Pesquisa educacional: da consistência epistemológica ao compromisso ético

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14i3.12445

Palavras-chave:

Pesquisa científica, Epistemologia da pesquisa educacional, Ética na prática da pesquisa, Ética na pesquisa educacional.

Resumo

Construindo-se de uma perspectiva filosófica, o ensaio explicita as exigências epistêmicas e éticas que se põem como condições fundantes da prática da pesquisa, defendendo a igual relevância dessas duas perspectivas na construção do conhecimento científico, em geral, e da investigação específica no campo educacional, em particular. Ao abordar a pesquisa educacional, argumenta que, dada a natureza da educação como prática intencionalizada, como práxis, tanto no âmbito epistemológico como no âmbito ético, essas exigências se tornam ainda mais agudizadas, à vista do envolvimento radical com o destino existencial histórico das pessoas. Tal condição impõe ao pesquisador do campo educacional acurado rigor epistemológico em seu procedimento investigativo e compromissada sensibilidade ética à dignidade humana.

Biografia do Autor

Antonio Joaquim Severino, Universidade Nove de Julho (UNINOVE), São Paulo – SP

Docente do Programa de Pós-graduação em Educação. Professor titular, aposentado, de Filosofia da Educação na Faculdade de Educação da USP, ora atuando como docente colaborador.

Referências

ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS. Rigor e integridade na condução da pesquisa científica. Guia de Recomendações de Práticas Responsáveis. 2013. Disponível em: www.abc.org.bre/IM/pdf/doc-4559.pdf. Acesso em: 02 jan. 2019.

ALISSON, E. Má conduta científica é um problema global, afirma pesquisador. Revista Pesquisa Fapesp, Edição ago., 2014.

AMARAL FILHO, F. S. Ética e pesquisa nas Ciências Humanas e Sociais: um caso a ser pensado. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 12, n. 1, p. 257–266, jan./abr., 2017.

ANPED. Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Educação. Comissão de Ética. Ética na pesquisa em Educação. Rio de Janeiro: Anped, 2018. Disponível em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/etica_e_pesquisa_em_educacao_texto_para_discussao_1.pdf. Acesso em: 10 jan. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº196, 10 de outubro de 1996. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 out. 1996.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 13 jun. 2013. Seção 1, n. 112, p. 59-62.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 maio 2016. Seção 1, n. 98, p. 44-46.

CAPES. Orientações Capes: combate ao plágio. Brasília: Capes, 2011.

CNPq. Ética e integridade na prática científica. Brasília: CNPq, 2011. Disponível em: http://www.cnpq.br/documents/10157/a8927840-2b8f-43b9-8962-5a2ccfa74dda.

ESCOBAR, H. Aumento de fraudes em pesquisas preocupa cientistas no mundo todo. O Estado de S. Paulo, Disponível em: https://www.estadao.com.br/noticias/geral,aumento-de-fraudes-em-pesquisas-preocupa-cientistas-no-mundo-todo-imp-,1012525. Acesso em: 11 jan. 2019.

FAPESP. Armadilhas que geram casos de má conduta. Revista Pesquisa Fapesp. Edição 268. jan 2018.

FAPESP. Código das Boas Práticas Científicas. 2014. Disponível em: www.fapesp.br/boas práticas/. Acesso em: 12 fev. 2019.

FARE, M.; MACHADO, F. V.; CARVALHO, I. C. de M. Breve revisão sobre regulação da ética em pesquisa: subsídios para pensar a pesquisa em educação no Brasil. Práxis Educativa. Ponta Grossa, v. 9, n. 1, p. 247-283, jan./jun., 2014.

FORPRED. Breve síntese do Seminário sobre Ética na Pesquisa em Educação. Promovido pelo Forpred Sudeste e PPG Educação/Unicamp. Campinas: Unicamp, 2013.

GATTI, B. A. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Liberlivro, 2002.

MAINARDES, J. A ética na pesquisa em educação: panorama e desafios pós-Resolução CNS nº 510/2016. Educação (Porto Alegre), v. 40, n. 2, p. 160-173, maio-ago. 2017

MARQUES, F. O hábito de cometer fraudes: Pesquisadores japoneses se destacam em lista de cientistas com maior número de artigos retratados. Revista Pesquisa Fapesp. p. 8-10, out. 2018.

MORIN, E. O método. A natureza da natureza. Publicações Europa-América, 1991. v. 1.

MORIN, E.; KERN, A. B. Terra Pátria. Porto Alegre: Sulina, 1996.

NOVOA, A. Em busca da liberdade nas universidades: para que serve a investigação em educação? Revista Lusófona de Educação. Lisboa, no.28, p. 11-21, 2017.

RICOEUR, P. Da metafísica à moral. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.

ROUSSEAU, J. Do contrato social. Ensaio sobre a origem das línguas. São Paulo: Nova Cultural, 1997. (Coleção Os Pensadores).

SANTOS, L. H. L. dos. Sobre a integridade ética da pesquisa. Ciência e Cultura, vol. 69 no. 3, jul./set, 2017.

SANTOS, R. B.; LOUREIRO, A. P. F. Ética em pesquisas na educação: quebrando barreiras. II CONEDU. Campina Grande-PB, 2015. Disponível em http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV045_MD4_SA3_ID6473_16082015005541.pdf. Acesso em: 12 fev. 2019.

SERRES, M. O contrato natural. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

SEVERINO, A. J. A busca do sentido da formação humana: tarefa da Filosofia da Educação. Educação e Pesquisa, v. 32, n. 3, p. 619-634, 2006.

SEVERINO, A. J. Educação, sujeito e história. 3 ed. São Paulo: Olho d´Água, 2012.

SEVERINO, A. J. Dimensão ética da investigação científica. Revista Práxis Educativa, UEPG, Ponta Grossa. Vol. 9, Nº 1, p. 199-208, 2014.

SEVERINO, A. J. Ética e pesquisa: autonomia e heteronomia na prática científica. Cadernos de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, v. 45 p.776-791, 2015.

SINGER, P. O dever de evitar o mal. Jornal da USP. Ano 29, no. 1011. setembro de 2013.

VON ZUBEN, N. A. Bioética e tecnociências: A saga de Prometeu e a esperança paradoxal. Bauru: EDUSC, 2000.

Publicado

18/10/2019

Como Citar

SEVERINO, A. J. Pesquisa educacional: da consistência epistemológica ao compromisso ético. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 3, p. 900–916, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14i3.12445. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12445. Acesso em: 28 fev. 2021.

Edição

Seção

Artigos