Memórias, subjetividades e diversidades culturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v17iesp.2.16980

Palavras-chave:

Educação, Tempos pandêmicos, Cultura, Memória

Resumo

O dossiê tem como proposta entrelaçar a produção de conhecimento na educação, que envolve as dimensões analíticas com base nas memórias, nas subjetividades e nas identidades dissonantes. O COVID 19 demandou outras concepções sobre as identidades individuais e coletivas mediadas por mecanismos sociais, políticos e culturais. Os textos aqui apresentados aglutinam diálogos educativos, trajetórias subjetivas objetivadas, espaços de poder, feminismos, memórias e histórias que compõem o amplo processo de práticas discursivas acerca da inclusão, do empoderamento e do enfrentamento de situações de exclusão no contexto das diversidades culturais. Argumentamos, de forma geral, que as subjetividades, como um modo de autoanulação e/ou autoconhecimento, podem ser problematizadas, tensionadas e preteridas em diferentes âmbitos da Educação. Nesse sentido, aglutinamos nesse dossiê pesquisas (ensaios como forma) que projetam diálogos sobre como as identidades e alteridades são forjadas nas práticas a partir das memórias coletivas e das subjetividades, que no contexto pandêmico, também foram coletivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christian Muleka Mwewa, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Três Lagoas – MS – Brasil

Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado e Doutorado. Doutorado em Ciências da Educação (UFSC).

Jaqueline Aparecida Martins Zarbato, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Três Lagos – MS – Brasil

Departamento de História. Professora de História. Doutorado em História (UFSC).

Referências

ADORNO, T. W. Educação e Emancipação. Tradução: Wolfgang Leo Maar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

AGAMBEN, G. Estado de exceção. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

BENJAMIN, W. Magia e Técnica, Arte e Política. Tradução: Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

CÉSAIRE, A. Discurso sobre o colonialismo. São Paulo: Veneta, 2020.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1996.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. 102 p.

MBEMBE, A. Necropolítica: Biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. São Paulo: N-1 edições, 2018.

SARMENTO, M. Sociologia da Infância e a sociedade contemporânea: Desafios conceituais e praxeológicos. In: ENS, R. T.; GUARANHANI, M. C. Sociologia da infância e a formação dos professores. Curitiba: Editora Champagna, 2013.

TEODORO, M. L. Identidades cultural e diversidade étnica: Négritude africano-antilhana e modernismo brasileiro. 1. ed. São Paulo: Editora Scortecci, 2015.

Publicado

30/06/2022

Como Citar

MWEWA, C. M.; ZARBATO, J. A. M. Memórias, subjetividades e diversidades culturais. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 17, n. esp.2, p. 1012–1020, 2022. DOI: 10.21723/riaee.v17iesp.2.16980. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/16980. Acesso em: 4 out. 2022.