Diários de formação: potencialidades para a ampliação dos letramentos acadêmicos e pedagógicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16i4.14263

Palavras-chave:

Diários de Formação, Letramentos acadêmicos, Letramentos pedagógicos, Formação inicial, Docência

Resumo

O presente artigo tem por objetivo discorrer acerca das contribuições dos diários de formação como estratégia metodológica para a ampliação dos letramentos acadêmicos e dos letramentos pedagógicos. O artigo ensaístico aqui empreendido trata da articulação entre a formação docente e o conceito de letramentos, buscando considerar a relevância de um percurso formativo que promova uma compreensão ativa responsiva dos discursos acerca do processo educativo e dos dizeres institucionalizados sobre as práticas pedagógicas. A partir de uma pesquisa teórica, os resultados apontam para a relevância dos diários de formação como potencializadores dos processos de investigação-reflexão-ação necessários à constituição da docência no contexto da formação inicial, ampliando as possibilidades de letramentos acadêmicos e letramentos pedagógicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Maria Ferreira, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras – MG

Professora do Programa de Pós-graduação em Educação e do Programa de Pós-graduação em Letras, Departamento de Estudos da Linguagem. Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC/SP).

Francine de Paulo Martins Lima, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras – MG

Professora da Graduação e do Programa de Pós-Graduação em Educação, Departamento de Educação. Doutorado em Educação (Psicologia da Educação) (PUC/SP).

Gláucia Signorelli, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Ituiutaba – MG

Professora da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP). Doutorado em Educação (Psicologia da Educação) (PUC/SP).

Referências

ALARCÃO, I. Ser professor reflexivo. In: ALARCÃO, I. (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Porto Editora, 1996. p. 171-189.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental: Matemática. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.

COLAÇO, S. F. FISCHER, A. Letramentos acadêmicos em um programa de iniciação à docência: modos de interação em práticas pedagógicas. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 18, n. 1, p. 99-123, jan./jun. 2015.

COSTA, M. H. B.; PAIXÃO, F.; MORGADO, M. Diário de formação – uma estratégia formativa. Educare/Educere: Revista da Escola Superior de Educação, ano V, n. esp., p. 179-199, 2001.

FIAD, R. S.; SILVA, L. L. M. Escrita na formação docente: relatos de estágio. Acta Scientiarum. Language and Culture, Maringá, v. 31, n. 2, p. 123-131, 2009. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciLangCult/article/view/3600. Acesso em: 13 set. 2020.

FUJIKAWA, M. M. O Registro como pretexto e como objeto de reflexão da prática pedagógica: um exercício de parceria entre coordenadora e professores. 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2004.

GATTI, B. A. et al. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

GERALDI, J. W. A aula como acontecimento. São Carlos: Pedro e João Editores, 2010.

GÖRGEN, N. Encontros com a artescrita: composições com as alunas de Curso Normal. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

HERBERTZ, D. H.; VITORIA, M. I. C. Os diários de aula como possibilidade de qualificação profissional dos professores em formação no ensino superior. Revista Prâksis, Feevale, ano VII, v. 1, p. 37-44, jan. 2010. Disponível em: https://periodicos.feevale.br/seer/index.php/revistapraksis/article/view/684. Acesso em: 20 set. 2020.

LEMKE, J. Multimedia Literacy Demands of the Scientific Curriculum. Linguistics and Education, v. 10, n. 3, p. 247-271, 2000.

MACHADO, A. R. O diário de leituras: introdução de um novo instrumento na escola. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MACHADO, A. R.; LOUSADA, E. G. As pesquisas do grupo ALTER-LAEL para a análise do trabalho educacional. Cad. psicol. soc. trab., São Paulo, v. 16, n. esp., p. 35-46, 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-37172013000300005. Acesso em: 02 set. 2020.

MELO, L. C.; GONCALVES, A. V.; SILVA, W. R. Escrita acadêmica na escrita reflexiva profissional: citações de literatura científica em relatórios de estágio supervisionado. Bakhtiniana, Rev. Estud. Discurso, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 95-119, jun. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732013000100007. Acesso em: 23 ago. 2019.

MOTTA-ROTH, D. Desenvolvimento do letramento acadêmico por engajamento em práticas sociais na universidade. In: VIAN JR. O.; CALTABIANO, C. (org.). Língua(gem) e suas múltiplas faces: estudos em homenagem a Leila Bárbara. São Paulo: Mercado de Letras, 2013.

NOVÓA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2009.

PEREIRA, R. C. M. Abordagem didática e formativa na escrita acadêmica. In: PEREIRA, R. C. M. Escrita na Universidade: panoramas e desafios na América Latina. João Pessoa: EDUFPB, 2019. v. 1, p. 241-259. Disponível em: http://www.editora.ufpb.br/sistema/press5/index.php/UFPB/catalog/view/223/72/860-1. Acesso em: 02 set. 2020.

PEZZATO, J. P. Narrativa em cursos de formação de professores: o que os alunos da Geografia registram? In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE PESQUISA (AUTO)BIOGRÁFICA, 4., 2010, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: FEUSP - Biograph, 2010. v. 1.

PIMENTA, S. G. Formação de professores – saberes da docência e identidade do professor. Rev. Fac. Educ., São Paulo, v. 22, n. 2, p. 72-89, jul./dez. 1996. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-25551996000200004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 20 ago. 2020.

PLACCO, V. M. N. S. Formação e prática do educador e do orientador. Campinas: Papirus, 1994.

SCHÖN, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e a sua formação. Trad. Graça Cunha, Cândida Hespanha, ConceiçãoAfonso e José António Sousa Tavares. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992. p. 77-91.

SENA, F. C.; ALBUQUERQUE, J. T. P. J. Processos identitários de docentes universitários: espaço e tempo de formação. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 15, n. esp. 2, p. 1585-1599, ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15iesp2.13831

SIGNORELLI, G. O diário de campo como ferramenta de apoio ao processo de aprender a ser professor. In: ANDRÉ, M. (org.) Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas, SP: Papirus, 2016, p. 121-145.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

WARSCHAUER, C. A roda e o registro. Rio de Janeiro, 1993.

ZABALZA, M. Diários de Aula: contributo para o estudo dos dilemas práticos dos professores. Trad. José Augusto Pacheco e José Machado. Portugal: Porto Editora, 1994.

ZABALZA, M. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ZEICHNER, K. M. Uma análise crítica sobre a reflexão como conceito estruturante na formação docente. Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 103, p. 535-554, maio/ago. 2008.

Downloads

Publicado

21/10/2021

Como Citar

FERREIRA, H. M.; LIMA, F. de P. M.; SIGNORELLI, G. Diários de formação: potencialidades para a ampliação dos letramentos acadêmicos e pedagógicos. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. 4, p. 2473–2487, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16i4.14263. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/14263. Acesso em: 22 jan. 2022.