O uso do jogo protagonizado na educação infantil

Geovana Maria Silva Beling, Karla Rodrigues de Souza Barbosa, Antonio Marcos Gomes da Costa Gonçalves, Rebeca Pizza Pancotte Darius

Resumo


A teoria do jogo protagonizado é proposta por Elkonin (2009) e consiste em explicar a principal atividade realizada pela criança em idade pré-escolar: a representação dos papéis sociais que as crianças assumem enquanto brincam. Para Elkonin (2009), essas representações auxiliam a criança na incorporação das normas sociais, como também colabora para um efetivo desenvolvimento das funções psíquicas dos alunos. Essa teoria também traz a necessidade da intervenção do professor no processo de realização do jogo. Portanto, considerando a relevância dessa atividade no processo educativo de pré-escolares, o objetivo da pesquisa é verificar a percepção dos docentes quanto ao jogo protagonizado e a sua realização na prática pedagógica em turmas de Educação Infantil. A pesquisa foi de cunho quali-quantitativo, realizada por meio de um questionário semiestruturado contendo seis questões objetivas com espaço para argumentação.


Palavras-chave


Jogo protagonizado; Funções psicológicas superiores; Educação infantil; Prática docente.

Texto completo:

PDF XML

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

DUARTE, N. Os conteúdos escolares e a ressurreição dos mortos: contribuição à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

ELKONIN, D. B. Psicologia do jogo. Tradução de Álvaro Cabral. 2. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

FRANCISCO, L. S. O papel da atividade lúdica no desenvolvimento infantil: contribuições de Elkonin. TCC – Trabalho de Conclusão de Curso, Curso de Pedagogia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2011. Disponível em: http://www.dfe.uem.br/TCC/Trabalhos%202011/Turma%2032/Larissa_Francisco.pdf. Acesso em: 10 jan. 2018.

LEONTIEV, A. N. Uma Contribuição à Teoria do Desenvolvimento da Psique Infantil. In: VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2006, cap. 4, p. 59-83.

MARCOLINO, S.; BARROS, F. C. O. M.; MELLO, S. A. A teoria do jogo de Elkonin e a educação infantil. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP, vol. 18, n. 1, 2014, p. 97-104. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pee/v18n1/v18n1a10.pdf. Acesso em: 05 jun. 2018.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

OTTONI, T. M. E; SFORNI, M. S. F. O brincar na educação infantil: explorando o jogo protagonizado. Congresso Nacional de Psicologia Escolar e Educacional, 2011, Maringá. Universidade Estadual de Maringá, 2011. Disponível em: http://www.abrapee.psc.br/xconpe/trabalhos/1/157.pdf. Acesso em: 10 mar. 2018.

PASQUALINI, J. C. O papel do professor e do ensino na educação infantil: a perspectiva de Vigotski, Leontiev e Elkonin. In.: MARTINS, L. M; DUARTE, N. (orgs.) Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias [online]. São Paulo: Editora Unesp; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. Disponível em: http://books.scielo.org/id/ysnm8/pdf/martins-9788579831034-10.pdf. Acesso em: 10 mar. 2018.

VIGOTSKY, L. S. Obras escogidas. Tomo II. Madrid: Visor, 2001.




DOI: https://doi.org/10.22633/rpge.v22i3.11511



Rev. on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1519-9029

DOI prefix: 10.22633/rpge

Licença Creative Commons 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.