Tecnologia assistiva e inclusão escolar: mediação e autonomia em questão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v16iesp.4.16065

Palavras-chave:

Tecnologia assistiva, Mediação, Autonomia, Teoria histórico-cultural, Inclusão

Resumo

Este artigo tem como objetivo contribuir para a inclusão de alunos com deficiência, com base na análise e discussão de dois casos em que a mediação no uso de Tecnologia Assistiva (TA) potencializou a aprendizagem e a constituição da autonomia. São utilizados diários de campo construídos ao longo de reuniões na escola e registros escolares como fontes de dados. Os diários permitem acessar narrativas orais que emergem espontaneamente no cotidiano escolar. O primeiro caso retrata a dificuldade de um menino com deficiência física, no uso de sua cadeira de rodas. O segundo caso refere-se à interação comunicativa de um menino com Transtorno do Espectro Autista. O modo como a criança se apropria da TA, significa suas vivências cotidianas e constitui sua relação com os objetos e com os outros, possibilita que movimentos em direção à autonomia sejam construídos. O processo, porém, depende da mediação na interação com elementos culturalmente criados e com sujeitos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Alquati Bisol, Universidade de Caxias do Sul (UCS), Caxias do Sul – RS

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Psicologia (UFRGS).

Carla Beatris Valentini, Universidade de Caxias do Sul (UCS), Caxias do Sul – RS

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutorado em Informática na Educação (UFRGS).

Referências

BARBOSA, M. O.; FUMES, N. de L. F. Pontos e contrapontos no universo do atendimento educacional especializado para educandos com transtorno do espectro autista. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. esp.1, p. 467-477, 2016. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8567. Acesso em: 28 ago. 2021.

BISOL, C. A.; PEGORINI, N.N.; VALENTINI, C. B. Pensar a deficiência a partir dos modelos médico, social e pós-social. Cadernos de Pesquisa, p. 87-100, 2017. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/6804. Acesso em: 07 jun. 2021.

BOGDAN, R.; BIKEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. 12. ed. Porto: Porto, 2003.

BOSA, C. Atenção compartilhada e identificação precoce do autismo. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 15, n. 1 p. 77-88, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-79722002000100010

CARROS. J. L. (direção e produção). Pixar Animation Studios, Estados Unidos da América, 2006.

DINIZ, D.; BARNES, C. Deficiência e políticas sociais – entrevista com Colin Barnes. Ser Social, Brasília, v. 15, n. 32, p. 237-251, jan./jun. 2013. Disponível em: http://seer.bce.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/9514/7088. Acesso em: 10 out. 2020.

HEMMINGSSON, H.; LIDSTRÖM, H.; NYGÅRD, L. Use of assistive technology devices in mainstream schools: students’ perspective. American Journal of Occupational Therapy, v. 63, n. 4, p. 463-472, 2009. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Helena-Hemmingsson/publication/258225030_Assistive_technology_devices_in_educational_settings_Students'_perspective/links/0c96052776895e395e000000/Assistive-technology-devices-in-educational-settings-Students-perspective.pdf. Acesso em: 23 jul. 2021.

MAINARDI, M. Nei risvolti dei paesaggi sonori fra accessi e inclusività. Métis: história & cultura, v. 16, n. 32, 2017. Disponível em: https://paesaggisonori.supsi.ch//wp-content/uploads/sites/3/pubblicazioni/metis_nei-risvolti-dei-paesaggi-sonori.pdf. Acesso em: 11 nov. 2020.

MARTINS, L. M.; RABATINI, V. G. A concepção de cultura em Vigotski: contribuições para a educação escolar. Rev. psicol. polít., São Paulo, v. 11, n. 22, p. 345-358, dez. 2011. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/277258876_A_concepcao_de_cultura_em_Vigotski_contribuicoes_para_a_educacao_escolar. Acesso em: 05 maio 2021.

MENDES, E. G. A política de educação inclusiva e o futuro das instituições especializadas no Brasil. Archivos Analíticos de Políticas Educativas= Education Policy Analysis Archives, v. 27, n. 1, p. 105, 2019. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=7434605. Acesso em: 05 maio 2021.

PAPE, T. L.-B.; KIM, J.; WEINER, B. The shaping of individual meanings assigned to assistive technology: a review of personal factors. Disability and rehabilitation, v. 24, n. 1-3, p. 5-20, 2002. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09638280110066235. Acesso em: 06 maio 2021.

PASSERINO, L. M. Pessoas com autismo em ambientes digitais de aprendizagem: estudos dos processos de interação social e mediação. Orientadora: Lucila M. C. Santarosa, Co-orientadora: Liane Tarouco. 2005. Tese (Doutorado em Informática na Educação) –Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

PASSERINO, L. M.; AVILA, B. G.; BEZ, M. R. SCALA: um Sistema de Comunicação Alternativa para o Letramento de Pessoas com Autismo. RENOTE, v. 8, n. 2, 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/15224. Acesso em: 05 jun. 2021.

PASSERINO, L. M.; BEZ, M. R.; VICARI, R. M. Formação de professores em comunicação alternativa para crianças com TEA: contextos em ação. Revista Educação Especial, v. 26, n. 47, p. 619-638, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/10475. Acesso em: 15 jun. 2021.

RUSHTON, S. P. Cultural assimilation: A narrative case study of student-teaching in an inner-city school. Teaching and Teacher Education, v. 17, n. 2, p. 147-160, 2001. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0742051X00000482?casa_token=eeXQiM9Nj08AAAAA:jMIY9P-OsDFRLdpfAAK-IAk6CT30h-A7IqIyppZk3J9zSy11oqI_AwjgJNKmt8PDeMXrFc_rZuo. Acesso em: 21 ago. 2021.

SANTOS, W. R. Pessoas com deficiência: nossa maior minoria. Physis: revista de saúde coletiva, v. 18, p. 501-519, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/physis/a/SDWpCmFGWGn69qtRhdqqGSy/abstract/?lang=pt. Acesso em: 07 jul. 2021.

SILVA, S. M. C.; ALMEIDA, C. M. C.; FERREIRA, S. Apropriação cultural e mediação pedagógica: contribuições de Vigotski na discussão do tema. Psicologia em estudo, v. 16, p. 219-228, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pe/a/6nghst5bhQ4P4qp3FTSxP5d/abstract/?lang=pt. Acesso em: 22 jun. 2021.

TOMASELLO, M. Origens culturais da aquisição do conhecimento humano. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

ZANELLA, A. V. et al. Doce, pirâmide ou flor?: o processo de produção de sentidos em um contexto de ensinar e aprender. Interações, São Paulo, v. 9, n. 17, p. 91-108, jun. 2004. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-29072004000100006. Acesso em: 15 jul. 2021.

Publicado

30/12/2021

Como Citar

BISOL, C. A.; VALENTINI, C. B. Tecnologia assistiva e inclusão escolar: mediação e autonomia em questão. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 16, n. esp.4, p. 3020–3033, 2021. DOI: 10.21723/riaee.v16iesp.4.16065. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16065. Acesso em: 26 maio. 2024.