Formação de professores para a educação bilíngue de surdos na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.unesp.v22.nesp2.dez.2018.11913

Palavras-chave:

Formação de professores, Educação bilíngue, Surdo.

Resumo

Este estudo objetivou analisar como a formação de professores para atuação na educação bilíngue de surdos na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental tem sido retratada nas produções de fontes reconhecidamente relevantes no cenário acadêmico-científico brasileiro, entre os anos 2005 e 2015, período relacionado a designações do Decreto nº 5.626/2005. Conclui-se que, embora os estudos sobre a formação de professores para atuação na educação bilíngue de surdos tenham contribuído com importantes reflexões, a temática ainda é pouco explorada na literatura científica. Pouco se avançou no cenário brasileiro, a respeito da formação específica de professores para atuação com alunos surdos na perspectiva bilíngue, assim como na implantação de modelos educacionais bilíngues para esses alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joice Emanuele Munhoz Cicilino, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Mestre em Educação Escolar pela UNESP/ Araraquara. Possui graduação em Pedagogia e especialização em Educação e Novas Tecnologias. Atualmente é Professora na rede Municipal de Ribeirão Preto e Professora Tutora Presencial no curso de Pedagogia na Faculdade Anhanguera de Ribeirão Preto. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação inclusiva; educação bilíngue para surdos; formação de professores; educação a distância.

Claudia Regina Mosca Giroto, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Possui graduação em Fonoaudiologia, pela Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC/Campus de Marília, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (1993), mestrado (1998) e doutorado (2006) em Educação, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC)/UNESP/Campus de Marília/SP. Docente do Departamento de Educação Especial/Curso de Pedagogia; do curso de especialização em Formação de Professores em Educação Especial: apoio à escola inclusiva; e dos Programas de Pós-Graduação em Educação da FFC/UNESP/Campus de Marília/SP e em Educação Escolar, da Faculdade de Ciências e Letras (FCLAr)/UNESP/Campus de Araraquara/SP.

Fabiana Cristina Frigieri de Vitta, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Possui graduação em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos (1992), mestrado em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela Universidade Federal de São Carlos (1997) e doutorado em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (2004). Atualmente é professor assistente no Departamento de Educação Especial da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Campus de Marília e do Programa Pós-Graduação em Educação Escolar da Unesp de Araraquara, na linha de pesquisa Formação do professor, trabalho docente e práticas pedagógicas.

Referências

ANGELUCCI, C. B.; LUZ, R. D. Contribuições da escola para a (de) formação dos sujeitos surdos. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v. 14, n. 1, p. 35-44, jan./jun., 2010.

BONACORSI, M. As políticas inclusivas no campo da surdez: a lei que ampara e a prática que se cumpre. 2008. 75f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2008.

BRASIL. Lei n º 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de sinais-Libras e dá outras providências. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 17 mar. 2018.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso em: 17 mar. 2018.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC, SEESP, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf. Acesso em: 17 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Relatório do Grupo de Trabalho designado pelas Portarias nº 1.060/2013 e nº 91/2013. Subsídios para a Política Linguística de Educação Bilíngue – Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa – a ser implementada no Brasil, 2014.

BUENO, D. B. Para quem tem olhos de ver e ouvir: os conflitos entre as políticas públicas e as experiências de inclusão de surdos. 2009. 107f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2009.

CAMPELLO, A. R.; REZENDE, P. L. F. Em defesa da escola bilíngue para surdos: a história de lutas do movimento surdo brasileiro. Educ. rev., n. esp-2, p. 71-92, 2014.

CAMPOS, S. M. Aluno surdo em escola especial: reflexões acerca da alfabetização e a importância da Libras neste processo. 2009. 59f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2009.

CRUZ, P. S. da. Relação professor ouvinte e aluno surdo: um olhar sobre a formação inicial do professor. 2015. 59f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2015.

EYNG, D. B. A inclusão do sujeito surdo no ensino regular do ponto de vista de alunos surdos, familiares, professores e intérpretes. Rev. soc. bras. fonoaudiol. v. 17, n. 3, p. 376, 2012.

FARIA, J. G. Formação, profissionalização e valorização do professor surdo: reflexões a partir do Decreto 5.626/2005. Rev. bras. educ. espec., v. 17, n. 1, p.87-100, 2011.

FERNANDES, E. Linguagem e surdez. Porto Alegre: Artmed, 2003.

FERNANDES, S.; MOREIRA, L. C. Políticas de educação bilíngue para surdos: o contexto brasileiro. Educ. rev., n. esp-2, p. 51-69, 2014.

FERREIRA, A.B. O processo de escolarização de crianças surdas no ensino fundamental: um olhar para o ensino de ciências articulado aos fundamentos da astronomia. p. 127. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Bauru, 2015.

FRANCO, M. Educação superior bilíngue para surdos: o sentido da política inclusiva como espaço da liberdade: primeiras aproximações. Rev. bras. educ. espec., v. 15, n. 1, p.15-30, 2009.

GIROTO, C. R. M.; BERBERIAN, A. P.; SANTANA, A. P. Saúde, Educação e Educação Especial: princípios e paradigmas norteadores das práticas em saúde no contexto educacional inclusivo. In: C. R. M. Giroto. (Org.). Serviços de apoio em Educação Especial: um olhar para diferentes realidades. Alcalá de Henares: Servicio de Publicaciones de la UAH, 2014, p. 101–24.

GIROTO, C. R. M.; MARTINS, S. E. S. O.; LIMA, J. M. R. Formação de professores e inserção da disciplina Libras no Ensino Superior: perspectivas atuais. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 2, p. 741-758, 2015.

GIROTO, C. R. M.; PINHO, G. G.; MARTINS, S. E. S. O. A disciplina de Libras na pedagogia: em análise a formação do formador. In: POKER, R. B.; MARTINS, S. E. S. O.; GIROTO, C. R. M. (Org.). Educação inclusiva: em foco a formação de professores. 1ed.São Paulo: Cultura Acadêmica, v. 1, p. 153-172, 2016.

GUARINELLO, A. C. A inserção do aluno surdo no ensino regular: visão de um grupo de professores do Estado do Paraná. Rev. bras. educ. espec., v.12, n. 3, p. 317-330, 2006.

LACERDA, C. B. F.; ALBRES, N. A.; DRAGO, S. L. S. Política para uma educação bilíngue e inclusiva a alunos surdos no município de São Paulo. Educação e Pesquisa, v. 39, p. 65, 2013.

LODI, A. C. B.; LACERDA, C. B. F. A inclusão escolar bilíngue de alunos surdos no ensino infantil e fundamental: princípios, breve histórico e perspectivas. In: LACERDA, C.B.F, LODI, A.C.B. (org.). Uma escola duas línguas: letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Editora Mediação, 2009. p. 7-32.

LODI, A. C. B. Educação bilíngue para surdos e inclusão segundo a Política Nacional de Educação Especial e o Decreto n. 5.626/05. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 39, n. 1, p. 49-63, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022013000100004. Acesso em: 11 out. 2018.

LODI, A. C. B; BORTOLOTTI, E. C.; CAVALMORETI, M. J. Z. Letramentos de surdos: práticas sociais de linguagem entre duas línguas/culturas. Bakhtiniana, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 131-149, ago./dez., 2014.

LOUZADA, J. C. A.; MARTINS, S. E. S. O.; GIROTO, C. R. M. A disciplina Libras na formação de professores: desafios para a formulação de espaços educacionais bilíngues. Práxis Educativa, v. 12, p. 864-886, 2017.

MACHADO, J. E. Formação de Professores em Libras para a inclusão dos surdos na escola: a contribuição do curso de pedagogia e da Universidade Estadual de Campinas. 2013. 137F. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2013.

MARQUES, H. de C. R.; BARROCO, S. M. S.; SILVA, T. dos S. A. O Ensino da Língua Brasileira de Sinais na Educação Infantil para Crianças Ouvintes e Surdas: Considerações com Base na Psicologia Histórico-Cultural. Rev. Bras. Ed. Esp., v. 19, n. 4, p. 503-518, out./dez., 2013.

MARTINS, V. R. O.; OLIVEIRA, G. S. Literatura surda e ensino fundamental: resgates culturais a partir de um modelo tradutório com especificidades visuais. Educ. Soc., 2015, v. 36, n. 133, p. 1041-1058.

MARTINS, V. R. de O.; ALBRES, N. de A.; SOUSA, W. P. A. Contribuições da Educação Infantil e do brincar na aquisição de linguagem por crianças surdas. Pro-Posições, v. 26, n. 3, p. 103-124, set./dez., 2015.

NASCIMENTO, S. P. F.; COSTA, M. R. Movimentos surdos e os fundamentos e metas da escola bilíngue de surdos: contribuições ao debate institucional. Educ. rev., n. esp-2, p. 159-178, 2014.

NUNES, S. S. N. et al. Surdez e educação: escolas inclusivas e/ou bilíngues? Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, v. 19, n. 3, p. 537-545, set./dez., 2015.

PEIXOTO, R. C. Algumas considerações sobre a interface entre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e a Língua Portuguesa na construção inicial da escrita pela criança surda. Cad. CEDES, v. 26, n. 69, p. 205-229, 2006.

PICCOLO, L. G. A inclusão de uma aluna surda no ensino fundamental: estudo de caso. 2015. 80f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2015.

PORTIOLI, V. P. A inclusão de alunos surdos e a formação do professor: estudo de caso. 2006. 71f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2006.

POSSIDENTE, M. A. C. A criança surda na educação infantil e a produção de cultura no processo de inclusão: o que muda ou cala? 2014. 160f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2014.

QUADROS, R. M.; LILO-MARTIN, D; PICHLER, D. C. Sobreposição no desenvolvimento bilíngue bimodal. RBLA, Belo Horizonte, v. 14, n. 4, p. 799-834, 2014.

SACCONI, G. C. Sala bilíngue para surdos: métodos e relações interpessoais. 2014. 58f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2014.

SILVA, T. S. A.; BOLSANELLO, M. A. Atribuição de significado à escrita, por crianças surdas usuárias de língua de sinais. Educ. rev., n. esp-2, p. 129-142, 2014.

SILVA, N. L. Professores surdos e professores de surdos, uma formação im-possível. 2015. 70f. Trabalho de conclusão de curso. UNICAMP. Campinas, SP, 2015.

SOARES, R. S. Educação bilíngue de surdos: desafios para a formação de professores - Tese de doutorado. USP. São Paulo - SP, 2013.

SOUZA, S. M. Apontamentos sobre a formação de professores bilíngues para educação de surdos em língua de sinais – Dissertação de Mestrado. Campinas, SP. 2012.

STREIECHEN, E. M.; KRAUSE-LEMKE, C. Análise da produção escrita de surdos alfabetizados com proposta bilíngue: implicações para a prática pedagógica. In: RBLA, Belo Horizonte, v. 14, n. 4, p. 957-986, 2014.

Downloads

Publicado

01/12/2018

Como Citar

CICILINO, J. E. M.; GIROTO, C. R. M.; VITTA, F. C. F. de. Formação de professores para a educação bilíngue de surdos na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 22, n. 2, p. 794–809, 2018. DOI: 10.22633/rpge.unesp.v22.nesp2.dez.2018.11913. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/11913. Acesso em: 5 ago. 2021.

Edição

Seção

Artigos