Configurações na fronteira entre Brasil/Paraguai e a organização do programa escolas interculturais de fronteira (PEIF)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21723/riaee.v14iesp.3.12755

Palavras-chave:

Política educacional, Formação de professores, Fronteira.

Resumo

Este artigo objetiva analisar o PEIF como uma política supranacional de formação de professores na fronteira do Brasil com o Paraguai a partir da configuração executada na região sul do Mato Grosso do Sul. Estabelece o seguinte problema de pesquisa: o PEIF apresentou contribuição significativa para a realidade educacional na fronteira do Brasil com o Paraguai? Em termos metodológicos este estudo ancora-se na pesquisa documental, qualitativa e de análise de conteúdo, coletadas da tese de doutorado em andamento sobre o tema. Constatou-se nesta pesquisa que o PEIF como uma política específica para a região de fronteira buscou na formação de professores meios de solidificar a integração regional no âmbito do Mercosul.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Lucinéia Marques Correa Bueno, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Ponta Porã - MS

Docente da Faculdade de Educação da UFMS. Mestre e Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Educação/Faculdade de Educação/Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD/Dourados – Brasil. Graduada em Pedagogia.

Referências

ALARCÃO, I. Escola Reflexiva e Nova Racionalidade. 4 ed. Artes Médicas, 2001.

ANDRÉS, A. A educação superior no setor educacional do Mercosul. Consultora Legislativa da Área XV. Educação, Cultura e Desporto. Dezembro/2010.

ASSIS, J. H. do. V. P. Veias abertas nas fronteiras internacionais do Brasil: percalços na efetivação da educação como um direito universal. International Studies on Law and Education. CEMOrOc-Feusp/IJI-Univ. do Porto. 22 jan/abr 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Ed. rev. e amp. 3 reimp. São Paulo: Edições 70, 2016.

BORGES. P. Programa Escolas Interculturais de Fronteira: uma proposta pedagógica intercultural. In: BRASIL, TV Escola. Salto para o Futuro. Escolas Interculturais de Fronteira. Ano XXIV - Boletim 1. Maio 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 05 set. 2018.

BRASIL. Portaria Normativa Interministerial nº. 17, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades socioeducativas no contraturno escolar. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/mais_educacao.pdf. Acesso em: 25 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Ministerio de Educación, Ciencia y Tecnología. Escolas de Fronteira. Brasília e Buenos Aires, março de 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Escolafronteiras/doc_final.pdf. Acesso em: 04 set. 2017

BRASIL, Portaria n. 971, de 9 de outubro de 2009. Institui o Programa Ensino Médio Inovador. Disponível em: http://educacaointegral.mec.gov.br/images/pdf/port_971_09102009.pdf. Acesso em: 01 dez. 2018

BRASIL, Decreto n. 7.083, de 27 de janeiro de 2010. Dispõe sobre o Programa Mais Educação. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7083.htm. Acesso em: 12 nov. 2018

BRASIL, Portaria n. 798, de 19 de junho de 2012. Institui o Programa Escolas Interculturais de Fronteira, que visa a promover a integração regional por meio da educação intercultural e bilíngue. Disponível em: file:///C:/Users/Mara/Downloads/Port-798-2012-06-19.pdf. Acesso em: 01 dez. 2014.

BOUTIN, G. A relação entre professor-aluno no centro do processo educativo. Currículo sem Fronteiras, v. 17, n. 2, p. 343-358, maio/ago. 2017.

CASTRO, R. C. L. de. Integração constituinte dos países do MERCOSUL por meio da educação superior Universitária. Análise em uma perspectiva histórico-cultural. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo (USP). 2013.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J.; DESLAURIERS, J. P.; GROULX, L. (Orgs.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, p. 295-334, 2008.

CURY, C. R. J., A Educação Básica no Brasil. Ed. e Soc., Campinas. n. 80, p. 168-200, setembro. 2002.

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar em Revista, Curitiba, v. 24, p. 213-225, 2004.

DRAIBE, S. M. Coesão social e integração regional: a agenda social do Mercosul e os grandes desafios das políticas sociais integradas. In: Cadernos de Saúde Pública, São Paulo, v. 23, p. 174-183, 2007.

FERNANDES, E. A. Experiências Linguísticas: como se faz a educação bilíngue com implementação da metodologia do Projeto Escola Intercultural Bilíngue de Fronteira na fronteira entre Brasil e Paraguai. Dissertação de Mestrado, FACALE /UFGD. 2013.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. Educação básica no Brasil na década de 1990: subordinação ativa e consentida à lógica do mercado. Educ. Soc. vol. 24, n. 82. 2003.

FRIZZERA, G. A suspensão do Paraguai no MERCOSUL: problema interno, solução externa. Conjuntura Global, Curitiba, Vol. 2, n. 3, jul./set., 2013.

LORENZONI, I. Programa intercultural terá mais países, cidades e idiomas. In: BRASIL. Ministério da Educação. Escola de Fronteira. Publicado em: 05 nov. 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view =article&id=19218. Acesso em: 13 dez. 2017.

MATO GROSSO DO SUL. Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (SEPROTUR). Plano de Desenvolvimento e Integração da Faixa de Fronteira/MS. Núcleo Regional para o Desenvolvimento e Integração da Faixa de Fronteira do Estado de Mato Grosso do Sul. Campo Grande, 2012.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa em mapas conceituais. Porto Alegre: UFRGS, Instituto de Física, 2013.

NIBUHR, A. N.; ENNS, M. W. La reforma del Estado Paraguaio: Descentralización Política Y Administrativa [Dissertação de mestrado]. Assunción: Universidade Nacional de Asunción; 1996.

PARAGUAI, Ley General de Educación n. 1.264/1998. Disponível em: http://www.une.edu.py/web/images/pdf/Ley1264.PDF. Acesso em: 29 jul. 2017.

RICHARDSON, R. et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3 ed. 8 reimpr., São Paulo: Atlas, 2008.

RIVAROLA, D. La Reforma Educativa en el Paraguay, Santiago, CEPAL‐ECLAC, Serie Políticas Sociales, n. 40, 2000.

ROESLER, P. S. A reforma do sistema educacional paraguaio de 1994. X ANPED SUL, Florianópolis, outubro de 2014.

SILVA, C. P.; TORCHI, G. da F. C. Escolas interculturais de fronteira: um espaço intercultural e mestiço. Revista Geo Pantanal. UFMS/AGB. Corumbá/MS. n. 21. Jul./Dez. 2016.

STURZA, E. R. Das experiências e dos aprendizados no Programa Escolas Interculturais de Fronteiras. In: BRASIL, TV Escola. Salto para o Futuro. Escolas Interculturais de Fronteira. Ano XXIV - Boletim 1. Maio 2014.

TORCHI, G. da F. C.; SILVA, C. P. da. A expansão do Programa Escolas Interculturais de Fronteira no Estado de Mato Grosso do Sul. Revista GeoPantanal, n. 17, p. 33-46, jul./dez. Corumbá/MS, 2014.

TORCHI, G. da F. C. SILVA, C. P. da. O retrato da fronteira Sul-Mato-Grossense por meio da expansão do Programa Escola Interculturais de Fronteira. In: PINTO, A. C. T.; SILVA, M. R. da. Programa Escola Interculturais de Fronteira (PEIF): 10 anos. Tubarão: Copiart, 2016.

VIZENTINI, P. G. F. O Brasil, o Mercosul e a integração da América do Sul. Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v. 1, n. 1, ago-dez. 2007.

Publicado

30/08/2019

Como Citar

BUENO, M. L. M. C. Configurações na fronteira entre Brasil/Paraguai e a organização do programa escolas interculturais de fronteira (PEIF). Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. esp.3, p. 1702–1716, 2019. DOI: 10.21723/riaee.v14iesp.3.12755. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/12755. Acesso em: 2 dez. 2021.