Trabalho: dimensões, significados e ampliação do conceito

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n2.8356

Palavras-chave:

Trabalho. Sociedade capitalista. Restruturação produtiva.

Resumo

Este artigo objetiva a realização de reflexões teóricas em torno do significado e a função do trabalho na sociedade. Uma visita aos clássicos, sobretudo Emile Durkheim e Karl Marx, permite problematizar as conotações assumidas pelo trabalho, perpassando uma trajetória histórica do trabalho até apontar algumas das contradições do modo de produção capitalista. Ao elucidar aspectos da reestruturação produtiva traz à tona possibilidades de debate acerca do processo de desconstrução e ampliação do próprio conceito de trabalho. A necessidade de refletir sobre o trabalho é fundamental para compreender as modificações e contradições assumidas enquanto categoria teórica e experiência prática no decorrer da história da humanidade. Se a análise decorrer dos princípios relativos aos sistemas de produção e reprodução da sociedade, certamente será possível perceber com maior clareza os motivos que conduziram e conduzem às recorrentes transformações no mundo do trabalho. As condições necessárias para exercer o trabalho ou demandadas a partir da sua realização também se modificam de acordo com o contexto econômico, histórico, político, social e cultural em que vivem os homens em sociedade.

Biografia do Autor

Viviane Nascimento Silva, Instituto Federal da Bahia - IFBA

Doutoranda e Mestre em Desenvolvimento Social pela Universidade Estadual de Montes Claros / Unimontes - MG. Especialista em Sociologia e Política e Bacharel em Ciências Sociais pela mesma universidade. Professora de Sociologia do Trabalho no Instituto Federal da Bahia - IFBA. Realiza pesquisas na área de Sociologia, Trabalho, Educação e Formação Profissional, além de discussões no campo de Infância, violência e Televisão. Produz no campo da epistemologia do conhecimento e metodologia de pesquisa.

Gilmar Ribeiro dos Santos, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1989), mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais (1996) e doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2003). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual de Montes Claros. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Ciência Política, atuando principalmente nos seguintes temas: trabalho, pobreza, políticas públicas, socialização e programa bolsa família.

Sarah Jane Alves Durães, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Montes Claros (1985), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1994), Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2002) e realizou estância pós-doutoral na Universidad de Barcelona (2006). Foi pesquisadora visitante na Universidad Autònoma de Barcelona, através de bolsa de pesquisa da Fundación Carolina/Espanha, em 2009. É professora do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros. Atualmente encontra-se como pesquisadora visitante no Instituto Milá y Fontanals, Consejo Superior de Investigaciones Cientificas, Barcelona/ES. Em linhas gerais, a produção abrange as temáticas relacionadas ao trabalho, educação e gênero.

Referências

ALBORNOZ, Suzana. O que é trabalho. Coleção Primeiros Passos. Editora Brasiliense. São Paulo, 2005.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 8. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2002.

BERNARDO, João. A produção de si mesmo. Educação em Revista. nº. 10 Belo Horizonte, UFMG. 1989. p..3-17. Disponível em: <http://educa.fcc.org.br/pdf/edur/n09/n09a02.pdf>. Acesso em 20 jul. 2013.

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e gerência. In: Trabalho e capital monopolista. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987. P.47-134. (I Parte).

BRAVERMAN, Harry. Nota final sobre qualificação. In: Trabalho e capital monopolista. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987. p.359-379.

DURKHEIM, Emile. Métodos para determinar essa função. In: A divisão do trabalho social. São Paulo: Martins Fontes, 1999. p. 13-37.

DURKHEIM, Emile. A solidariedade devida à divisão do trabalho ou orgânica. In: A divisão do trabalho social. São Paulo: Martins Fontes, 1999. p. 85-109.

FORD, Henry. Minha vida e minha obra. Rio de Janeiro: Brand, s.d.

FERNANDES, Luís. Neoliberalismo e Reestruturação Capitalista. In: SADER, Emir, GENTILI, Pablo. Pó-Neoliberalismo – as políticas sociais e o estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995. PP.54-61.

IANNI, O. Teorias da globalização. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

IANNI, Otávio. O Mundo do Trabalho. In: Revista Perspectiva. São Paulo, Fundação SEADE, Vol. 08, Nº l, l994.

MARX, Karl. Processo de trabalho e processo de produzir mais valia. In: O capital. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.p.201-223.

MARX, Karl. Divisão do trabalho e manufatura. In: O capital. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.p.386-.422.

POCHMANN, Márcio (2012). Classes do Trabalho em Mutação. Rio de Janeiro, Revan.

TAYLOR, Frederick. Princípios da racionalidade científica. 7.ed. São Paulo: Atlas,n 1980.

TOLEDO, Enrique de la Garza (2011). Hacia un concepto ampliado de trabajo: Del concepto clásico al no clásico In. El mundo del trabajo en América Latina. México, 2010 pp.111-140; Barcelona, Anthropos Editorial, 2011.157p

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização - do pensamento único à consciência universal. São Pauto: Record, 2000.

Downloads

Publicado

04/03/2017

Como Citar

Silva, V. N., Santos, G. R. dos, & Durães, S. J. A. (2017). Trabalho: dimensões, significados e ampliação do conceito. Revista Ibero-Americana De Estudos Em Educação, 12(esp.), 739–754. https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n2.8356

Edição

Seção

Artigos