O estado da arte da produção acadêmica sobre o letramento digital na formação docente

Patrícia Peixoto Carneiro Viegas, Ilsa do Carmo Vieira Goulart

Resumo


Este texto resulta de uma pesquisa bibliográfica, analítica e descritiva, numa perspectiva metodológica do Estado do Conhecimento ou Estado da Arte, sobre letramento digital na formação de professores. Realizou um levantamento de teses e dissertações dos cursos de pós-graduação stricto sensu das Instituições de Ensino Superior do Estado de Minas Gerais, no período de 2000 a junho de 2017, com o objetivo de identificar quais as tendências que as produções acadêmicas apresentam nas investigações sobre letramento digital na formação de professores. Como referencial teórico, aborda a cibercultura com Lévy (1999), o letramento, na perspectiva de Soares (1996, 2002, 2014) e Street (2014), os multiletramentos com Rojo (2003, 2012), letramento digital com Snyder (1999). Como resultado tem-se que as pesquisas são ainda incipientes ao tratar do tema e até mesmo superficiais, em alguns casos misturando o determinismo e o relativismo tecnológico. Verifica-se a diversidade nos constructos teóricos utilizados, que, por consequência, comprovam a heterogeneidade quando se trata de formação de professores.


Palavras-chave


Letramento digital; Formação de professores; Estado do conhecimento.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España)) XML

Referências


AZEVEDO, D. S. et al. Letramento digital: uma reflexão sobre o mito dos "nativos digitais". Revista Renote: Novas Tecnologias em Educação, Porto Alegre, vol.16, n.2, p.1-11, jul./ dez. 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/issue/view/3640/showToc . Acesso em: 20 jan. 2019.

BARTON, D.; HAMILTON, M. Local literacies: reading and writing in one community. Revised ed. London: Routledge, 2012.

CASTELLS, M. A sociedade em rede: do conhecimento à acção política. Traduação Tânia Soares. Rio de Janeiro: Casa da Moeda, 2005.

DUDENEY, G.; HOCKLY, N.; PEGRUM, M. Letramentos digitais. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 51. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

GLASER, B. G.; STRAUSS, A. L. The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. 1. ed. [s.l.] Routledge, 1999.

KLEIMAN, A. B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A. B. Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. São Paulo: Mercado de Letras, 2014.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: 34, 1999.

MATENCIO, M. DE L. M. Analfabetismo na mídia: conceitos e imagens sobre o letramento. KLEIMAN, A. B. In: Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 2014.

OLSON, D. A escrita como atividade metalinguística. In: OLSON, D. Cultura escrita e oralidade. São Paulo: Ática, 1995. p. 267–286.

PALFREY, J.; GASSER, U. Nascidos na era digital. Porto Alegre: Grupo A, 2011.

PORTO, T. M. E. As tecnologias de comunicação e informação na escola: relações possíveis... relações construídas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janiero, v. 11, n. 31, p. 43–57, 2006.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants. On the horizont, v. 9, n. 5, out. 2001.

ROJO, R. Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. p. 264.

SCRIBNER, S.; MICHAEL COLE. The psychology of literacy. Cambrigde: Harvard University Press, 1981.

SILVA, S. L. da. Letramento digital de professores em contexto de formação continuada. 2014. 170f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de PósGraduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

SNYDER, I. Literacy and technology studies: past, present, future. ACER Research Conference, n. October 1999, 1999.

SOARES, M. Letramento em verbete: O que é letramento? Revista Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 2, p. 15–25, 1996.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143–160, 2002.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

STRAUSS, A.; CORBIN, J. Pesquisa qualitativa - técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. Porto Alegre: Penso, 2008.

STREET, B. V. Letramentos Sociais - abordagem críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia na educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014.

VIEGAS, P. P. C. Letramento digital docente em Minas Gerais: um estado do conhecimento. 2018. 91f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2018.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15i1.12217



Direitos autorais 2020 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.