2020 e a pandemia do ensino remoto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22633/rpge.v25i2.15194

Palavras-chave:

Pandemia, Ensino remoto, Educação

Resumo

Este texto é uma reflexão sobre o contexto de ensino emergencial remoto vivido no ano de 2020, por conta do isolamento social provocado pela pandemia da covid-19. Trata-se de um ensaio sobre o contexto da educação ocasionado pela pandemia que se desdobra em duas partes: (a.) a identificação de falsas premissas sobre educação evidenciadas pela situação emergencial e (b.) um misto de amargor e nostalgia provocado pelas circunstâncias. Ao final, fica a esperança de um mundo renovado, de aglomerações saudáveis e ensino presencial com o final dessa terrível pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Fortunato, Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Itapetininga - SP

Docente na Coordenadoria de Formação Pedagógica. Doutorado em Desenvolvimento Humano e Tecnologias (UNESP).

Referências

ALVES, R. A alegria de ensinar. São Paulo, SP: ARS Poética Editora, 1994.

CHRISTENSEN, C.; HORN, M.; STAKER, H. Ensino híbrido: uma inovação disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos. Lexington: Clayton Christensen Institute, 2013.

COMÉNIO, J. A. Didáctica magna: tratado da arte universal de ensinar tudo a todos. 3. ed. Lisboa, Portugal: Fundação Calouste Gulbenkian, 1985.

DEWEY, J. Experiência e educação. 3. ed. São Paulo, SP: Companhia Editora Nacional, 1979.

FORTUNATO, I. A Didática na formação inicial docente: experiências de um professor formador em (auto)formação. Rev. Inter. Educ. Sup., Campinas (SP), v. 8, e022009, 2021. No Prelo.

FORTUNATO, I. Práticas pedagógicas no ensino superior: relato de experiências com a disciplina Didática em licenciaturas. Rev. Inter. Educ. Sup., Campinas (SP), v. 6, e020039, 2020. DOI: https://doi.org/10.20396/riesup.v6i0.8655958

FORTUNATO, I. O sentido de ser professor e a formação docente em contexto: relato de experiência. In: IMBERNÓN, F.; SHIGUNOV NETO, A.; FORTUNATO, I. (org.). Formação permanente de professores: experiências iberoamericanas. São Paulo, SP: Edições Hipótese, 2019. p. 533-542.

FORTUNATO, I. A epistemologia da formação docente: o que se pode aprender com o empirismo de Freinet. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. esp., n. 2, p. 1995-2007, 2018a. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.11904

FORTUNATO, I. Summerhill, ou o legado de A. S. Neill para a educação libertadora de cabeças bem-feitas. Revista Hipótese, Itapetininga (SP), v. 4, n. 1, p. 3-13, 2018b.

FORTUNATO, I. Três saberes pedagógicos na e para a formação de professores. In: SHIGUNOV NETO, A.; FORTUNATO, I. (org.). Saberes pedagógicos: perspectivas & tendências. São Paulo, SP: Edições Hipótese, 2018c. p. 82-96.

FORTUNATO, I. A didática na formação inicial de professores: relato de experiência. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 1, p. 269-276, 2018d. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v13.n1.2018.10834

FORTUNATO, I. 50 anos sem Célestin Freinet, 500 anos de retrocesso das práticas escolares. Journal for Educators, Teachers and Trainers, Granada, v. 7, n. 1, p. 174-181, 2016.

FORTUNATO, I.; SCHWARTZ, G. M. Psicologia Positiva, cinema e a resiliência de si: libertar-se do próprio eu. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del-Rei, v. 14, n. 2, e3205, p. 1-17, 2019.

FREINET, É. O itinerário de Célestin Freinet: a livre expressão na pedagogia Freinet. Rio de Janeiro, RJ: Livraria Francisco Alves Editora S.A., 1979.

FREINET, C. Pedagogia do bom senso. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 40. ed. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2009.

HARPER, B. et al. Cuidado, escola!: desigualdade, domesticação e algumas saídas. São Paulo, SP: Brasiliense, 1980.

HÉRRAN, A.; FORTUNATO, I. La clave de la educación no está en las nuevas Tecnologías de la Información y la Comunicación (TIC). Acta Scientiarum. Education, Maringá (PR), v. 39, n. 3, p. 311-317, 2017. DOI: https://doi.org/10.4025/actascieduc.v39i3.33008

JONES, S.; CRONIN, J.; PIACENTINI, M. G. Mapping the extended frontiers of escapism: binge-watching and hyperdiegetic exploration. Journal of Marketing Management, v. 34, n. 5-6, p. 497-508, 2018. DOI: https://doi.org/10.1080/0267257X.2018.1477818

LIBÂNEO, J. C. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 13-28, 2012.

MORAN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. (org.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa, PR: UEPG/PROEX, 2015. v. 2, p. 15-33.

NEILL, A. S. Um mestre contra o mundo: o fracasso que floriu numa nova escola. São Paulo, SP: IBRASA, 1978.

OLIVEIRA, M. E. Professor, você trabalha ou só dá aula? O fazer-se docente entre História, Trabalho e Precarização na SEE-SP. 2016. 270 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS, 2016.

SINGER, P. É preciso preservar as humanidades. Revista Internacional de Formação de Professores (RIFP), Itapetininga (SP), v. 1, n. 3, p. 75-79, 2016.

SKINNER, B. F. Tecnologia do ensino. São Paulo, SP: Herder, 1972.

STENSENG, F.; RISE, J.; KRAFT, P. Activity Engagement as Escape from Self: The Role of Self-Suppression and Self-Expansion. Leisure Sciences, v. 34, p. 19–38, 2012. DOI: https://doi.org/10.1080/01490400.2012.633849

Publicado

01/08/2021

Como Citar

FORTUNATO, I. 2020 e a pandemia do ensino remoto. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 25, n. 2, p. 1053–1070, 2021. DOI: 10.22633/rpge.v25i2.15194. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/15194. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos