A importância da afetividade na educação

Autores

  • Gabriella Rossetti Ferreira Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP) https://orcid.org/0000-0003-4682-8914
  • Paulo Rennes Marçal Ribeiro Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

DOI:

https://doi.org/10.30715/doxa.v21i1.12003

Palavras-chave:

Aprendizagem, Afetividade, Vínculo, Escola.

Resumo

A afetividade é um estado psicológico humano, logo faz parte da escolarização e do processo de ensino-aprendizagem. O objetivo deste artigo é demonstrar como e porque a afetividade está vinculada ao processo de ensino-aprendizagem, ressaltando que, sem o estabelecimento de vínculos afetivos, não é possível o aprendente disponibilizar energia para que seu desejo de aprender se manifeste. Desta forma, é possível afirmar que não haverá aprendizagem se não houver o desenvolvimento cognitivo e afetivo, concomitantemente. A afetividade tem sido alvo de estudo de muitos autores, e todos são unânimes em afirmarem que o desenvolvimento humano integral deve ter cognição afeição. Não raro, encontramos crianças que não aprendem ou, que não desejam aprender, uma vez que são incapazes de estabelecer vínculos afetivos com a escola e com os professores. A escola é o primeiro ambiente de vivência longe dos pais e da família, por isso deve ser acolhedor e passível aos desenvolvimento afetivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriella Rossetti Ferreira, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

Doutoranda de Pós-Graduação em Educação Escolar.

Paulo Rennes Marçal Ribeiro, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)

Professor do Departamento de Psicologia da Educação e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação Sexual.

Referências

ALMEIDA, A. R. S. A emoção e o professor: um estudo à luz da teoria de Henri Wallon. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 13, n. 2, p. 239-249, 1997.

ALMEIDA, A. R. S. As emoções na sala de aula. Campinas, SP: Ed. Papirus, 1999.

COSTA, K. S. da; SOUZA, R. K. M. de. O aspecto sócio-afetivo no processo ensino-aprendizagem na visão de Piaget, Vygotkky e Wallon. Disponível em: http://www.educacaoonline.pro.br/index.php?option=com_content&view=article&id=299:oaspecto-socio-afetivo-no-processo-ensino-aprendizagem-na-visao-de-piaget-vygotskyewallon&catid=4:educacao&Itemid=15. Acesso em: 19 nov. 2018

DEWEY, J. A Escola e a Sociedade/ A criança e o currículo. Editora Relógio D’água, 2002. Ano copyright, 1902.

DEWEY, J. Democracia e Educação. 3. ed. São Paulo: Nacional, 1959.

FONSECA, V. Neuropsicologia: cérebro, corpo e motricidade. Rev Psique: Ciência Vida, 2016; 123 (dossier: Enigmático Cérebro), p. 37-53.

FONSECA, V. Dificuldades de aprendizagem não verbais. Rev. Inclusão, 2000; v. 1, p. 89-112.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GOLEMAN, D. Inteligência emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

GOLEMAN, D. O cérebro e a inteligência emocional: novas perspectivas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

LORENZONI, N. V. Vínculo Afetivo e Aprendizagem. Porto Alegre, EST, 2004.

OLIVEIRA, M. K. de. O problema da afetividade em Vygotsky. In: LA TAILLE, Y.; DANTAS, H.; OLIVEIRA, M. K. Piaget, Vygotsky e Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus Editorial Ltda, 1992.

PIAGET, J. A epistemologia genética. Trad. Nathanael C. Caixeira. Petrópolis: Vozes, 1971.

PIAGET, J.; INHELDER, B. A psicologia da criança. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

PIAGET, J. Para Onde Vai a Educação? Rio de Janeiro: José Olympo , 9. ed., 1988.

SNYDERS, G. Alunos felizes. São Paulo: Paz e terra, 1993.

TEIXEIRA, A. Pequena introdução à filosofia da educação - escola progressiva ou a transformação da escola. 6. ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2000.

VAN DER VEER, R.; VALSINER, J. Vygostsky: uma síntese. São Paulo: Unimarco/Loyola, 1996.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VYGOTSKY, L. S. O desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

WALLON, H. As origens do caráter na criança. São Paulo: Difusão Europeia, 1971.

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. Lisboa, Persona/Martins Fontes, 1968.

WALLON, H. Psicologia. Weber M. J. S.; Brulfert J. N. (org.). São Paulo, Ática, 1986.

WALLON, H. Psicologia e Educação da Infância. Lisboa: Estampa, 1975.

ROURKE B. Nonverbal learning disabilities: the syndrome and the model. New York: Guilford; 1989.

Downloads

Publicado

01/02/2019

Como Citar

FERREIRA, G. R.; RIBEIRO, P. R. M. A importância da afetividade na educação. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, Araraquara, v. 21, n. 1, p. 88–103, 2019. DOI: 10.30715/doxa.v21i1.12003. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/12003. Acesso em: 19 ago. 2022.