“Um boogie-woogie de pandeiro e violão.” A metodologia por projetos no contexto do ensino médio técnico integrado brasileiro

Autores

  • Maristella Gabardo Instituto Federal do Paraná (IFPR)

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.nesp1.v13.2018.11436

Palavras-chave:

Metodologia por projetos, Ensino médio integrado, Educação para o Século XXI.

Resumo

O presente artigo tem um cunho etnográfico, e objetiva mostrar como a metodologia por projetos pode ser aplicada ao ensino técnico integrado no âmbito dos Institutos Federais Brasileiros. Para tanto, foram utilizados principalmente meus diários de campo, as avaliações e autoavaliações feitas pelos alunos, seus depoimentos e algumas filmagens. Os resultados dessa prática apontam que, desde que adaptada ao contexto local, a metodologia por projetos, ao colocar os estudantes como protagonistas desse processo, consegue auxiliá-los no desenvolvimento de várias das competências e habilidades almejadas para o século XXI, tais como: colaboração, autonomia, senso crítico e pensamento sistêmico.

Biografia do Autor

Maristella Gabardo, Instituto Federal do Paraná (IFPR)

Doutoranda em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Mestre em Letras com ênfase em Linguística (UFPR).

Referências

BARNETT, R.; COATE, K. Engaging the Curriculum in Higher Education. Maidenhead: SRHE/Open University Press, 2005.

BELL, S. Project-based learning for the 21st century: Skills for the future. In:The Clearing House, v. 83, n. 2, p. 39-43, 2010.

BRASIL Orientações Curriculares para o Ensino Médio (OCEM). Vol. 1. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 2006.

BRASIL. Lei nº. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 1, 30/12/2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCN + Ensino Médio: Orientações Educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, 2002.

BUSS, C.; MACKEDANZ, L. F. O ensino através de projetos como metodologia ativa de ensino e de aprendizagem. Revista Thema, v. 14, n. 3, p. 122-131, ago. 2017.

CÂNDIDO, W. A nova e velha mesmice da aula expositiva. In: Simpósio de Pedagogia, 12, 2012, Goiânia. Anais... Goiânia, 2012. Disponível em: http://educacao.catalao.ufg.br/publicacoespedagogia/index.php/simposiopedago/article/download/126/100. Acesso em: 05 ago. 2017.

CASANOVA, M. P.; ALVES, J. M. Sentidos subjetivos da pedagogia de projetos para uma professora de ciências. Interacções, v. 11, n. 39, 2016.

CHARLOT, B. A Mistificação Pedagógica: realidades sociais e processos ideológicos na teoria da educação. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1976.

DELORS, J. Educação: Um tesouro a descobrir. Relatório da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Paris (UNESCO). Porto: ASA Editores, 1996.

DEMO, P. Habilidades e competências no século XXI. Porto Alegre: Mediação, 2010.

DEWEY, J. Democracia e educação. 3. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.

Ensinar e fazer aprender. Rio Tinto: Edições ASA, 1991.

FONTE, P. Pedagogia de projetos: ano letivo sem mesmice. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2014.

GRANT, M. M. Getting a grip on project-based learning: Theory, cases and recommedations. Meridian: A Middle School Computer Technologies Journal, v. 5(Winter), p.1-17, 2002

HAREL, I.; PAPERT, S. Constructionism, Ablex Publishing Corporation,1991.

KAFAI, Y.; RESNICK, M. Constructionism in practice designing, thinking, and learning in a digital world. Lawrence Erlbaum Associates,1996.

LEÃO, Denise Maria Maciel. Paradigmas contemporâneos de educação: escola tradicional e escola construtivista. Cadernos de Pesquisa, n. 107, p. 187-206, jul. 1999.

MORAN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. (Org.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2. Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. (Coleção Mídias Contemporâneas).

NOT, L. Enseigner et faire apprendre. Tradução Paulo Melo. Toulouse, Privat, 1987.

OLIVEIRA, C. L. Significado e contribuições da afetividade, no contexto da metodologia de projetos, na educação básica. (Dissertação de mestrado) – Capítulo 2, CEFET-MG, Belo Horizonte-MG, 2006.

Publicado

30/04/2018

Como Citar

GABARDO, M. “Um boogie-woogie de pandeiro e violão.” A metodologia por projetos no contexto do ensino médio técnico integrado brasileiro. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. esp.1, p. 421–435, 2018. DOI: 10.21723/riaee.nesp1.v13.2018.11436. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/11436. Acesso em: 3 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos