Baixo rendimento escolar e progressão continuada: concepções de alunos, professores e responsáveis

Autores

  • Keila Hellen Barbato Marcondes
  • Silvia Regina Ricco Lucato Sigolo

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v3i.2681

Palavras-chave:

Baixo rendimento escolar, Progressão continuada, Ensino fundamental,

Resumo

Este trabalho objetiva analisar as concepções de professoras, crianças e adultos responsáveis por crianças sobre as temáticas de rendimento escolar e Progressão Continuada. O referencial teórico adotado é a perspectiva bioecológica de Bronfenbrenner. O estudo ocorre em uma cidade do interior de São Paulo/ Brasil, tendo como sujeitos seis famílias e seis crianças - que estavam no final do ciclo I do Ensino Fundamental e que apresentavam um baixo rendimento escolar - e suas respectivas professoras. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas e observações do cotidiano escolar. As análises indicam que professoras, alunos e responsáveis sofrem com o baixo rendimento da criança, apesar de demonstrarem diferentes concepções e ações frente a essa realidade. Quanto à progressão continuada, podese afirmar que as docentes discordam de tal política, afirmando que foi implantada autoritariamente. Por outro lado, pode-se constatar que adultos responsáveis e crianças não possuem informações sobre a progressão continuada e apontam como negativa a promoção automática que vem ocorrendo no processo de escolarização. Cabe destacar que é evidente a divergência de informações entre as instâncias familiares e escolares, o que indica a necessidade de refletir sobre essa interconexão e buscar novas formas de relações.

Downloads

Publicado

25/05/2010

Como Citar

MARCONDES, K. H. B.; SIGOLO, S. R. R. L. Baixo rendimento escolar e progressão continuada: concepções de alunos, professores e responsáveis. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 3, p. 48–58, 2010. DOI: 10.21723/riaee.v3i.2681. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/2681. Acesso em: 26 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos