O Scratch como auxiliar no processo de ensino-aprendizagem de linguagem de programação: um balanço da pós-graduação nacional entre 2010 e 2016

Autores

  • Ivan Rodrigues de Camargo IFSP Itapetininga
  • Ivan Fortunato IFSP itapetininga

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v22.n2.maio/ago.2018.10754

Palavras-chave:

Ensino de linguagem de programação, Objeto de aprendizagem, Scratch

Resumo

Esse trabalho visa fazer um levantamento do tipo estado da arte do programa Scratch aplicado ao processo de ensino-aprendizagem de linguagem de programação. Para isso foram realizadas pesquisas no repositório de teses e dissertações da CAPES, com a intenção de filtrar os trabalhos com conteúdo mais pertinente à proposta. Os dados encontrados demonstram que o uso da ferramenta teve um aumento gradativo ao longo do tempo, começando com poucos materiais em 2010, quando a ferramenta estava nos seus anos iniciais, e foi crescendo conforme os anos foram passando, tendo em vista a grande quantidade de materiais encontrados sobre o assunto no ano de 2016. Esse interesse crescente em se pesquisar o Scratch como ferramenta de apoio e objeto de aprendizagem demonstra que a ferramenta tem atendido ao seu propósito de facilitar o ensino e a apropriação da linguagem de programação.

Biografia do Autor

Ivan Rodrigues de Camargo, IFSP Itapetininga

Possui graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela Faculdade de Tecnologia de Itapetininga (SP) (2014). Especialista em Informática aplicada à Educação pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo (2016). Tem experiência como docente na área de informática, com foco na utilização de objetos de aprendizagem como auxiliador no processo de ensino-aprendizagem e arquitetura de computadores. 

Ivan Fortunato, IFSP itapetininga

Pós-doutorado em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Federal do ABC. Doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro. Coordenador do Núcleo de Estudos Transdisciplinares: Ensino, Ciência, Cultura e Ambiente (NuTECCA). Líder do Grupo de Pesquisas Formação de Professores para o Ensino básico, técnico, tecnológico e superior (FoPeTec). Pesquisador do Laboratório de Estudos do Lazer (LEL). Editor da Revista Hipótese e coeditor da Revista Internacional de Formação de Professores e da Revista Brasileira de Iniciação Científica. Membro da Academia Itapetiningana de Letras, cadeira 27, e do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI), cadeira 37. Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCAr. campus Sorocaba. Professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade na Gestão Ambiental, da UFSCAr. campus Sorocaba. Professor em regime de dedicação exclusiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), câmpus de Itapetininga. Contato: ivanfrt@yahoo.com.br

Referências

BAIÃO, Emerson Rodrigo. Desenvolvimento de uma Metodologia para o uso do Scratch for arduino no Ensino Médio. 2016. 150 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação, Unicamp, Campinas, 2016.

BRESSAN, Manuelle Lopes Quintas. Avaliando a contribuição do Scratch para a aprendizagem pela solução de problemas e o desenvolvimento do pensamento criativo. 2015. 526 f. – Dissertação de Mestrado - Curso de Informática, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas "estado da arte". Educação e Sociedade, Campinas, v.23, n.79, p. 257-272, 2002.

GONÇALVES, Felippe Albuquerque. Desenvolvimento de um novo objeto de aprendizagem para o ensino de probabilidade no ensino médio. 2014. 35 f. Tese (Doutorado) - Curso de Matemática, Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande, 2014.

LUMMERTZ, Ramon dos Santos. As Potencialidades do uso do software Scratch para a construção da literacia digital. 134 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Canoas, 2016.

MARTINS, Amilton Rodrigo de Quadros. Usando o Scratch para potencializar o pensamento criativo em crianças do ensino fundamental. 112 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Letras, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2012.

MENDES FILHO, Aldo. Utilizando o Scratch para valorizar a autoria e a autonomia discente em projetos pedagógicos interdisciplinares nos conteúdos dos parâmetros curriculares nacionais. 153 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação, Unicamp, Campinas, 2016.

MESSINA, Graciela. Investigación en o investigación acerca de la formación docente: unestado del arte en los noventa. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, n. 19, p. 145-207, 1999.

ROCHA, Paulo Santana. Ensino e aprendizagem de programação: análise da aplicação de proposta metodológica baseada no sistema personalizado de ensino. 95 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Tecnologia, UFRGS, Porto Alegre, 2010.

RODEGHIERO, Carolina Campos. Aprendizagem conectada em modos de participação no Scratch: proposta de tipologia. 140 f. Tese (Doutorado) - Curso de Letras, Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2016.

RODRIGUES, Patrícia Rocha. Práticas de letramento digital de alunos surdos no ambiente Scratch. 112 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Tecnologia, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2015.

SANTOS, Ângelo Costa dos. Aprendizagem mediada por linguagens de autoria: o Scratch na visão de três pesquisadores. 95 f. Dissertação (Mestrado) – Educação: currículo, PUC-SP, São Paulo, 2014.

TEIXEIRA, Adriano Canabarro. Programação de computadores para alunos do ensino fundamental: a Escola Hacker. 121 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2015.

VENTORINI, André Eduardo. Construção de relações funcionais através do software Scratch.. 112 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Matemática, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

Downloads

Publicado

02/05/2018

Como Citar

Camargo, I. R. de, & Fortunato, I. (2018). O Scratch como auxiliar no processo de ensino-aprendizagem de linguagem de programação: um balanço da pós-graduação nacional entre 2010 e 2016. Revista on Line De Política E Gestão Educacional, 608–626. https://doi.org/10.22633/rpge.v22.n2.maio/ago.2018.10754

Edição

Seção

Artigos