Gestão pública e compartilhada

A gestão acadêmica integrada na formação docente e de gestores públicos no âmbito do sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v26i00.15638

Palavras-chave:

UAB, CAPES, Gestão pública, Formação, Professores, Gestores

Resumo

Políticas Públicas (PPs) são instrumentos de gestão em que o governo opera ações para o cumprimento dos seus programas, em que os agentes públicos e organizações investidas de função administrativa são responsáveis pela condução da Gestão Pública do Estado, por meio do Plano Plurianual (PPA). Como modelo da Gestão Pública, este artigo avalia a Gestão Compartilhada entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o Sistema Universidade Aberta do Brasil (SisUAB) e as Instituições Públicas de Ensino Superior (IES) na consecução dos objetivos descritos no âmbito do decreto 5.800/2006, que estabeleceu a UAB, com relação à formação básica e continuada de professores, bem como de gestores públicos. Pode-se evidenciar a contribuição do SisUAB para as áreas de Educação Básica e gestão pública no país, devendo-se considerar que o princípio de interiorização prescrito permite que esses resultados sejam mais representativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Alberto Rocha de Lira, Coordenação de Apoio de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Brasília – DF – Brasil

Coordenador de Programas e Cursos em Educação a Distância da CAPES. Doutorado em Educação (UNIMEP).

Tatiane Michelon, Coordenação de Apoio de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Brasília – DF – Brasil.

Analista em C&T. Especialista em Educação a Distância (UnB).

Carlos Cezar Modernel Lenuzza, Coordenação de Apoio de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Brasília – DF – Brasil

Diretor de Educação a Distância. Mestrado em Educação em Ciências - Química da Vida e Saúde (UFRGS).

Fernando Barcellos Razuck, Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD), Rio de Janeiro – RJ – Brasil

Analista em C&T. Doutorado em Educação (UnB).

Referências

ARRUDA, E. P. Reflexões sobre a política nacional de formação de professores a distância e o enfraquecimento da EaD pública pela Universidade Aberta do Brasil (UAB). Educação, v. 43, n. 4, p. 823-842, out. 2018. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/1171/117157486012/117157486012.pdf. Acesso em: 07 jan. 2022.

BRASIL. Decreto n. 5.800, de 8 de junho de 2006. Dispõe sobre o sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB. Brasília, D.F.: Presidência da República, 2006.

BRASIL. Lei n. 11.502, de 11 de julho de 2007. Modifica as competências e a estrutura organizacional da fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, de que trata a Lei no 8.405, de 9 de janeiro de 1992; e altera as Leis nos 8.405, de 9 de janeiro de 1992, e 11.273, de 6 de fevereiro de 2006, que autoriza a concessão de bolsas de estudo e de pesquisa a participantes de programas de formação inicial e continuada de professores para a educação básica. Brasília, DF: Presidência da República, 2007. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11502.htm. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. Portaria MEC n. 318 de 02 de abril de 2009. Transfere à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES a operacionalização do Sistema Universidade Aberta do Brasil - UAB. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2009. Disponível em: https://www3.semesp.org.br/portal/pdfs/juridico2009/Portarias/02.04.09/n318_02.04.09.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. Decreto n. 7.692 de 02 de março de 2012. Aprova o Estatuto e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, e remaneja cargos em comissão. Brasília, DF: Presidência da República, 2012. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/d7692.htm. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. CAPES. UAB – Universidade Aberta do Brasil, 2021. Disponível em: http:// http://www.capes.gov.br/uab. Acesso em: 31 mar 2021.

CACCIA-BAVA, A.; SATO, C. A. Da paraolimpíada à olimpíada lúdica: Redefinindo parâmetros culturais. Motriz, Rio Claro, v. 12, n. 1, p. 89-96, jan. /abr. 2002. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/65. Acesso em: 02 abr. 2021.

COELHO, F. S. História do Ensino de Administração Pública no Brasil (1854-2006): Antecedentes, ciclos e emergência do campo de públicas. Brasília, DF: Escola de Administração Pública (ENAP), 2019.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. Física. São Paulo: Cortez, 1992.

DINIZ, E. C. Reforma do Estado e Governabilidade. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getulio Vargas,1997.

FERLIE, E.; UMBELINO, L. M. A. Nova Administração Pública em Ação. Brasília, DF: Atlas, 1999.

FRACALANZA, H.; AMARAL, I. A.; GOUVEIA, M. S. F. O Ensino de Ciências – no Primeiro Grau. 6. ed. São Paulo. Ed. Atual. 1992.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GRAN, N. C. Repensando o Público Através da Sociedade – Novas Formas de Gestão Pública e Representação Social. Brasília, DF: Atlas, 1998.

GUEDES, J. R. M. Comentários à lei de responsabilidade fiscal. Rio de Janeiro: IBAM,2007.

HÖFLING, E. M. Estado e políticas (públicas) sociais. Caderno CEDES, Campinas, v. 21, n. 55, p. 30-41, nov. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/pqNtQNWnT6B98Lgjpc5YsHq/?format=html&lang=pt#. Acesso em: 26 maio 2021.

LIRA, L. A. R.; LIMA, B. F. Z. Desafios da gestão de políticas públicas educacionais para formação de professores no âmbito do sistema universidade aberta do Brasil. Revista de Educação a Distância, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 137-151, 2014. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/14. Acesso em: 17 ago. 2021.

MERCADO, L. P. L. Formação continuada de professores e novas tecnologias. Maceió: EDUFAL, 1999.

MICHELON, T.; LIRA, L. A. R.; RAZUCK, F. B. O sistema universidade aberta do Brasil: Um estudo preliminar sobre a identificação dos fatores críticos da gestão integrada. Emrede, v. 3, n. 2, p. 213-226, 2016. Disponível em: https://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/126. Acesso em: 16 ago. 2021.

OMENA, A. C. C.; CAVALCANTE, M. C. G. Programa nacional de formação em administração pública (PNAP) na Universidade Federal de Alagoas (UFAL): Inovação e evasão. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE GESTÃO DE PROJETOS, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE, 5., 2016, São Paulo. Anais [...]. São Paulo, 2016.

PEREIRA, L.C.B. Reforma do estado e administração pública. Rio de Janeiro: ed. FGV, 1998.

PETRUCCI, V. L.; SCHWARTZ, L. Administração Pública Gerencial: A reforma de 1995. Brasília, DF:Atlas,1999.

RAZUCK, F. B.; RAZUCK, R. C. S. R. A importância da Filosofia no ensino de ciências. Dialogia, São Paulo, n. 14, p. 155-162, 2011.

SCHON, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1983.

TEIXEIRA, A. Reengenharia no governo. São Paulo: Makron Books, 1996.

VELOSO, E. F. R. et al. Relações entre adoção de práticas de gestão de carreira e percepção sobre crescimento profissional. Revista Brasileira de Orientação Profissional - ABOP, v. 12, n. 1, p. 61-72, jan./jun. 2011. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/2030/203018660008.pdf. Acesso em: 19 jan. 2022.

Publicado

30/09/2022

Como Citar

LIRA, L. A. R. de; MICHELON, T.; LENUZZA, C. C. M.; RAZUCK, F. B. Gestão pública e compartilhada: A gestão acadêmica integrada na formação docente e de gestores públicos no âmbito do sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 26, n. 00, p. e022133, 2022. DOI: 10.22633/rpge.v26i00.15638. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15638. Acesso em: 27 nov. 2022.