nueva Gestión Pública: El tejido de la política entre la dictadura neoliberal y los gobiernos de la centroizquierda (1979 a 2009). Educação & Sociedade, 36(132), 699-722. 2015.

FALABELLA, A. La seducción por la hipervigilancia en la educación chilena: Simce, rendición de cuentas y Sistema de aseguramiento de la calidad (1979 a 2011). En: RUIZ, F. Herrera; L. Reyes (editores). La privatización de lo público en la educación escolar. El caso de Chile en perspectiva comparada (en prensa). Santiago, Chile: LOM; 2019.

FALABELLA, A.; DE LA VEGA, F. Políticas de responsabilización por desempeño es- colar: Un debate a partir de la literatura internacional y el caso chileno. Revista Estudios Públicos, XLII (2), 395-413, 2016.

FERNANDES, F. A Revolução Burguesa no Brasil. São Paulo: Globo, 2005.

MÉSZÁROS, I. Para além do Capital. São Paulo: Boitempo Editorial; Campinas: Editora da UNICAMP. 2002.

MINEDUC. Compendio Estadístico. Santiago: Centro de Estudios, MINEDUC, 2014.

MINEDUC. Indicadores de la Educación en Chile 2010-2016. Santiago: Centro de Estudios, MINEDUC. 2018.

NÚÑEZ, I. (1997). Historia reciente de la educación chilena. Documento de Trabajo. 2014.

ORELLANA, V. (Ed.). Entre el mercado gratuito y la educación pública. Santiago: LOM. 2018.

PERONI, V. Implicações da relação público-privada para a democratização da educação no Brasil. In: PERONI, V. (Org.). Diálogos sobre as redefinições no papel do Estado e nas fronteiras entre o público e o privado na educação. São Leopoldo: Oikos, p. 15-34, 2015.

PERONI, V.; OLIVEIRA, C. O marco regulatório e as parcerias público-privadas no contexto educacional. Revista Práxis Educacional, v. 15, n. 31, jan./mar. 2019.

PINOCHET, A. “Carta al Ministro. Aspectos Fundamentales en la Revisión del Proceso Educacional.” Diario El Mercurio, 6 de marzo, p.I-II., 1979.

PIRES, D. O. A construção histórica da relação público-privada na promoção do direito à educação no Brasil. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

QUINALHA, R H. Justiça de Transição - contornos do conceito. São Paulo: Outras Expressões, 2013.

SUSIN, Maria Otilia. A qualidade na educação infantil comunitária em Porto Alegre: estudo de caso em quatro creches conveniadas. 2009. 363 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.3.12765



Direitos autorais 2019 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.