As tecnologias digitais

Uma análise a partir da teoria da cognição distribuída

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17iesp.1.16327

Palavras-chave:

Teoria da cognição distribuída, Tecnologias digitais, Educação

Resumo

O objetivo central do presente texto é analisar pesquisas no âmbito da educação que tratam das tecnologias digitais a partir da Teoria da Cognição Distribuída e verificar como estas se apresentam na literatura. Os objetivos específicos buscam: contextualizar o conceito de Cognição Distribuída; identificar pesquisas no âmbito da educação que tratam das tecnologias digitais a partir da teoria da cognição distribuída e caracterizar se as pesquisas encontradas são de natureza teórica ou experimental. O presente estudo de caráter bibliográfico foi realizado por meio da busca de artigos no banco de dados do Google Acadêmico entre os anos de 2015 e 2021. A partir dos achados, é possível afirmar que são poucos os estudos no âmbito da Teoria da Cognição Distribuída e sua inter-relação com as tecnologias digitais na educação, apontando assim para a necessidade de mais estudos em outros níveis e modalidades de ensino. Observou-se que as tecnologias assumem papel de propiciadoras de experiências aos estudantes. Assim, elas contribuem não só para fazer atividades, mas formas de pensar, criar, elaborar e participar ativamente do processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diene Eire de Mello, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR – Brasil

Docente do Departamento de Educação. Pós-Doutorado em Educação com foco em e-learning pela Universidade Aberta de Portugal (2015).

Simone Aparecida de Andrade Vallini, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR – Brasil

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPEdu).

Vanessa Dantas Vieira, Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina – PR – Brasil

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPEdu).

Referências

COLE, M.; ENGESTRÖM, Y. A cultural-historical approach to distributed cognition. In: SALOMON, G. Distributed cognitions: psychological and educational considerations. Cambridge: CUP, 1993. p. 01-46.

DE MORAES, D. A. F.; DE LIMA, C. M. A reconstrução da prática docente: reflexos da intervenção em uma experiência didática. Revista Profissão Docente, v. 17, n. 36, 2017.

DE MORAES, D. A. F.; DE LIMA, C. M. O estudante e sua relação com as tecnologias digitais: Representações em sua aprendizagem. Revista Teias, v. 19, n. 53, p. 299-313, 2018a.

DE MORAES, D. A. F.; DE LIMA, C. M. A aprendizagem do jovem adulto a partir da sua perspectiva e inter-relação com os artefatos digitais: indicadores para pensar os processos formativos na universidade. Educação em Perspectiva, v. 9, n. 3, p. 632-649, 2018b.

DE MORAES, D. A. F.; DE LIMA, C. M. Os artefatos digitais como ferramentas mediadoras das atividades cognitivas dos estudantes: possibilidades para novos cenários de aprendizagem. Educar em Revista, n. 78, p. 243-262, 2019.

DE MORAES, D. A. F.; DE LIMA, C. M. Apropriações das mídias digitais na formação conceitual e na construção conjunta de significados na universidade. Educação em Foco, v. 24, n. 42, p. 259-278, 2021.

GODOI, E. Reflexões sobre o contexto dos ambientes virtuais, suas abordagens teóricas e o uso pedagógico da interação em cursos on-line: cenário de diferentes linguagens. In: SIED - SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA; ENPED - ENCONTRO DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 2016, São Carlos. Anais [...]. São Carlos, SP: UFSCAR, 2016.

LEONTIEV, A. O homem e a cultura. In: O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte, 1978.

MARTINS, L. M. Psicologia Histórico-Cultural, Pedagogia Histórico Crítica e desenvolvimento humano. In: MARTINS, Lígia Márcia. et al. Periodização histórico-cultural do desenvolvimento psíquico: do nascimento à velhice. Campinas, SP: Autores Associados, 2016. p. 13- 34.

MELLO, S. A. A escola de Vygotsky. In: CARRARA, K. (org.). Introdução à psicologia da educação: seis abordagens. São Paulo: Avercamp, 2004.

MELLO, S. A. Cultura, mediação e atividade. In: MENDONÇA, S. G. de L.; SILVA, V. P.; MILLER, S. (org.). Marx, Gramsci e Vigotski: aproximações. Araraquara, SP: Junqueira; Martin; Marília, SP: Cultura Acadêmica, 2009.

MORAES, D. A.; DE LIMA, C. M. Artefatos digitais na aprendizagem de conceitos: possibilidades para a cibercultura. Revista Teias, v. 21, n. 60, p. 242-254, 2020.

MORAES, D. F.; MELLO, D. E. O ensino de conceitos na universidade: o Facebook como instrumento de mediação didática colaborativa. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, p. 361-384, 2020.

SALOMON, G. Distributed cognitions: psychological and educational considerations. Edited by Gavriel Salomon of University of Hayfa, Israel. United Kingdom: Cambridge University Press, 1993. Disponível em: https://web.stanford.edu/~roypea/RoyPDF%20folder/A67_Pea_93_DI_CUP.pdf. Acesso em: 19 set. 2021.

SILVA, A. M.; LIMA, C. M. Usos contemporâneos das tecnologias digitais por adolescentes: práticas pedagógicas e formação docente. Plures Humanidades, v. 19, n. 2, 2018.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Downloads

Publicado

01/03/2022

Como Citar

MELLO, D. E. de; VALLINI, S. A. de A. .; VIEIRA, V. D. As tecnologias digitais: Uma análise a partir da teoria da cognição distribuída. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. esp.1, p. 0768–0780, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17iesp.1.16327. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16327. Acesso em: 25 maio. 2022.