Experiências e apontamentos de professoras de creche sobre inclusão escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.1.12210

Palavras-chave:

Educação Inclusiva, Creches, Professores.

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar e discutir os dados produzidos por professoras em relação às suas experiências em educação inclusiva com crianças de zero a três anos. Trata-se de um estudo qualitativo, do qual participaram 46 professoras de creches públicas de uma cidade de médio porte do litoral paulista, que responderam um questionário semiaberto, relatando suas experiências e dificuldades com relação à inclusão escolar nessa faixa etária. Os resultados apresentados, com base na análise de conteúdo temático, discutem as dificuldades quanto às experiências com inclusão escolar e as experiências bem sucedidas descritas pelas participantes. Acredita-se que este estudo pode contribuir para a discussão sobre a educação para todos na creche e para fomentar reflexões e novos estudos na área.

Biografia do Autor

Carla Cilene Baptista da Silva, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos – SP

Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos – SP – Brasil. Professora do Departamento Saúde, Educação e Sociedade e do Curso de Terapia Ocupacional Docente do Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Ciências da Saúde  e do Programa de Mestrado Ensino em Ciências da Saúde - modalidade profissional. Pós-doutorado em Educação pela Universidade de Aveiro, Portugal.

Andrea Perosa Saigh Jurdi, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos – SP

Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos – SP – Brasil. Professora do Departamento Saúde, Educação e Sociedade e do Curso de Terapia Ocupacional. Docente do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências da Saúde e do Programa de Mestrado Ensino em Ciências da Saúde - modalidade profissional. Doutora em Psicologia Escolar e Desenvolvimento Humano pelo Instituto de Psicologia da USP.

Referências

AINSCOW, M. Tornar a educação Inclusiva: como essa tarefa deve ser conceituada? In: FAVERO, O. et al. (Orgs.). Tornar a educação inclusiva. Brasília: UNESCO. ANPED, 2009. p. 11-23.

ANJOS, H. P.; ANDRADE, E. P.; PEREIRA, M. R. A inclusão escolar do ponto de vista dos professores: o processo de constituição de um discurso. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 116-129, jan./abr., 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Diretrizes Nacionais para a educação especial na educação básica. Brasília, DF: 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC, 2008.

BRASIL. Lei Darcy Ribeiro (1996). LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 5.ed. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, Coordenação Edições Câmara, 2010a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, DF: MEC, SEB, 2010b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília, DF: MEC, SEB, DICEI, 2013.

FRANCO, V. Introdução à Intervenção Precoce no desenvolvimento das crianças: com a família, na comunidade, em equipe. Évora: Edições Aloendro, 2015, 154 p.

IDE, M. G.; YAMAMOTO, B. T.; SILVA, C. C. B. Identificando possibilidades de atuação da terapia ocupacional na inclusão escolar. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, v. 19, n. 3, p. 323-332, set./dez., 2011.

MARIOTTO, R. M. M. Cuidar, Educar e Prevenir: as funções da creche na subjetivação de bebês. São Paulo: Escuta, 2009, 160 p.

MATOS, S. N.; MENDES, E. G. Demandas de professores decorrentes da inclusão escolar. Revista Brasileira de Educação Especial, Marilia, v. 21, n. 1, p. 9-22, jan./mar., 2015.

MINAYO, M. C.; GOMES, S. F. D. (Org.). Pesquisa Social: teoria método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012, 112 p.

PACHECO, J. Inclusão não rima com solidão. Editora: Wak, 2012, 104 p.

PEREIRA, P. C.; MATSUKURA, T. S. Inclusão Escolar e Educação Infantil: um estudo de caso. Revista Educação Especial, v. 26, n. 45, p. 125-144, jan./abr., 2013.

ROSSETTI-FERREIRA, M. C.; AMORIM, K. S.; OLIVEIRA, Z. M. R. Olhando a criança e seus outros: uma trajetória de pesquisa em educação infantil. Psicologia USP, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 437-464, jul./set., 2009.

SOUZA, R. K.; GARCIA, E. S. Um novo olhar: a criança como sujeito de direito no campo da legislação e dos documentos que regem a educação. Perspec. Dial. Rev. Educ. Soc. v. 2, n. 3, p. 75-91, jan./jun., 2015.

VITTA, F. C. F.; EMMEL, M. L. A dualidade cuidado x educação no cotidiano do berçário. Paidéia, v. 14, n. 28, p. 177-189, set./dez., 2004.

VITTA, F. C. F.; SILVA, C. C. B. ; ZANIOLO, L. O. Educação da Criança de Zero a Três Anos e Educação Especial: uma Leitura Crítica dos Documentos que Norteiam a Educação Básica1. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, n. 1, p. 9-26, jan./mar., 2016.

Publicado

01/04/2019

Como Citar

SILVA, C. C. B. da; JURDI, A. P. S. Experiências e apontamentos de professoras de creche sobre inclusão escolar. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp.1, p. 842–854, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14iesp.1.12210. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12210. Acesso em: 5 mar. 2021.