O ensino de conceitos na universidade: o Facebook como instrumento de mediação didática colaborativa

Dirce Foletto Moraes, Diene Eire Mello

Resumo


O presente estudo busca analisar as possibilidades de utilização da rede social Facebook como instrumento de mediação didática colaborativa no ensino de conceitos. A experiência investigada é resultado de uma intervenção didática baseada na mediação como eixo do processo formativo com estudantes universitários de um curso de licenciatura de uma universidade pública. A abordagem qualitativa, na modalidade exploratório-explicativa, norteou a investigação. A teoria da cognição distribuída e suas categorias de: mediação, interação, participação colaborativa e parceria intelectual foram tomadas como base para análise dos dados. Os resultados evidenciam que o Facebook tem um grande potencial como instrumento de mediação a partir das interações evidenciadas por meio do diálogo, do confronto cognitivo e da construção conjunta de significados e também a partir da participação colaborativa que expressou as contribuições dos estudantes para alcançar as metas coletivas por meio da parceria intelectual em busca da compreensão conceitual.


Palavras-chave


Ensino de conceitos; Cognição distribuída; Mediação; Facebook.

Texto completo:

PDF PDF (Español (España))

Referências


ARGUEDAS-MENDEZ, S. M. El Facebook como apoyo a la docencia universitaria: experiencia educativa en un curso de cálculo. Educare, v. 20, n. 1, jan./abr. 2016. Disponível em: http://www.revistas.una.ac.cr/index.php/EDUCARE/article/view/7506/7821. Acesso em: 20 out. 2018.

BROWN, A. L. et al. Distributed expertise in the classroom. In: SALOMON, G. Distributed cognitions: psychological and educational considerations. Cambridge: CUP,1993. p. 188-228.

COLL, C.; MAURI, T.; ONRUBIA, J. A incorporação das tecnologias de informação e da comunicação na educação: do projeto técnico-pedagógico às práticas de uso. In: COLL, C.; MONEREO, C. (Org.). Psicologia da Educação virtual: aprender e ensinar com as tecnologias da informação e da comunicação. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 66-93.

COLE, M.; ENGESTRÖM, Y. A cultural-historical approach to distributed cognition. In: SALOMON, G. Distributed cognitions: psychological and educational considerations. Cambridge: CUP, 1993. p. 01-46.

COSTA, S. R. S.; DUQUEVIZ, B. C.; PEDROZA, R. L. S. Tecnologias Digitais como instrumentos mediadores da aprendizagem dos nativos digitais. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 19, n. 3, p. 603-610, dec. 2015. Disponvível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572015000300603&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 08 ago. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-3539/2015/0193912

GOULART, E. E.; AARRENIEMI-JOKIPELTO, P. Estudo comparativo sobre o uso de mídia social em escolas. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação., Araraquara, v. 11, n. 2, p. 575-588, abr./jun. 2016. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8378. Acesso em 19 dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.21723/RIAEE.v11.n2.p575

HERRERO, C.; BROWN, M. Distributed cognition in community-based education. Revista de Psicodidáctica, v. 15, n. 2, p. 253-268, 2010. Disponível em: https://www.ehu.eus/ojs/index.php/psicodidactica/article/view/816. Acesso em: 27 fev. 2020.

ITO, M. Sociocultural contexts of game-based learning. 2009. Disponível em: http://sites.nationalacademies.org/cs/groups/dbassesite/documents/webpage/dbasse_080072.pdf. Acesso em: 05 jun. 2018.

LEMME, B. H. Development in adulthood. Boston: Allyn & Bacon, 1995.

VVIDIS, I. K. Distributed cognition and educational practice. Journal of Interactive Learning Research, Creta, v. 13, p. 11-29, 2002.

MANSOUR, O. Group intelligence: a distributed cognition perspective. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON INTELLIGENT NETWORKING AND COLLABORATIVE SYSTEMS, 2009, Washington, D.C. Anais […] Washington, D.C.: IEEE, 2009. p. 247-250.

MARTINS, S. M. P. C.; FERNANDES, E. M. dos S. Robots como ferramenta pedagógica nos primeiros anos a aprendizagem como participação. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 20, n. 61, p. 333-358, abr./jun. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782015000200333&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 jul. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206104

MATTAR, J. Web 2.0 e redes sociais na educação. São Paulo: Artesanato Educacional, 2013.

MORAES, D. A. F. de. Os processos formativos de estudantes universitários paranaenses e suas relações com os artefatos digitais: uma proposta de mediação didática colaborativa baseada na cognição distribuída. Orientador: Claudia Maria de Lima. 2017. 340 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente, 2017. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/151745. Acesso em: 27 fev. 2020.

MORAES, D. A. F. de; LIMA, C. M. de. Os artefatos digitais como ferramentas culturais mediadoras: possibilidades para novos cenários de aprendizagem. Educar em Revista, v. 35, n. 78, p. 243-262, dez. 2019. ISSN 1984-0411. Disponível em:

https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/59642. Acesso em: 03. dez. 2019.

PEA, R. D. Practices of distributed intelligence and designs for education. In: SALOMON, G. Distributed cognitions: psychological and educational considerations. Cambridge: CUP, 1993. p. 47-87.

REGIS, F. Tecnologias de comunicação, entretenimento e competências cognitivas na cibercultura. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 15, n. 37, p. 32-37, dez. 2008. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/4797. Acesso em: 20 set. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-3729.2008.37.4797

SALOMON, G.; PERKINS, D.; GLOBERSON, T. Partners in cognition: extending human intelligence with intelligent technologies. Educational Researcher, v. 20, n. 3, p. 2-9, 1991. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.3102/0013189X020003002. Acesso em: 27 fev. 2020. DOI: https://doi.org/10.3102%2F0013189X020003002

SALOMON, G. Las diversas influencias de la tecnología em el desarrollo de la mente. Journal: Infancia y Aprendizaje, v. 15, n. 58, p. 143-159, jan. 1992. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/02103702.1992.10822337. Acesso em: 27 fev. 2020. DOI: https://doi.org/10.1080/02103702.1992.10822337

SALOMON, G. Distributed cognitions: psychological and educational considerations. Cambridge: CUP, 1993. p. 47-87.

SCORSOLINI-COMIN, F. Psicologia da educação e as tecnologias digitais de informação e comunicação. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 18, n. 3, p. 447-455, dec. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-85572014000300447&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 20 set. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/2175-3539/2014/0183766

SEVERINO, A. J. Pesquisa educacional: da consistência epistemológica ao compromisso ético. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, [S.l.], p. 900-916, oct. 2019. ISSN 1982-5587. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12445. Acesso em: 28 fev. 2020. doi:https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.12445.

SMITH, M. C.; POURCHOT, T. Adult learning and development: perspective from educational psychology. London: Lawrence Erlbaum Associates, Inc, 1998.

TEZANI, T. C. R. Nativos digitais: considerações sobre os alunos contemporâneos e a possibilidade de se (re)pensar a prática pedagógica. DOXA: Revista Brasileira de Psicologia e Educação, v. 19, n. 2, p. 295-307, jul./dez. 2017. ISSN 2594-8385. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/doxa/article/view/10955. Acesso em: 10 jul. 2018. DOI: https://doi.org/10.30715/rbpe.v19.n2.2017.10955

WERTSCH, J. V.; TULVISTE, P. L. S. Vygotsky e a psicologia evolutiva contemporânea. In: DANIELS, Harry (Org.). Uma introdução a Vygotsky. São Paulo: Edições Loyola, 2013. p. 61-82.




DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v15i2.12391



Direitos autorais 2020 Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação

 

Rev. Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, Brasil, e-ISSN: 1982-5587

DOI Prefix: 10.21723/riaee

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.