A categoria marxista conteúdo e forma na leitura literária

Autores

  • Sandra Aparecida Pires Franco Universidade Estadual de Londrina - UEL
  • Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto UNESP - Marília

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8776

Palavras-chave:

Obra literária. Conteúdo e forma. Leitura literária. Categoria marxista.

Resumo

Este estudo analisa a obra Noite na taverna, de Álvares de Azevedo, em adaptação publicada em 2013. O objetivo da pesquisa foi o de perceber a relação da categoria marxista conteúdo e forma presente na obra. Para o desenvolvimento do trabalho, utilizou-se a metodologia de pesquisa bibliográfica com abordagem crítico-dialética. A análise permite afirmar que a relação conteúdo e forma são elementos indissociáveis em uma obra literária e favoráveis para o desenvolvimento da formação de futuros leitores.

Biografia do Autor

Sandra Aparecida Pires Franco, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Docente do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Estadual de Londrina

Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto, UNESP - Marília

Docente do Programa de pós-Graduação em Educação da UNESP de Marília

Referências

AMORA, Antônio Soares. Introdução à teoria da literatura. SP: Ed. Cultrix, 2004.

ARENA, Dagoberto Buim. A literatura infantil como produção cultural e como instrumento da iniciação da criança no mundo da cultura escrita. IN: SOUZA, Renata Junqueira de. et al. Ler e compreender: estratégias de leitura. Campinas, SP: Mercado de letras, 2010.

AZEVEDO, Álvares. Noite na taverna. Adaptação de Carlos Patati. SP: Editora DCL, 2013.

CHEPTULIN, Alexandre. A dialética materialista. SP: Editora Alfa-ômega, 1982.

COSTA, Larissa Quachio. Ensino de literatura: possível humanização do indivíduo no contexto da atual sociedade, 2014. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar). Universidade Estadual paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Ciências e Letras (Campus Araraquara).

DUARTE, Newton. et al. O marxismo e a questão dos conteúdos escolares. IN: Anais Eletrônicos do IX Seminário nacional de Estudos e pesquisas “História, Sociedade e Educação no Brasil”. UFPA – João Pessoa, p. 3953-3979, 2012.

DUARTE, Newton. et al. O ensino da recepção estético-literária e a formação humana. Eccos – Rev. Científica, SP, n. 28, p. 31- 48. maio/ago. 2012.

GAMBOA, Sílvio Sánchez. Epistemologia da pesquisa em educação. Tese de Doutorado. Universidade UNICAMP. SP: Campinas, 1998.

GOLDMANN, Lucien. Dialética e cultura. RJ: Paz e Terra, 1979.

LUKÁCS, Georg. Introdução a uma estética marxista. Sobre a particularidade como categoria estética. RJ: Civilização Brasileira, 1970.

LUKÁCS, Georg. Estética: la peculariedad de lo estético. v. 1. Barcelona Grijalho, 1966a.

LUKÁCS, Georg. Estética: la peculariedad de lo estético. v. 2. Barcelona Grijalho, 1966b.

MARX, Karl. Introdução – I Produção, consumo, distribuição, troca (circulação). O Método da economia política. In: Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1958: esboços da crítica da economia política. Tradução Márcio Duayer e Nélio Scheider. SP: Boitempo; RJ: Ed. UFRJ, 2011.

SALES, Rafael dos Santos. A sociologia da literatura de Georg Lukács. Revista Senso Comum, n. 1, p.67-75, 2009.

VIGOSTKY, Lev Semenovitch. Psicologia da arte. SP: Martins Fontes, 1999.

VIGOTSKY, Lev Semenovitch. Obras escogidas. Tomo I. Madri, Visor, 1991.

Downloads

Publicado

15/10/2017

Como Citar

FRANCO, S. A. P.; GIROTTO, C. G. G. S. A categoria marxista conteúdo e forma na leitura literária. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 4, p. 1972–1983, 2017. DOI: 10.21723/riaee.v12.n4.out./dez.2017.8776. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8776. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.